Entidades reeditam campanha de combate à corrupção

Por Anderson Bandeira
Da Folha de Pernambuco

A Ordem dos Advogados do Brasil seccional Pernambuco (OAB-PE), Arquidiocese de Olinda e Recife e a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) irão reeditar nestas eleições a campanha de combate à corrupção eleitoral no Estado. A proposta, realizada nas últimas eleições, visa a alertar a população sobre a importância do voto consciente. Nesta quarta-feira (23), representantes das três entidades se reuniram na sede da Arquidiocese, no Recife, a fim de sacramentar a reedição e discutir detalhes sobre a campanha que terá como slogan “Voto não tem preço. Voto tem consciências”.

De acordo com o presidente da OAB-PE, Pedro Henrique Reynaldo Alves, a ideia é lançar o programa já no início do próximo mês. Segundo ele, amanhã haverá uma nova rodada de discussões para tratar questões operacionais da campanha como o modelo e formato. Na ocasião, Alves informou que será discutida ainda a retomada de um comitê contra a corrupção eleitoral que também funcionou na eleição passada.

“A nossa ideia é fazer uma campanha educativa, fazer publicidade e ao mesmo tempo criar uma rede para coletar denúncias. Com as denúncias, vamos filtrá-las e encaminhar para o Ministério Público Eleitoral e a Justiça Eleitoral”, antecipou. Pedro disse também que no site da instituição terá uma ouvidoria para a população denunciar casos de corrupção no período de campanha eleitoral.


Campos e Paulo Câmara cancelam agendas

Em decorrência da morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, o candidato à Presidência da República do PSB, o ex-governador Eduardo Campos, cancelou sua agenda desta quinta-feira (24). O pessebista faria palestra no estado do Acre.

Já o candidato ao Governo de Pernambuco do PSB, Paulo Câmara, tomou a decisão de suspender por 24 horas as atividades de sua campanha de rua em todo o Estado.


Jurandir vê contradição em Geraldo com propaganda

Em entrevista ao programa Folha Política, da Rádio Folha FM 96,7, o vereador do Recife Jurandir Liberal (PT) afirmou que o prefeito Geraldo Julio (PSB) devia cuidar da cidade e reeditar a iniciativa de retirar das ruas a propaganda eleitoral, assim como fez em 2012, quando disputou ao cargo de chefe do Executivo municipal. O petista integra a coligação Pernambuco Vai Mais Longe, encabeçada pelo candidato a governador Armando Monteiro Neto (PTB), que busca uma campanha com menos poluição visual e sonora.

“Quando Geraldo Julio foi candidato a prefeito, ele colocou a cidade praticamente amarela, com placa em todo canto. Mas logo em seguida ele disse que não queria a cidade suja, que fez uma pesquisa, retirou todas as placas”, disse Jurandir Liberal, insinuando, ainda, que o material, à época, foi repassado aos vereadores.

“Agora, o prefeito Geraldo Julio que devia cuidar da cidade, agora ele é prefeito, podia mais uma vez dizer ‘eu quero a cidade limpa’. É o coordenador da campanha de Paulo. E tão querendo sujar de novo a cidade. Então, é uma contradição. Se naquela época que ele retirou as placas que estavam sujando a cidade, por que agora essas placas não sujam?”, questionou o petista.


“Debate sobre técnico e político é enviesado”

(Léo Motta/Folha de Pernambuco)

Colocado em uma das pontas no debate entre candidato político e o técnico, o postulante da coligação Pernambuco Vai Mais longe, senador licenciado Armando Monteiro Neto (PTB), considerou esse debate “enviesado”. Ele afirma que não consegue ver como uma pessoa se apresente para liderar “que não seja pela via da política”.

“É preciso ter a compreensão de que um técnico domina alguns processos, mas não tem sentido de direção. Não há espaço para as improvisações. O governador tem que ser alguém que saiba dar o sentido, o direcionamento técnico”, afirmou o trabalhista, durante homenagem que recebeu do Caxangá Ágape, nesta quarta-feira (23).

Armando afirmou que tudo que aconteceu com Pernambuco, se deu porque havia uma liderança. “Se já provamos do melhor, não vamos fazer experimentalismo. Porque, na vida pública, experimentalismo pode ter um preço muito alto”, disparou.

