“Volta Lula”: tempo ainda há para troca

Por Renata Bezerra de Melo
Da coluna Folha Política

Até o último pleito, o partido poderia trocar de candidato até 24 horas antes do dia da votação. Este ano, o Tribunal Superior Eleitoral definiu que o prazo limite para substituição deverá ser de 20 dias antes da eleição. Até lá, qualquer dos presidenciáveis aí colocados pode ser alterado. O ex-presidente Lula tem dito e reiterado que Dilma Rousseff é candidata à reeleição. Já pediu para acabar com a “boataria” do “volta, Lula” Ao mesmo tempo, tem feito aparições estratégicas. E, na última, em entrevista a nove blogueiros, no Instituto Lula, admitiu, sobre a economia, concordar com parte do que tem dito os adversários da petista. “Nós poderíamos estar melhor”, disparou, cobrando que Dilma “vai ter que dizer isso na campanha claramente: como é que a gente vai melhorar a economia brasileira”. A intervenção soa como um puxão de orelha. Com a queda de Dilma nas pesquisas, já há quem aposte que uma volta de Lula à disputa seria mais do que um mero boato.


Deputados contra proibição de doações

Por Marcelo Montanini
Da Folha de Pernambuco

Apesar de a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovar, na última quarta-feira, em turno suplementar, o projeto de lei que acaba com a possibilidade de empresas realizarem doações de campanha a partidos ou candidatos, a proposta precisa passar pela Câmara dos Deputados. E, diante disso, dificilmente o PL irá vigorar, principalmente nas eleições deste ano. Apesar de ser uma proposta que pode agradar aos eleitores, o deputado federal Pedro Eugênio (PT) se mostrou contrário ao projeto, afirmando que, nestas condições, poderia estimular o caixa dois nas campanhas eleitorais.

O parlamentar não acredita que haja vontade política na Câmara para votar tal projeto e avaliou que, às vésperas da eleição, uma matéria desta natureza poderia estimular atos ilícitos. “A esta altura, tendo negado a vontade do povo de realizar um plebiscito e, agora, vem com essa… Vai estimular o caixa dois”, ponderou Eugênio, negando que a não aprovação segue na contramão do que reclamou as ruas, vide as manifestações serem pontuais.

Apoiado no princípio de anualidade, o petista avaliou que não há mais tempo do ponto de vista regimental ou político de que a proposta, sendo aprovada, vigore nas eleições de outubro. “Não é uma questão de ser contra ou a favor do projeto, existe um prazo. Politicamente, também está muito em cima da hora”, ponderou.

O deputado federal Mendonça Filho (DEM) antecipou que vai trabalhar para derrubar a proposta e acredita que ela não chegará nem à Câmara Federal, visto que cabe recurso e o mecanismo deverá ser utilizado. O democrata disse que a medida não poderia ser adotada neste pleito. “Não seria possível do ponto de vista constitucional”, defendeu ele. “Os únicos partidos que defendem o financiamento público são o PT e o PCdoB”, atacou.

No início do mês, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) iniciou o julgamento sobre a doação de empresas a partidos políticos e a candidatos e a maioria votou pela proibição. A decisão final ainda não foi tomada porque o ministro Gilmar Mendes pediu vistas. Parlamentares defendem que a Câmara só coloque o assunto na pauta, depois que TSE se posicionar.


Governador não fará compensação política

Por Amanda Seabra
Da Folha de Pernambuco

Apesar da tensão instalada nos bastidores entre o PR e o PSB devido à perda de espaço do primeiro no Governo do Estado, o secretário da Casa Civil, Luciano Vásquez, declarou ontem que o governador João Lyra Neto (PSB) não fará política de compensação. Ressaltou que o diálogo com o PR nunca deixou de existir. Vásquez destacou que a gestão não tratará dessa insatisfação do aliado através da Imprensa, mas adiantou que o governador não tem nenhum interesse em excluir ou fazer qualquer tipo de retaliação ao partido.

“A conversa com o PR sempre foi permanente, mas não faremos esse debate no sentido de compensar ninguém. Os deputados Sebastião Oliveira, Henrique Queiroz e Alberto Feitosa (todos do PR) estão na base e nós estamos avaliando internamente, mas não vamos por esse caminho de atender exigência de ninguém. O governador já conversou com o deputado Inocêncio Oliveira anteriormente, e caso haja a possibilidade de ter um espaço para o PR isso vai acontecer, mas temos que avaliar o que é melhor para a gestão”, enfatizou o secretário.

