Aécio comenta decisão do TSE de tirar tempo de campanhas

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, comentou nesta segunda-feira a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que suspendeu parte da propaganda eleitoral gratuita tanto da sua campanha quanto da adversária petista Dilma Rousseff. “O TSE tirou mais minutos de Dilma do que do PSDB”, comentou o presidenciável, numa referência à decisão da justiça eleitoral de cassar quatro minutos de inserções da campanha da presidente Dilma Rousseff e de suspender dois minutos e meio da campanha de Aécio.

O tucano está na capital do Pará ao lado do ex-jogador Ronaldo, o Fenômeno, da cantora Fafá de Belém, e líderes do PSDB, como os senadores Flexa Ribeiro e Mário Couto. O candidato do PSDB ao governo do Pará, Simão Jatene, também está presente.

(Fonte: Estadão Conteudo)


Câmara pede engajamento na reta final de campanha

O governador eleito Paulo Câmara (PSB) reuniu cerca de 50 deputados estaduais e federais (entre atuais e eleitos) nesta segunda-feira (20) para pedir engajamento e apoio total nesta reta final de campanha presidencial. Ao lado do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), do senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB), do vice-governador eleito Raul Henry (PMDB) e do presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, o novo gestor reforçou a necessidade de eleger Aécio Neves (PSDB) no próximo dia 26 de outubro.

“Nossos eleitores precisam saber que o voto agora é no 45. Logo, cada uma de nós, deve percorrer os municípios possíveis levando a mensagem de apoio a Aécio. Precisamos transferir nossos votos para a candidatura que representa a mudança e que está comprometida com o povo de Pernambuco e do Nordeste”, ressaltou Câmara.

O prefeito Geraldo Júlio também convocou os deputados a tomarem as ruas nestes últimos dias de campanha. “Devemos nos empenhar ao máximo, unir forças e intensificar o trabalho de disseminar o nome de Aécio. Vamos mostrar que a Frente Popular está unida em torno deste projeto de governo que vai mudar o Brasil e que vai ajudar o governo de Paulo a transformar a vida dos pernambucanos”, disse.


Agenda de Dilma em Pernambuco começa em Goiana

O ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff (PT) participam de agenda em Pernambuco nesta terça-feira (21). Os dois chegam ao Estado por volta das 13 horas e seguem para o município de Goiana, na Zona da Mata. O primeiro compromisso de Lula e Dilma é uma visita à fábrica da Fiat. De lá, seguem para um comício no Centro da cidade com representantes de movimentos sociais e entidades sindicais, como a CUT e a Fetape.

Às 17 horas, eles participam de caminhada no Recife. A expectativa da organização deve atrair mais de 10 mil pessoas. A concentração será no Parque 13 de Maio e o comício será realizado no Pátio do Livramento.

“A vinda dos dois num momento tão importante da campanha mostra o comprometimento de Lula e Dilma com Pernambuco e com o Nordeste, que, aliás, não é de hoje. Foi por decisão do ex-presidente Lula que saiu a Medida Provisória que garantiu a instalação da fábrica em nosso Estado. Quem foi em Goiana recentemente sabe: a fábrica está mudando a realidade local. E vai gerar 15 mil empregos diretos e indiretos. Além disso, tem muitas outras ações que vieram por decisão dos governos do PT. Foi assim com a Hemobras, o Estaleiro e a Refinaria”, afirmou o senador Humberto Costa, coordenador da campanha à reeleição de Dilma , em Pernambuco

Petrolina

Além da visita as duas cidades, ainda há uma possibilidade da presidente Dilma participar do encontro de 30 mil agricultores em Petrolina em prol de sua candidatura. O evento está marcado para as 10h.


TSE cassa tempo de propaganda do PT e PSDB

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu aumentar ainda mais o rigor e concedeu liminares para cassar o tempo de propaganda no rádio e na televisão da candidata à reeleição, a petista Dilma Rousseff, e do seu adversário, o tucano Aécio Neves. O tribunal tirou nesta segunda-feira (20) 6 minutos e meio de inserções dos dois candidatos na TV: Dilma perdeu 4 minutos na TV e Aécio, 2 minutos e 30 segundos.