O candidato do PTB ainda aproveitou para alfinetar o discurso da nova política, adotado pelo candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, e reproduzido no Estado pela Frente Popular. Armando ponderou que “não existe a nova ou velha política”. “O que existe é a boa e a má política”, provocou, acrescentando que “nenhuma sociedade prescinde da política como processo de transformação e de evolução da sociedade”.

O evento, ocorrido em um restaurante em boa Viagem, contou com a participação maciça dos petistas. Deputados estaduais e candidatos proporcionais do PT fizeram questão de marcar presença.

A saudação ao candidato foi feito pelo senador Douglas Cintra e o petebista recebeu a homenagem ao lado do pai, Armando Monteiro Filho, e de familiares.


Políticos lamentam falecimento de Ariano Suassuna

Após a divulgação da morte de Ariano Suassuna, vários políticos de Pernambuco lamentaram o falecimento do escritor e dramaturgo. Confira alguns depoimentos:

Paulo Câmara (PSB), candidato ao Governo do Estado
“O Brasil perde muito com a morte do mestre Ariano que tanto contribuiu com a cultura, defensor intransigente das nossas raízes, e que no campo político sempre esteve junto com as forças populares com Pelópidas Silveira, Miguel Arraes e Eduardo Campos. Isso é uma perda irreparável para todos nós”.

Raul Henry (PMDB), deputado federal 
“Eu acho que Ariano era a maior expressão da cultura nordestina e brasileira. Vejo na obra dele a criação de uma nova estética. Só quem consegue isso são os gênios da arte”, afirmou o parlamentar, completando que a obra de Ariano representa uma síntese entre o erudito e o popular.

Jarbas Vasconcelos (PMDB), senador
“Ariano Suassuna deixará uma lacuna irreparável na cultura brasileira, não apenas por sua ampla e diversificada contribuição à literatura, ao teatro, às artes plásticas, mas por sua defesa apaixonada da arte popular, das raízes da formação histórica e cultural do nosso povo. Ficamos também sem uma grande figura humana. Um mestre na mais completa acepção da palavra.

Um dos momentos mais emocionantes para mim foi quando encontrei Ariano no aeroporto, não lembro se no do Recife ou no de Brasília. Ele conversou sobre a minha primeira eleição para prefeito do Recife e fez questão de cantar todinho o meu jingle. Foi de arrepiar. Esse era Ariano Suassuna. Vai deixar saudades”.

Geraldo Julio (PSB), prefeito do Recife
“Ariano foi além das palavras. Será, para sempre, um mestre que nos deixa lições de vida, uma aula repleta de bons exemplos, dignidade e respeito ao próximo. Mais que talento único, tinha uma genialidade criativa generosamente colocada à disposição da humanidade. Sua identidade com a nossa cidade, que o acolheu e que ele adotou, criou uma relação eternizada em sentimentos e na sua arte, engajada, que encanta e ensina”, declarou o prefeito.

João Paulo (PT), deputado federal 
“Com a morte de Ariano Suassuna, a cultura nordestina e brasileira perde um dos maiores nomes da literatura e das artes em geral. Perde um lutador pelo resgate e valorização da nossa cultura. Mais que qualquer outro escritor, Ariano foi capaz de ser universal a partir de seu universo regional. Foi erudito, foi popular. Dos momentos de convivência com Ariano, só guardo alegria, bom humor e grandes ensinamentos”.

Humberto Costa (PT), senador
“Ele foi, sem dúvida, um dos mais autênticos artistas e escritores que nós já tivemos. Além de ser uma pessoa humana encantadora, era um homem de bem com a vida. Para todos nós, é muito triste viver esse momento. Ele que era o paraibano mais pernambucano que se poderia conhecer. Acho que o Brasil todo hoje chora essa perda porque Ariano representava uma grande unanimidade no nosso país”.

O parlamentar ressaltou que o escritor também sempre foi uma pessoa com posições políticas firmes e que era próximo da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula. “Ele desenvolveu com os dois uma relação de enorme proximidade. Ambos tinham a maior admiração possível por ele. Se tiverem condições, acredito até que Dilma e Lula deverão estar no sepultamento para prestar uma última homenagem a esse que, sem dúvida, é um ícone da nossa cultura”, afirmou.