Questionado pela reportagem da Folha de Pernambuco sobre a possibilidade de esse espaço que vem sendo pleiteado pelo PR seja no comando do Detran, Vásquez declarou que este posto nunca esteve em pauta. “O Detran nunca esteve em discussão, por isso não pode ser incluído nem descartado de onde nunca esteve. É um órgão que precisava passar por uma reestruturação e é isso que vem sendo feito para voltar a atender à população com excelência. O Detran não será usado como moeda de troca”, advertiu.

Atualmente, o diretor-presidente do Detran é Caio Melo, que foi uma indicação do PSDB e ocupa a vaga desde que a legenda se aliou ao PSB em Pernambuco, ainda na gestão de Eduardo Campos. Consultado sobre a possibilidade de o seu partido perder esse espaço, o deputado tucano Betinho Gomes, que recentemente declarou integrar a base do governo de João Lyra, afirmou que essa é uma decisão que compete exclusivamente ao governador.

“Nós não vamos brigar por causa de nenhuma vaga”, assegurou. O deputado Daniel Coelho (PSDB), que, diferente do correligionário, mantém uma postura de independência, lembra que essa prática de negociar cargos é algo comum tanto no Governo Federal como em Pernambuco. “Como eu sou completamente contra essa forma de fazer política, acho que essa decisão deve ser apenas do governador, pensando sempre na melhor prestação de serviço para a população e sem a interferência dos partidos aliado”, acrescentou.


Teresa Leitão: “Nada pra eles presta”

Por Mirella Araújo e Amanda Seabra
Da Folha de Pernambuco

“Terrorismo político”. Esse é o motivo de os presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) não terem alavancado nas últimas pesquisas, segundo a presidente estadual do PT, a deputada Teresa Leitão. Mesmo com a queda da presidente Dilma Rousseff (PT), na pesquisa do Ibope, a dirigente afirma que o discurso que os opositores pregam aumenta a descrença da população na política. “Nada para eles presta, fazem um terrorismo. Uma coisa é fazer críticas sobre o Governo Federal, outra é o ataque violento à presidente Dilma e ao PT. Eles deveriam estar fazendo um discurso proativo”, disparou.

Teresa Leitão também ressalta a contradição no discurso dos opositores. “O PSDB fala sobre o aumento da inflação, mas governou com o índice de 40%. Fala que o Governo quer privatizar a Petrobras, mas a venda do Vale do Rio Doce foi um escândalo”, disse.

Sobre Eduardo Campos, a dirigente endureceu mais o tom. “As pessoas não se iludem com o discurso da nova política que tem se aliado, por exemplo, a Roberto Freire (PPS-SP), que de tão velho precisou sair de Pernambuco para se eleger (deputado) em São Paulo”, criticou Teresa. Líder do PT no Senado, Humberto Costa não vê alarde para o resultado da sondagem, pois a presidente mostra que possui base sólida. “A oposição não tem conseguido apresentar uma proposta segura. O povo não vê legitimidade dos outros nomes que estão postos”, disse Costa.

Já para o senador Armando Monteiro Neto (PTB), que é pré-candidato ao Governo de Pernambuco com o apoio do PT, a variação negativa da governante pode ter relação com as críticas à Petrobras e que estão tendo muito espaço na mídia. Ele, porém, destacou que Dilma se mantém em um patamar expressivo e que os outros nomes não conseguiram se colocar como alternativas. “É por isso que eles não crescem nas pesquisas e até flutuam eventualmente para baixo”, frisou.


Vantagem de Alckmin na TV diminui

Do Portal FolhaPE

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), chega às vésperas de sua campanha à reeleição com uma vantagem menor em relação a seus adversários no horário eleitoral gratuito. Na comparação com 2010, o tucano deverá ter palanque eletrônico com maior número de aliados, mas provavelmente terá 2 minutos a mais do que o candidato do PT, Alexandre Padilha. Na última eleição, Alckmin tinha 2m40s de vantagem na propaganda sobre Aloizio Mercadante, o então adversário petista.