A punição mais dura da Corte Eleitoral às vésperas do segundo turno é uma resposta à insistência das campanhas presidenciais de continuar com ataques nas propagandas, sem usar o espaço para apresentar propostas ao eleitorado. Até o início da noite desta segunda, foram concedidas três liminares para não só proibir reprises de programas mas também retirar o tempo das coligações.

Na última quinta-feira, o TSE decidiu adotar uma postura mais interventora para coibir as peças com ataques pessoais que vinham sendo veiculadas desde o primeiro turno das eleições. O entendimento anterior da Corte, mais “minimalista”, permitiu que as campanhas de Dilma e Aécio atacassem diretamente a então candidata do PSB, Marina Silva, chamada de inexperiente e até comparada aos ex-presidentes Fernando Collor e Jânio Quadros, que não terminaram os mandatos. Com Marina fora do segundo turno a agressividade continuou na disputa entre a petista e o tucano o que levou a uma primeira mudança de postura do TSE.

Contudo, o entendimento reservado dos ministros é de que as decisões tomadas pelo tribunal de apenas suspender liminarmente as propagandas das duas campanhas desde quinta-feira têm sido inócuas para acabar com os ataques de parte a parte. Por essa razão, os ministros discutiram entre eles o endurecimento das decisões. E aí entenderam que, além de suspender as peças, seria necessário cassar o tempo das propagandas dos candidatos. “Primeiro tentamos informar as campanhas qual é o limite, mas vimos que as propagandas (com ataques) prosseguiram. Tivemos preocupação de não haver um descumprimento do entendimento do tribunal”, disse o ministro Admar Gonzaga, do TSE. “Serve para as campanhas entenderem que a regra é para valer.”

Gonzaga foi também o relator da representação protocolada pela campanha de Aécio que questionava uma propaganda na qual acusava o tucano de não respeitar as mulheres. A peça mostrava uma montagem com declarações de Aécio de debates em que chama Dilma e a candidata derrotada do PSol, Luciana Genro, de “levianas”. Com a nova postura do TSE, Gonzaga retirou os 4 minutos das inserções da petista. Em outra representação, o mesmo ministro Admar determinou a perda de 36 segundos do tempo de rádio da campanha de Dilma por terem feito uma paródia do hino não-oficial de Minas Gerais com o adversário. “Oh, Minas Geris, quem conhece Aécio não vota jamais!”. A campanha do candidato do PSDB também foi punida com a perda de dois minutos e 30 segundos por ter acusado Dilma de ter prevaricado em relação às investigações da Operação Lava Jato, que investiga irregularidades na Petrobrás.

Arma eleitoral

Durante a campanha, as inserções têm sido uma poderosa arma dos marqueteiros para convencer o eleitor por serem veiculadas ao longo da programação diária no rádio e na TV, ao contrário do horário eleitoral gratuito, com horários definidos. No segundo turno, cada candidato à Presidência tem sete minutos e 30 segundos em inserções diariamente. Elas podem ter de 15, 30 ou 60 segundos. De hoje a sexta-feira – último dia para a propaganda gratuita – cada um dos candidatos teria direito a 30 minutos de inserções, portanto. Isso sem contar os descontos aplicados ontem.

Ministros acreditam que, com a cassação do tempo na TV, as campanhas passarão a respeitar a determinação do TSE e fazer inserções mais propositivas, com receio de, na reta final, perderem tempo de propaganda. Até o início da noite de ontem, 28 representações questionavam propagandas dos adversários após a mudança de entendimento do tribunal. Em todas elas que já foram analisadas, o TSE decidiu suspender as propagandas. De todas essas, três mais recentes eram para cassar o tempo das propagandas. Sete ainda estavam pendentes para serem analisadas até o início da noite de hoje.