Dilma Rousseff (PT), presidente da República
“O Brasil perdeu hoje uma grande referência cultural. Escritor, dramaturgo e poeta, Ariano Suassuna foi capaz de traduzir a alma, a tradição e as contradições nordestinas em livros como Auto da Compadecida e Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta. A obra de Suassuna é essencial para a compreensão do Brasil.
Guardo comigo ótimas recordações de nossos encontros e das suas histórias.
Aos familiares, amigos e leitores, meus sentimentos neste momento de perda.

Dilma Rousseff
Presidenta da República Federativa do Brasil”

Fernando Bezerra Coelho (PSB), candidato a senador
“Foi com imenso pesar que recebi a notícia do falecimento de Ariano Suassuna, um dos maiores expoentes da literatura mundial. Sertanejo, Ariano sempre foi um grande exemplo para todos nós, de luta, dedicação e fé. Trabalhamos juntos pela primeira vez no governo do saudoso Miguel Arraes e aprendi muito com ambos. Ariano era um homem engajado no campo da política e tantas vezes militamos juntos. Em 2006, quando poucos acreditavam na vitória da Frente Popular, era ele que nos animava, nos entusiasmava. Hoje perdemos um patrimônio cultural. Um amigo e alguém que, mesmo sendo erudito, conhecia como poucos a linguagem popular. Que Deus possa confortar os familiares e os milhares de admiradores que ele conquistou mundo afora”.

José Queiroz (PDT), prefeito de Caruaru
O prefeito José Queiroz, expressando o sentimento de Caruaru, lamenta o falecimento do dramaturgo, escritor e membro da Academia Brasileira de Letras, Ariano Suassuna, defensor incansável e entusiasta da cultura popular nordestina.
Que a família enlutada, o povo pernambucano e os inúmeros admiradores do grande artista se sintam confortados, embora saudosos. Ariano nos deixa um legado de valor criativo transcendental e autêntico em suas raízes. Um verdadeiro passaporte para um lugar privilegiado na eternidade.

Jorge Côrte Real (PTB), deputado federal
“O Brasil perde, Pernambuco perde, todos nós perdemos com a morte do escritor Ariano Suassuna, o mais pernambucano dos paraibanos que conhecemos. O seu legado para a cultura ficará por todas as gerações, com belas obras e, nos últimos anos, compartilhando conhecimento de uma maneira alegre e, sobretudo, fortalecendo as raízes nordestinas, por meio de suas aulas-espetáculos. Onde quer que esteja, obrigado, Ariano!”.

Izaías Régis (PTB), prefeito de Garanhuns
“Recebemos com grande pesar a notícia da morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna. Uma grande perda para a cultura e a literatura brasileira. Na última sexta-feira, o paraibano mais pernambucano que já vimos, fez uma belíssima aula espetáculo em nosso Teatro Luís Souto Dourado, no Centro Cultural Alfredo Leite e como sempre encantou a todos.

Numa triste coincidência, Ariano se foi no mesmo dia que no ano passado sofríamos com a perda do Mestre Dominguinhos, em pleno Festival de Inverno de Garanhuns. Dois grandes artistas que levaram a cultura popular e as histórias do Nordeste para o mundo, um por meio da música e outro por meio da literatura.

Em Garanhuns, iremos decretar o luto oficial de três dias pela morte do grande Ariano Suassuna e externamos à família e aos amigos os nossos sinceros sentimentos”.

Raquel Lyra (PSB), deputada estadual
“Pernambuco, a literatura e a cultura brasileira, principalmente a nordestina, perde um grande nome com a morte do mestre Ariano Suassuna. Ariano, que era paraibano, mas que tinha Pernambuco em seu coração, também era presidente de Honra do Partido Socialista Brasileiro (PSB), e sempre nos presenteou com seus ensinamentos de um “realista esperançoso”. Neste momento de dor, presto minha solidariedade aos familiares, amigos e admiradores da obra e da pessoa que foi esse grande mestre”.