A projeção do tempo de TV de Alckmin na campanha à reeleição leva em conta os prováveis partidos de sua coligação. Até agora, o tucano está fechado com sete siglas (PPS, DEM, PSC, PRB, Solidariedade, PTB e PROS), uma a mais do que tinha a chapa da primeira disputa, que contava com PMDB, DEM, PSC, PPS, PHS e PMN. Considera-se no cálculo ainda o PP, partido cobiçado no mercado de coligações por ser uma das legendas a agregar mais tempo de TV (1min16s).

Se esse cenário confirmar-se, o governador terá 2 minutos de vantagem em relação a Alexandre Padilha. O tucano possuía 2m40s a mais do que Aloizio Mercadante em 2010.

A situação pode se complicar para Alckmin se o PP decidir apoiar o candidato petista. O partido faz parte da base aliada da presidente Dilma Rousseff e apoiou o prefeito Fernando Haddad (PT) em 2012. Nesse caso, Padilha ficaria com meio minuto a mais do que Alckmin no horário eleitoral gratuito.


Pesquisa Ibope: socialistas passam otimismo

Por Mirella Araújo
Da Folha de Pernambuco

Apesar de o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), ter se mantido com 6% das intenções de votos, segundo a pesquisa Ibope publicada ontem, o quadro é bem visto entre os socialistas. Líder do Governo na Assembleia Legislativa, Waldemar Borges (PSB) afirmou que por enquanto não haverá de imediato uma oscilação muito brusca nestes índices. “O que existe é muito mais uma ansiedade para que se tenha essa mudança imediata. Mas a pesquisa confirmou que a tendência é que a presidente Dilma Rousseff (PT) continuará com a tendência de queda”, avaliou Borges.

O fato de, mesmo com a vinda da ex-senadora Marina Silva para o PSB para fortalecer a chapa do socialista como vice, para uma parte da população Eduardo Campos ainda é Socialistas passam otimismo desconhecido. É essa a aposta de seus aliados para alavancar a candidatura de Eduardo na disputa presidencial. Vice-líder do Governo, o ex-petista Isaltino Nascimento (PSB) ressalta que existe um universo de eleitores a ser explorando entre aqueles que votam branco, nulo e os que não votariam na presidente Dilma Rousseff.

“Eduardo Campos tem disposição e vai percorrer o País para conversar com essas pessoas. Isso contribuirá para que haja um crescimento maior, diferente do senador Aécio Neves (PSDB), que há anos já tinha posto sua candidatura (e cresceu 1% na pesquisa Ibope)”, declarou Isaltino.

Já o deputado estadual Betinho Gomes (PSDB) considera que as pessoas ainda não entraram no clima de campanha eleitoral e que por isso ainda é cedo para fazer avaliações definitivas sobre os cenários. “As pessoas ainda não conseguiram identificar a marca da mudança. E Aécio Neves tem feito um discurso mais claro, mais incisivo, enquanto Dilma mostra fragilidade”, afirmou. Para o tucano, há uma cautela maior da população devido à insatisfação com o atual governo e sua capacidade administrativa, e isso foi traduzido nos protestos de rua.


Serra está internado no Hospital Sírio-Libanês

Assessoria do ex-governador de São Paulo não deu detalhes sobre a internação (Foto: Reprodução/Internet)

Do Portal FolhaPE

O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) está internado no Hospital Sírio-Libanês. A informação foi confirmada à reportagem pela assessoria de imprensa do hospital, que não deu detalhes sobre a internação, por exemplo, a data de entrada ou os motivos de saúde. Indagado sobre se haveria algum boletim médico a ser divulgado durante o dia, a assessoria de imprensa respondeu que não há previsão.

No fim de janeiro deste ano, Serra passou por uma cirurgia na próstata no mesmo hospital. Em julho de 2013, durante avaliação pré-operatória sobre a hiperplasia prostática benigna, o ex-governador acabou tendo de ser submetido a um cateterismo cardíaco, sendo indicado tratamento percutâneo com colocação de um stent, o que adiou a intervenção cirúrgica na próstata.