(Fonte: Estadão Conteudo)


Vox Populi: Dilma tem 52%; Aécio, 48%

O instituto Vox Populi divulgou números da corrida presidencial na noite desta segunda-feira (20). De acordo com o levantamento, a presidente Dilma Rousseff (PT) aparece numericamente na frente do senador mineiro Aécio Neves (PSDB), com 52% dos votos válidos, contra 48% do tucano. Com a margem de erro de 2,2 pontos percentuais, os candidatos estão tecnicamente empatados.

A pesquisa, encomendada pela TV Record, Record News e R7, aponta ainda que, se levados em conta os votos brancos e nulos, Dilma aparece na frente com 46% das intenções, enquanto que Aécio registra 43% da preferência do eleitorado. O levantamento aponta que brancos e nulos somam 5%, e eleitores indecisos somam 5%.

O instituto ouviu 2 mil eleitores entre os dias 18 e 19 de outubro em 147 cidades do País. O levantamento foi registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-01136/2014.


Base manobra e depoimento do doleiro à CPI é adiado

Preocupado com o impacto de declarações de Alberto Youssef às vésperas das eleições, o governo conseguiu adiar o depoimento do doleiro na CPI que investiga a corrupção na Petrobras. Após intensa mobilização do Palácio do Planalto, o depoimento de Youssef deverá agora ser realizado na quarta-feira, dia 29, três dias depois do segundo turno da disputa presidencial.

“Para as investigações não há diferença entre chamá-lo para depor agora ou depois do segundo turno”, afirmou o presidente da CPI mista da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB).

Na semana passada, Vital aventou a possibilidade de o depoimento de Youssef ocorrer nessa quarta, 22, dia em que a CPI ouvirá o atual diretor de Abastecimento da estatal, José Carlos Cosenza. O colegiado já havia aprovado um requerimento de convocação de Youssef e, pelo regimento do Congresso, cabe ao presidente da CPI marcar o dia do depoimento.

Emissários do Planalto passaram, então, a agir para evitar outra surpresa a poucos dias do segundo turno eleitoral. Capitaneada pelo PSDB, a oposição, por sua vez, chegou a irritar Vital, cobrando que o depoimento fosse marcado para amanhã.

O governo tem feito de tudo para evitar mais estragos na campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição. Desde que o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa revelou um esquema de desvio de dinheiro na estatal, beneficiando políticos da base aliada, entre os quais o PT, o PMDB e o PP, a imagem da presidente sofreu abalos.

Partidos que apoiam a candidatura de Aécio Neves (PSDB) à Presidência querem explorar, na CPI da Petrobras, as recentes declarações de Costa e de Youssef. Aliado de Dilma, a quem tem ajudado na campanha em seu Estado, a Paraíba, Vital resiste a acatar as sugestões da oposição, sob o argumento de que a CPI não pode ficar “contaminada” pelo ambiente eleitoral.

Preso pela Operação Lava Jato, Youssef também fez acordo de delação premiada com o Ministério Público, a exemplo de Costa, e prometeu revelar tudo o que sabe em troca de redução de sua pena.

Depois de citar o tesoureiro do PT, João Vaccari, como o homem que recebia a propina dos contratos da Petrobras para o partido, Costa disse na delação premiada que a campanha da ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann recebeu, em 2010, ajuda de R$ 1 milhão, a pedido de Yousseff, como revelou o jornal O Estado de S. Paulo. À época, ela foi eleita para o Senado.

Tanto Gleisi como Vaccari negam as acusações com veemência. “Não conheço Alberto Youssef nem Paulo Roberto Costa”, disse a senadora. “Diante de tantas acusações infundadas, o secretário de Finanças vai processar civil e criminalmente aqueles que têm investido contra sua honra e reputação”, afirmou o tesoureiro do PT, em nota oficial.

Vital afirmou que está encontrando dificuldades para marcar as audiências no período eleitoral, mas negou qualquer pressão do Planalto. Youssef está preso e, segundo o presidente da CPI da Petrobras, é preciso acertar muito bem a logística com a Polícia Federal e com a Justiça Federal do Paraná para que o doleiro viaje a Brasília.