Lula e dona Marisa Letícia
“É imensa a tristeza de receber a notícia de que um amigo tão querido como Ariano Suassuna nos deixou. Este paraibano de língua afiada, alma solidária, escrita ao mesmo tempo simples e profunda sempre nos honrou com sua amizade.

Ariano fez muito pelo povo brasileiro através de suas palavras, sabedoria popular e compromisso político. Um escritor premiado e reconhecido, que nunca se esqueceu que era um homem do povo. Cresceu no sertão do nordeste e traduziu tantas vezes em seus textos as alegrias e os sofrimentos dos brasileiros.

Ariano representou com coerência e grandeza a cultura do nordeste e do país.
Com enorme tristeza, me solidarizo com seus familiares, amigos e admiradores.
Como escritor e como militante das causas populares, Suassuna continuará vivo em nossos corações.

Dona Marisa Letícia e Luiz Inácio Lula da Silva”


Governador decreta luto de três dias em Pernambuco

Governador lembrou da importância do escritor para o País (Foto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco)

Por Geison Macedo
Com informações de Carol Brito, da Folha de Pernambuco

Após a confirmação da morte do escritor paraibano Ariano Suassuna, vários políticos foram ao Real Hospital Português (RHP) para prestar condolências aos familiares. Nomes como o governador de Pernambuco, João Lyra Neto, o ex-governador Eduardo Campos e o senador Jarbas Vasconcelos estiveram na unidade de saúde, nesta quarta-feira, e lamentaram a perda de Ariano. João Lyra decretou luto oficial de três dias no Estado.

Em conversa com a imprensa, o líder do Executivo Estadual lembrou da importância do escritor para o País. “Pernambuco e Brasil perdem uma das suas maiores figuras que participam da cultura brasileira. Como governador, quero levar meus sentimentos de muita tristeza, mas também de alegria por ter o privilégio de ter convivido com Ariano”, declarou João. O governador enfatizou também a participação de Suassuna na política, citando o cargo de presidente de honra do PSB e na presença em várias campanhas eleitorais do partido.


Morte de Suassuna é perda irreparável, diz Renan

Agência Brasil (Brasília) – A morte do escritor, dramaturgo e poeta Ariano Suassuna é “uma perda irreparável para a cultura nacional”, disse nesta quarta-feira (23) o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Logo após a confirmação da morte de Suassuna, Renan divulgou nota pública lamentando a perda. O escritor morreu nesta tarde, aos 87 anos, no Real Hospital Português, no Recife.

“Ao longo de 87 anos, Ariano soube como poucos revelar as nuances da cultura nordestina. Paraibano, fundou o Movimento Armorial nos anos 70, que tinha como objetivo utilizar a cultura popular para formar um arte erudita. A perda do escritor nos silencia, mas seus livros o eternizam na nossa memória. Em cada peça popular, em cada canto nordestino, Ariano Suassuna, reviverá”, diz o texto.

Internado desde segunda-feira (21) por causa de um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico, Suassuna sofreu parada cardíaca provocada por hipertensão intracraniana, por volta das 17h de hoje. Os detalhes do funeral ainda não foram divulgados.

Nascido em João Pessoa, quando a capital paraibana ainda se chamava Nossa Senhora das Neves, em 1927, ainda adolescente, Ariano Vilar Suassuna foi morar no Recife, onde terminou os estudos secundários e deixou seu nome marcado na cultura literatura brasileira, especialmente no teatro e na literatura. Sua obra mais conhecida é O Auto da Compadecida, que foi encenada no teatro e gravada para o cinema. O Santo e a Porca, Farsa da Boa Preguiça e Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta também fazem parte de sua herança. A maioria delas foi traduzida para outros idiomas, como francês, alemão, espanhol, inglês e holandês. Em 1989, passou a ocupar a Cadeira nº 32 da Academia Brasileira de Letras.


Eduardo diz que perde um amigo e conselheiro

O candidato do PSB a presidente da República, Eduardo Campos, disse que perde um “amigo e conselheiro”, com a morte do escritor paraibano Ariano Suassuna. Minutos depois da confirmação do falecimento, o socialista falou sobre a importância de Ariano para o Brasil e da sua ligação com o escritor. “Deixa um exemplo de dignidade, que todos devemos seguir. De amor ao povo, de amor à cultura, de amor ao Brasil e de amor à ética.Viva Ariano Suassuna e seu exemplo de vida.”