Veja as principais notícias dos jornais deste sábado

Folha de Pernambuco
De olho na Série B

Jornal do Commercio
Usina supera crise vendendo terras

Diario de Pernambuco
Dor de cabeça com a TV por assinatura

Folha de São Paulo
China toma mercados do Brasil na Argentina

Agora São Paulo
Tribunal garante acúmulo de aposentadoria e auxílio acidente

Estado de São Paulo
Ex-ministro de Collor deixa consórcio de Três Irmãos

O Globo
Sem manuntenção, Rio-Petrópolis vira rodovia da morte

Correio Braziliense
Nunca tantas crianças no país pediram socorro

Estado de Minas
Violência sem tamanho

Zero Hora
Segurança pública – Mais de 3,4 mil perícias estão atrasadas no RS

Jornais Internacionais

The New York Times (EUA)
Insurgentes ignoram pacto e continuam na Ucrânia

The Washington Post (EUA)
Trabalho elusivo para desempregados de longa data

The Guardian (Reino Unido)
HMRC pode vender dados dos contribuintes

El País (Espanha)
[Gabriel García Márquz) O gênio da literatura universal


Presidente da Argélia é reeleito para quarto mandato

Agência Lusa – O presidente argelino Abdelaziz Bouteflika foi reeleito para o quarto mandato com 81,53% dos votos. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (18) pelo ministro do Interior da Argélia, Tayeb Belaiz. O segundo colocado das eleições, Ali Benflis, teve 12,18% dos votos.

O candidato mais jovem, Abdelaziz Belaid, ficou em terceiro lugar com 3,03% dos votos, seguido pela líder do Partido dos Trabalhadores da Argélia, que teve a preferência de 1,37% dos eleitores.

Bouteflika, que tem 77 anos de idade e ainda se recupera de um derrame cerebral que o atingiu no ano passado, teve menos votos do que nas eleições de 2009 e 2004 (90% e 85%, respectivamente). Em 1999, quando ganhou o seu primeiro mandato, obteve 75% dos votos.


Kassab e Temer discutem possibilidade de aliança

Gilberto Kassab (PSD) almoçou com Michel Temer (PMDB) na última quarta-feira (16) para discutir a possibilidade de aliança entre os dois partidos na eleição para o governo de São Paulo.

De acordo com a coluna Painel, da Folha de São Paulo, o cenário mais provável é o de que Paulo Skaf (PMDB) abra espaços em sua chapa a Kassab e ao ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, do partido do ex-prefeito.

Na última quinta-feira (17), foi a vez de Skaf e Temer almoçarem juntos para tratar do encontro do dia anterior.


Governo Dilma monitora risco de greve da PM durante Copa

A cúpula do governo Dilma Rousseff monitora o risco de novas greves de policiais militares em Estados que vão sediar partidas da Copa do Mundo, nos meses que antecedem a competição — a exemplo do movimento que aconteceu na Bahia. De acordo com a coluna Painel, de Vera Magalhães, o Palácio do Planalto já identificou essa possibilidade no Rio Grande do Norte, no Amazonas e em Mato Grosso.

A equipe da petista já avisou aos governos locais que tropas do Exército serão enviadas aos Estados, se for necessário. O Ministério da Justiça lembrou aos governadores que há entendimento do Judiciário para que as greves sejam declaradas ilegais.

Ao analisar os movimentos, o Planalto identificou que os PMs usam a proximidade da Copa para fortalecer suas demandas, mas não estariam dispostos a parar durante o evento.


Humberto reforça agenda com prefeitos em Brasília

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, tem dirigido boa parte da sua agenda em Brasília para dinamizar, junto ao Governo Federal, convênios e investimentos para os municípios de Pernambuco, bem como resolver pendências em contratos firmados pelas prefeituras pernambucanas com a União.

No Ministério das Cidades, Humberto acompanhou o prefeito de Ribeirão, Romeu Jacobina, para discutir com a secretária nacional de Habitação, Inês Magalhães, a construção do Residencial Juiz Aníbal Baltar Solto Maior pelo programa Minha Casa Minha Vida naquela cidade da Mata Sul.

Serão 600 unidades habitacionais, sendo 400 destinadas à chamada Faixa 1 (renda familiar mensal de até R$ 1,6 mil) e 200 para a Faixa 2 (renda familiar mensal de até R$ 3,1 mil). O projeto vai beneficiar cerca de 3 mil moradores e contempla, ainda, creche para 249 crianças, escola e Unidade Básica de Saúde (UBS).