(Fonte: Estadão Conteúdo)


Datafolha votos válidos: Dilma tem 52%; Aécio 48%

Os dois postulantes continuam empatados tecnicamente (Foto:Divulgação)

Atualizada às 19h22

O Datafolha divulgou novos números da corrida presidencial. Nos votos válidos a presidente Dilma Rousseff (PT) aparece pela primeira vez na frente numericamente com 52% contra 48% do candidato Aécio Neves (PSDB). Como a margem de erro é de dois pontos percentuais, os dois estão empatados tecnicamente. No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 15, o tucano tinha 51% e a petista, 49%.

O levantamento aponta ainda que, se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos indecisos, os votos totais apontam que Dilma tem 46% e Aécio 43%. Brancos e nulos e nenhum somam 5% e não sabem, 6%. A amostra anterior do DataFolha, o tucano tinha 45% e a petista 43%.

O candidato Aécio Neves aparece pela primeira vez com uma rejeição maior que Dilma. Segundo o Datafolha, 40% dos entrevistados não votariam de jeito nenhum no tucano, já outros 39% disseram que não escolheriam a petista.

O Datafolha ouviu 4.389 eleitores nesta segunda-feira (20). A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01140/2014.


Dilma diz que era generosa ao elogiar Aécio

A presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), disse que era generosa e por isso elogiou, em 2009, a gestão de Aécio Neves (PSDB) à frente do governo de Minas Gerais. “Eu era generosa, muito generosa, eu diria excessivamente generosa. Eu fiquei bastante crítica, porque nós conhecemos as pessoas, acabamos conhecendo, infelizmente”, disse nesta segunda-feira, 20, em coletiva de imprensa.

A fala de Dilma, ainda enquanto ministra da Casa Civil do governo Lula, é usada na propaganda eleitoral do agora adversário na disputa presidencial. Aécio governou Minas de 2003 a 2010.

Dilma comentou brevemente o debate de ontem na TV Record. Repetiu o que havia sido por correligionários, dizendo que o encontro foi mais propositivo. “Foi um debate de nível, não houve agressão”, avaliou.

(Fonte: Estadão Conteudo)


Priscila acusa Dilma de não repassar recursos para PE

Democrata disse que Dilma usa recursos para beneficiar seu projeto de poder (Foto: Mauro Rodrigues/Arquivo)

Deputada eleita pelo DEM, Priscila Krause acusou a presidente Dilma Rousseff (PT) de parar de enviar recursos para obras do Governo do Estado e da Prefeitura do Recife. Aliada do candidato Aécio Neves (PSDB) nas eleições presidenciais, as críticas da democrata conciliam com o discurso do prefeito Geraldo Julio (PSB). A parlamentar faz oposição ao socialista.

“Desde o ano passado que Dilma parou de mandar verbas para obras importantes do Governo do estado e da Prefeitura do Recife. Foi assim com a navegabilidade do Rio Capibaribe e, especificamente, os convênios com a Prefeitura do Recife, as obras desandaram”, relatou Priscila, em sua conta no Facebook, nesta segunda-feira (20).

De acordo com a democrata, a presidente Dilma deixou de repassar recursos para “usar dinheiro público para beneficiar um projeto de poder de um partido político”.

“As obras do Geraldão estão atrasadas em um ano, porque o Governo Federal não mandou um real sequer dos 20 milhões conveniados. E ainda mais grave: o hospital da mulher. Dos R$ 48 milhões de reais de responsabilidade de Dilma, apenas um milhão foi repassado para o hospital”, disse.


Câmara se reúne com bispos e ouve sugestões

Na reunião, o socialista afirmou que o seu governo fará as parcerias que forem necessárias com a Igreja Católica (Foto: Divulgação)

O governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), se reuniu, nesta segunda-feira (20), com o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, e com bispos de diversas regiões do Estado e apresentou suas prioridades quando assumir a gestão, em janeiro de 2015. Na reunião, o socialista afirmou que o seu governo fará as parcerias que forem necessárias com a Igreja Católica.

Também estiveram presentes no encontro o vice-governador eleito, Raul Henry (PMDB), o presidente do PSB, Sileno Guedes, a deputada estadual Terezinha Nunes (PSDB), o secretário estadual da Criança e da Juventude, Pedro Eurico, e o ex-vereador Josenildo Sinésio.