Eduardo afirmou que o escritor foi “exemplo de humanidade”, que formou muitas pessoas.  ”Também foi um grande professor. Não só na faculdade, como na vida”, exaltou, acrescentando que Ariano “foi um tio, avô, pai, amigo, companheiro, uma referência”. “É uma lacuna muito grande. Hoje eu me despedi dele e agradeci o que ele fez para muitas pessoas. Hoje é um dia de aplaudir uma vida tão bela. A vida de Ariano foi tão bonita quanto as sua obras. A saudade é enorme”, lamentou Eduardo, com a voz embargada. Ouça o áudio da entrevista.


No Face, Dilma homenageia Ariano Suassuna

A página oficial da presidente Dilma Rousseff (PT) no Facebook fez uma homenagem ao escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, que faleceu nesta quarta-feira (23), no Recife, aos 87 anos. Confira, abaixo, a publicação:

(Foto: Reprodução/Facebook)


Armando lamenta morte de Ariano

Momentos após a divulgação da morte do escritor paraibano Ariano Suassuna, o candidato da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Armando Monteiro Neto (PTB), colocou um post na sua página no Facebook lamentando o falecimento.


Velório do Ariano será no Palácio do Campo das Princesas

O velório do escritor paraibano Ariano Suassuna, que morreu às 17h15, no Hospital Português, após parada cardíaca, será velado a partir das 23h no Palácio do Campo das Princesas. O enterro do escritor será nesta quinta-feira, às 16h, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista.


Criador de Dilma Bolada retira página do Face do ar

(Foto: Reprodução/Facebook)

O criador da personagem “Dilma Bolada”, o publicitário Jefferson Monteiro, retirou o perfil do ar nesta quarta-feira (23). O idealizador limitou-se a dizer na sua conta pessoal do Facebook que havia retirado o perfil do ar. “Pra todos que estão perguntando: tirei a Dilma Bolada do ar, ok? Sem drama e sem mimimi”, postou Monteiro. O perfil no Twitter, no entanto, permanecia aberto.

O perfil Dilma Bolada tem mais de um milhão de curtidas no Facebook e 234 mil seguidores no Twitter. Em outubro do ano passado, o perfil foi eleito pela revista Forbes como um dos mais influentes da rede social.

Também no ano passado, a presidente Dilma Rousseff (PT) chegou a receber Jefferson Monteiro no Palácio do Planalto, num encontro entre as duas “Dilmas” pela rede social.

O idealizador do Dilma Bolada foi procurado pelo jornal O Globo, mas não atendeu as ligações para comentar o caso.


Pernambuco Vai Mais Longe instala conselho político

O candidato do PTB ao Governo do Estado, o senador licenciado Armando Monteiro Neto, instalou nesta quarta-feira (23) o conselho político da coligação Pernambuco Vai Mais Longe. O primeiro encontro do grupo já ocorreu nesta manhã e os membros discutiram alguns pontos do plano de governo e a linha de comunicação da campanha.

Entre os objetivos do conselho politico está o de integrar as candidaturas majoritárias e proporcionais nas eleições de outubro deste ano. De acordo com Armando Monteiro Neto, a princípio, o grupo terá uma reunião no início da semana e, quando se fizer necessário, reuniões extraordinárias.

Estiveram presentes, além de Armando Monteiro Neto, os deputados federais João Paulo (PT) e Paulo Rubem (PDT), e os presidentes dos partidos: Belarmino Silva (PTdoB), José Chaves (PTB), Teresa Leitão (PT), Carlos Geraldo (PRB), e Carlos Amaral, representando Carlos Lupi, do PDT.

“Nós queremos que haja sempre um processo integrado e solidário na definição de todos os passos que orientarão nossa campanha. Ainda que o candidato a governador seja de um partido, mas o espírito e a nossa compreensão é de responsabilidades compartilhadas, com a compreensão de que todos aqui têm o papel para o êxito desse projeto”, justificou o senador licenciado.