“Ribeirão, a princípio, estaria fora dos critérios do Minha Casa Minha Vida, mas nós estamos trabalhando para que ele seja atendido dentro da regra de excepcionalidade que prevê o programa”, afirmou Humberto. Outro município que busca resolver o déficit habitacional é Ibirajuba, no Agreste. O prefeito Sandro Arandas aproveitou a passagem por Brasília para ir com o líder do PT ao Ministério da Saúde para agilizar investimentos na área.

O senador tem conversado, frequentemente, com Júlio Lóssio, prefeito de Petrolina, para buscar liberação de recursos nos Ministérios das Cidades, Saúde, Educação e Integração Nacional. Renato Sarmento, prefeito de Palmeirina, foi outro que esteve com o líder do PT para solicitar liberação de recursos do Governo Federal para asfaltamento e educação no município.

Paralelamente, Humberto Costa recebeu, de março para cá, solicitações das prefeituras de Pedra, São Joaquim do Monte, Surubim, Tabira e Tuparetama para viabilizar investimento e resolver pendências nas áreas de urbanização, previdência e recursos hídricos.


Raquel Lyra de olho na Prefeitura de Caruaru em 2016

A deputada Raquel Lyra (PSB) está animada para as eleições deste ano. De acordo com a coluna Fogo Cruzado desta sexta-feira (18), publicada na Folha de Pernambuco, a expectativa é que a deputada seja a campeã de votos no PSB para a Assembleia Legislativa.

O sucesso nas urnas deste ano tornará o nome de Raquel irreversível dentro do partido para disputar a prefeitura de Caruaru em 2016.


México registra terremoto de 7 graus na escala Richter

Um tremor de terra, com magnitude 7 na escala Richter, foi sentido hoje (18) na capital do México. Ainda não há informações sobre vítimas.

O abalo começou às 9h28 (11h28 em Brasília), acionando de imediato os alertas sísmicos.

O Serviço Sismológico Nacional do México indentificou que o epicentro do tremor de terra deu-se a 31 quilômetros a noroeste de Tecpan, no estado de Guerrero.


João Lyra já tem pauta para tratar com Dilma

Governador tem encontro no final deste mês com Dilma (Foto: Maurício Júnior)

Por Amanda Seabra
Da Folha de Pernambuco

O governador João Lyra Neto (PSB) confirmou que terá uma audiência com a presidente Dilma Rousseff (PT) no final deste mês, mais precisamente entre os dias 28 e 30, para tratar de uma agenda de interesse para Pernambuco, que ainda não está fechada. Porém, segundo ele, a prioridade será a negociação do Processo Administrativo Fiscal (PAF). De acordo com o gestor, o PAF o reajuste bienal ocorrerá neste ano. A definição é importante para que o Governo Estadual possa liberar empréstimos já contratados.

“Com o PAF, teremos condições de liberar financiamentos nacionais e internacionais que vão complementar os recursos para os investimentos de 2014”, explicou o socialista, durante evento que marcou o primeiro envase da fábrica da Itaipava, no município de Itapissuma. Lyra disse que o PAF referente ao biênio 20142015 tem previsão de ser liberado no fim do mês de junho. Ontem o governador, mais uma vez, falou da presidente Dilma com cordialidade e reafirmou a parceria com o Palácio do Planalto. Lembrou que, durante a visita da gestora a Pernambuco, no início desta semana, eles conversaram sobre os investimentos que o Governo Federal vem fazendo no Estado.

“Tenho certeza que a presidente Dilma vai tratar Pernambuco com muita distinção e, acima de tudo, com muito respeito, que é isso que o povo pernambucano merece”, acrescentou. Questionado sobre a situação do Arco Metropolitano, que teve a licitação suspensa no fim do mês passado, João Lyra afirmou que se trata apenas de questões técnicas que já estão sendo resolvidas com o DNIT, a Secretaria Estadual de Infraestrutura e com os órgãos ambientais. Na ocasião da suspensão, se especulou nos bastidores que a medida tinha intuito político por parte do Governo Federal, pois o então governador era o presidenciável Eduardo Campos (PSB).

Fora da disputa deste ano e com interesse em manter uma boa relação com o Planalto, Lyra minimizou o problema. “Estamos avançando nesse projeto e espero que, até o final do mês de maio, os ajustes sejam concluídos. A área metropolitana precisa desse arco para facilitar o trânsito, já que vai ligar Igarassu ao Cabo de Santo Agostinho por fora da BR-101”, ressaltou.