“Procurei andar por todo o Estado e conversar com as pessoas com o objetivo de construir um Programa de Governo que tenha as contribuições locais e permita ter um diagnóstico preciso do que vamos fazer nos próximos quatro anos”, explicou Câmara. Os bispos apresentaram reivindicações regionais nas áreas de saúde, educação, estradas, combate às drogas e atendimento aos dependentes químicos.

O governador eleito renovou seus compromissos com a questão da saúde e falou também do seu compromisso com a universalização do acesso às escolas de tempo integral para os estudantes do ensino médio e a implantação do tempo integral também no ensino fundamental.

“Vamos fazer as parcerias que forem necessárias com a Igreja Católica. Vamos estar sempre juntos para mudar as vidas das pessoas. Vou buscar honrar essa confiança que os pernambucanos colocaram em mim”, disse Paulo Câmara.

Os bispos vão elaborar um documento com sugestões e reivindicações das várias paróquias, que será encaminhado posteriormente a Paulo Câmara.


Marcelo Rossi: “Não votem em religiosos”

Religioso disse que é contra a eleição de um religioso (Foto: TV GLOBO / Matheus Cabral)

Um dos padres mais conhecidos da Igreja Católica do País, Marcelo Rossi, afirmou que é contra a eleição de um religioso para um cargo público. Segundo ele, religião e política não podem andar juntas. A entrevista foi concedida no Portal Terra, que foi divulgada nesta segunda-feira (20).

“Ou você é um líder religioso, ou você é um líder político. Pode colocar minhas palavras: “Nunca vote em nenhuma pessoa religiosa”. A Igreja Católica viveu isso, a união de Estado, política e religião. Foi a pior fase. Pode ver que a Igreja Católica é a única que não tem candidato. Ela pode até dizer que gosta, mas nunca indica”, frisou o religioso.

Rossi também afirmou que tem medo dos “fanáticos religiosos”. “Fuja dessas pessoas, que são as mais perigosas e as que se corrompem mais facilmente”, argumentou.


Dilma participa de carreatas de dois candidatos no Rio

Dilma participa de carreata com Marcelo Crivella (Foto: Ichiro Guerra/Divulgação)

Vida de candidata no segundo turno é uma dureza. Em um mesmo dia, a presidente Dilma Rousseff (PT), que busca a reeleição, participou de carreatas com dois candidatos que são adversários no segundo turno no Rio de Janeiro: Marcelo Crivella (PRB) e Luiz Fernando Pezão (PMDB). O PT apoia os dois postulantes no Estado.

A primeira carreata ocorreu em Cabuçu, no bairro de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na ocasião, Dilma não chegou a pedir nominalmente que a população votasse no candidato.

Após o evento com Crivella, Dilma participou de carreata com o governador Luiz Fernando Pezão, candidato à reeleição. Ela seguiu por Bangu e Padre Miguel, na zona Oeste da cidade. Dilma não discursou no ato, apenas desfilou no carro ao lado dele e do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB).

Dilma também participou de ato com Pezão e Eduardo Paes (Foto: Ichiro Guerra/Divulgação)


PT aprova aumento do teto de gasto da campanha

A executiva nacional do PT aprovou na manhã desta segunda-feira a elevação em R$ 40 milhões do teto de gastos das campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição. De acordo com a decisão aprovada pelo PT, o limite de gastos da campanha de Dilma vai de R$ 298 milhões para R$ 338 milhões.

Antes do aumento, a previsão de gastos da campanha petista já era a maior entre os candidatos a presidente. Aécio Neves (PSDB) registrou teto de R$ 290 milhões e Eduardo Campos (PSB), substituído por Marina Silva, estipulou um limite de R$ 150 milhões. Segundo fontes petistas, a elevação do teto de gastos é uma manobra contábil. O objetivo é incluir nas contas de Dilma gastos com material produzidos por candidatos a governador que estamparam a imagem da presidente em seus panfletos e santinhos.