Para a deputada estadual Teresa Leitão, presidente do PT, a instalação do conselho assegura “uma tranquilidade que é fundamental para a condução da campanha, para a gente não estar se atropelando como a gente tem verificado em alguns posicionamentos”.

“O candidato a senador diz uma coisa, o candidato a governador diz outra, o candidato a presidente já diz outra. Nós estamos na condução do que a gente acha que deve ser a política em relacionamento com a sociedade. Uma campanha não pode se prestar apenas ao voto “, afirmou a parlamentar.

Investigação – Além de detalhar a instalação do conselho político, o senador licenciado Armando Monteiro Neto informou que a coligação Pernambuco Vai Mais Longe pediu ao Ministério Público Eleitoral (MPE) que investigue o possível oferecimento de benefício financeiro para que o PROS apoiasse a candidatura do candidato da Frente Popular ao Governo do Estado, Paulo Câmara (PSB), como foi denunciado em entrevista à Folha de S. Paulo, pelo deputado federal José Augusto Maia (PROS).

Por meio de nota à imprensa, o candidato da Frente Popular ao Governo do Estado, Paulo Câmara (PSB), anunciou que está tomando “todas as medidas judiciais cabíveis” contra os envolvidos.

Com informações de Helena Dias, da Folha de Pernambuco.


Teresa vai seguir estratégia da majoritária

Deputada vai abolir cavaletes das ruas (Foto: Divulgação)

Candidata à reeleição, a deputada estadual Teresa Leitão (PT) vai seguir a estratégia do seu candidato ao Governo do Estado, o senador Armando Monteiro Neto (PTB), e vai abolir o uso de cavaletes em sua campanha por mais um mandato na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

De acordo com a deputada, ela vai priorizar a realização de reuniões, conversas, panfletagem consciente, colagem de adesivos e outras formas de fazer campanha que não promovam a poluição visual e nem atrapalhem a acessibilidade.

A militância de Teresa Leitão usará bandeiras em eventos específicos de campanha, mas se comprometendo em não mantê-las fixas nas calçadas ou locais de circulação de pedestres.

“Claro que vamos fazer panfletos, santinhos e bandeiras. Mas nosso cuidado com a mobilidade, com a limpeza e com o respeito ao próximo será uma tônica na campanha”, afirmou a petista.


Justiça já concedeu registro a mais de 900 candidatos

Agência Brasil (Brasília) – A Justiça Eleitoral já concedeu registro a 921 candidatos que vão disputar as eleições de outubro. A informação faz parte do balanço parcial divulgado nesta quarta-feira (23) pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base no sistema de candidaturas da Justiça Eleitoral, que recebeu 24,9 mil pedidos de registro em todo o país para os cargos de deputado federal, estadual e distrital, senador, governador e presidente da República.

O prazo para solicitação do registro de candidatura terminou no dia 5 deste mês, e os juízes eleitorais têm 21 de agosto para conceder os registros.

Segundo o levantamento, 194 candidatos foram considerados inaptos e tiveram o registro negado. Os motivos são a falta do preenchimento dos requisitos legais, a rejeição das contas referentes ao período em que ocuparam cargo público ou renúncia à candidatura. Esses candidatos podem recorrer das decisões.

O cargo com mais tem candidatos inaptos é deputado estadual (105), seguido por deputado federal (65). Dos 11 pedidos de registro para concorrer à Presidência da República nenhum foi julgado pelo TSE, devido ao recesso na corte.

A entrega do registro não garante a participação do político nas eleições. Após parecer do Ministério Público Eleitoral, os pedidos são julgados por um juiz eleitoral, que verifica se as formalidades foram cumpridas.

Para estar apto a concorrer às eleições de outubro e ter o registro deferido pela Justiça Eleitoral, além de não se enquadrar na Lei da Ficha Limpa, os candidatos devem apresentar declaração de bens, certidões criminais emitidas pela Justiça e certidão de quitação eleitoral que comprove inexistência de débito de multas aplicadas de forma definitiva, entre outros documentos, como previsto na Lei das Eleições (Lei 9.504/97).

Ontem (22), o TSE divulgou o perfil dos candidatos às eleições de outubro. Segundo o tribunal, 24,9 mil candidatos vão concorrer a 1.709 vagas para os cinco cargos em disputa.