Algumas campanhas estaduais, como a do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, em São Paulo, registraram despesas muito acima dos valores arrecadados. Os números ainda não foram fechados mas o prejuízo é dado como certo. Transferir parte das dívidas para a campanha nacional é uma forma de reduzir a pressão financeira sobre os candidatos estaduais. Além disso, o PT terá que cobrir os gastos assumidos por candidatos a cargos legislativos que, a pedido da direção nacional, mantiveram suas estruturas funcionando no segundo turno em benefício da campanha de Dilma.

Em São Paulo, por exemplo, cabos eleitorais que trabalharam para candidatos a deputado federal e estadual continuam nas ruas carregando bandeiras do PT. Os militantes engajados nas campanhas proporcionais têm rodado o chamado cinturão vermelho, formado por bairros que historicamente votam majoritariamente do PT, batendo de porta em porta para distribuir material e pedir votos para a petista.

O tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, citado pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa como operador de um esquema de propinas para o PT na estatal, participou da reunião da executiva. Depois de aprovado, o aumento do limite de gastos deve ser registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

(Fonte: Estadão Conteúdo)


Sileno diz que Amaral atuava em favor do PT

O presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, disparou, nesta segunda-feira (20), contra o ex-presidente nacional da legenda, Roberto Amaral, por discordar com a posição do partido de apoiar Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República. Na semana passada, o ex-dirigente gravou um depoimento para o guia da campanha de Dilma Rousseff (PT).

Sileno avaliou que a participação foi ruim para Dilma e que, se fosse ela, não teria utilizado o depoimento na inserção. “Ruim para Dilma, se eu fosse Dilma, não teria colocado. É uma posição que foi fragorosamente derrotada no partido, a comissão executiva se posicionou, ela mostrou uma posição isolada do partido. Um membro do partido que não acatou a decisão da maioria, não sei qual o grau de representatividade que Amaral dá participando do guia eleitoral da presidente”, disparou.

O presidente da legenda também afirmou que a ação mostra “mais uma vez a interferência da candidatura de Dilma nas questões internas do partido” e criticou a iniciativa por parte de Amaral. “Não é que tenha tentado interferir, agora a gente vê que tem alguém a serviço disso, né. Esse alguém era nada mais nada menos que o presidente do partido interino”, disse.

Com informações de Carol Brito, da Folha de Pernambuco


Dirceu pede ao STF para ir para regime aberto

Representação foi movida por advogado contra o ex-ministro (Foto: Reprodução)

A defesa do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu pediu nesta segunda-feira (20) ao ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorize a transferência dele do regime semiaberto para o aberto. Dirceu cumpre pena de 7 anos e 11 meses de prisão por envolvimento com o esquema do mensalão. Mas, de acordo com a defesa, já conquistou o direito de ir para o regime aberto que, em Brasília, é cumprido em prisão domiciliar.

A expectativa é de que Barroso autorize a transferência, uma vez que ele atendeu a pedido semelhante de outros condenados por participação no mensalão, entre os quais, o ex-deputado federal José Genoino e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. Antes de ir para casa, Dirceu terá de passar por uma audiência com um juiz em Brasília. Na audiência, o magistrado explicará as regras do regime aberto, entre as quais a proibição de conviver com outros condenados.

O ex-ministro José Dirceu conseguiu reduzir o tempo na prisão porque nesse período trabalhou e estudou. Ele deu expediente no escritório do advogado José Gerardo Grossi. Hoje, Dirceu conquistou o direito à progressão de regime. No entanto, o Ministério Público será consultado sobre a conveniência de ele ser transferido para casa.

O ministro Barroso diz não ter recebido nenhum pedidos, ainda. “Não há nenhum requerimento que eu tenha recebido até agora. O ministro José Dirceu tal como Delúbio Soares, Roberto Jefferson, Marcos Valério, para mim são todos iguais”, disse, afirmando que um dos mandamentos da jurisdição constitucional é não discriminar as pessoas.

“Quando der a hora dele, na forma da lei, vou autorizar. Enquanto não der a hora dele na forma da lei não vou”, afirmou.

(Fonte: Estadão Conteúdo)