Política

O desafio de conquistar o NE

Publicado por Branca Alves, em 29.07.2014 às 11:10

Por Renata Bezerra de Melo
Da Coluna Folha Política

Eduardo Campos é categórico quando o assunto é o resultado que terá nas urnas do Nordeste. “Tenho certeza que vou vencer a eleição no Nordeste”, assegurou durante entrevista ao Canal Livre, exibida domingo. E emendou: “Dilma frustrou os 12 milhões. Dos 12 milhões de votos que ela colocou de diferença sobre o Serra, 11 milhões foi buscar lá (no Nordeste) e não criou identidade com a região”. O detalhe, evidenciado nas pesquisas, é que, embora Campos seja o candidato nordestino, nesta região, é a presidente Dilma quem leva vantagem considerável. Ainda que ela tenha caído, de acordo com a última amostra Datafolha, de 55% para 49%, o crescimento do ex-governador de Pernambuco, no Nordeste, foi de 11% para 12%. Aécio Neves fica em patamar equivalente ao de Campos, com 10%. No Sudeste, onde Aécio, de onde ele é originário, o mineiro empata tecnicamente com Dilma – ela tem 28% e ele, 27%. Com o início do guia, Campos terá o desafio de convencer os “vizinhos”.







Geraldo anuncia sanção do passe livre no Recife

Publicado por Branca Alves, em 28.07.2014 às 18:10

(Foto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco)

Em solenidade na tarde desta segunda-feira (28), o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), anunciou a sanção do Projeto de Lei do Passe Livre, de autoria do Executivo, e o cronograma de execução da lei, sancionada na última quarta-feira (23) e publicada na edição do dia seguinte do Diário Oficial. A norma vai beneficiar cerca de 14 mil alunos do 6º ao 9º ano da rede pública de ensino e terá investimento mensal de R$ 1,053 milhão.

De acordo com o cronograma apresentado pelo secretário de Educação, Jorge Vieira, em agosto será iniciado o cadastramento dos estudantes. Em setembro, a confecção dos cartões e, por fim, em outubro, o início da entrega dos cartões aos alunos.

Cada estudante receberá um cartão eletrônico que virá carregado com 70 passagens. O passe livre poderá ser utilizado durante a semana, para que os alunos possam ir para a escola, assim como durante os finais de semana. Com isso, a Prefeitura do Recife espera que haja a redução da evasão escolar, a contribuição para a economia das famílias, com a redução de R$ 567,60 de gasto por ano, além de servir como um estímulo aos alunos.

O PL do Passe Livre foi enviado à Câmara Municipal no dia 20 de maio. Antes de ser sancionada, a proposta recebeu uma emenda que determina a extensão do passe livre aos acompanhantes dos estudantes com deficiência que comprovadamente necessitem de auxílio de um responsável no trajeto de ida e volta da unidade de ensino.

Para o prefeito do Recife, o ato desta tarde representa um compromisso com o programa de governo. “Tem muita gente que usa a campanha eleitoral para falar, eu e Luciano (Siqueira, vice-prefeito), a gente usou muito a campanha para ouvir também. Para dialogar, para conversar, para fazer um programa de governo. E nessa escuta, a gente viu a importância dessa demanda, dessa reivindicação do passe livre”, disse o socialista.

Na solenidade, o presidente da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas (UMES), Jairo Marques, afirmou que a iniciativa concretiza uma grande luta e vitória para os estudantes. Para ele, os alunos recebem o que os movimentos estudantis lutam há 70 anos – o direito à garantia de acesso à educação.







A construção do discurso

Publicado por Branca Alves, em 28.07.2014 às 10:30

Por Renata Bezerra de Melo
Da Coluna Folha Política

Nos subterrâneos da campanha, aliados juram que o ex-presidente Lula “foge” de um encontro com Eduardo Campos – quer evitar o confronto de olho no segundo turno. Por sua vez, o socialista blinda o petista dos ataques que desfere à presidente Dilma. Embora tal estratégia possa, por vezes, soar contraditória, Eduardo tem razões para isso. Lula jogou luz sobre ele em “N” momentos, inclusive quando o pernambucano estava na planície. Em 2004, alçou-o à condição de ministro da Ciência e Tecnologia. Dois anos depois, na campanha de 2006, mesmo havendo um candidato do PT na corrida pelo Campo das Princesas, o petista colocou Eduardo em seu palanque. Foi nessa circunstância que ocorreu o primeiro comício da reeleição de Lula, em Brasília Teimosa. Lula também era 40. Se a tarefa de livrar Lula dos ataques não é fácil, mais complicado ficaria o discurso para Campos, caso o líder-mor do PT resolvesse disputar. E há aliados dizendo que, em Política, “nada é impossível”.







Defesa: tentam calar os advogados

Publicado por Branca Alves, em 25.07.2014 às 10:22

Por Mário Flávio
Especial para a Folha

CARUARU – A banca de advogados de defesa dos vereadores da Operação Ponto Final voltou a disparar críticas contra a Polícia Civil. O fato agora é um inquérito que, segundo o criminalista Émerson Leônidas, foi aberto contra os profissionais que atuam em defesa dos dez vereadores indiciados. O advogado disse que existe uma tentativa de intimidação por parte de policiais de Caruaru.

“Foi instaurado contra mim e contra os colegas advogados um inquérito policial por conta da nossa defesa. Isso é uma forma de tentar calar os advogados, mas quero dizer que não vamos nos calar de forma alguma. Já ficou claro com esse depoimento que dissemos, tudo passou de uma armação e foi confirmado judicialmente”, disse.

Ele explicou ainda que a defesa entrou com um pedido de habeas corpus para retirar do processo contra os vereadores as escutas telefônicas e ambientais na sala do ex-secretário Marco Casé, que na visão da defesa foram feitas de forma ilegal. Segundo Leônidas, os juristas irão recorrer aos conselhos estaduais e federais, além da seccional da OAB, uma vez que, na visão dele, existe uma tentativa de intimidar os advogados. Ele criticou ainda a maneira que a intimação foi entregue pela Polícia.

“Vejam a ousadia. Um policial civil veio aqui no Fórum durante a audiência me intimar para ir à delegacia. A falta de respeito é tão grande que um ofício sequer foi enviado à OAB, vejam a falta de respeito institucional. Eu tinha quase a certeza que era em razão dessa questão dos vereadores daqui. Os colegas de Recife foram até o delegado e solicitaram a cópia do inquérito e foi confinado. Estamos respondendo a um inquérito pelo que estamos falando na imprensa sobre o processo dos vereadores. Estamos sendo acusados de difamação e injúria, quando se diz que a vítima é a sociedade. O advogado que defende um cliente e que responde a atos arbitrários da Polícia, vai responder a um procedimento investigatório policial. Isso é um absurdo em termos jurídicos e mostra o despreparo de parte da Polícia Civil. Essa tentativa de calar os advogados é uma ofensa ao estado democrático de direito e a toda advocacia brasileira”.

Em nota, a OAB se pronunciou sobre o caso. A instituição disse que “o advogado é inviolável no exercício de sua profissão” e que compete à OAB “investigar e punir advogados que porventura cometam excessos ou desvio de conduta no exercício da profissão”.







Relator quer votar processo de Vargas durante esforço concentrado

Publicado por Branca Alves, em 24.07.2014 às 18:58

Agência Brasil (Brasília) – O deputado Júlio Delgado (PSB-MG), relator do processo contra o deputado André Vargas (sem partido-PR) no Conselho de Ética da Câmara, disse nesta quinta-feira (24) que pretende votar o relatório sobre o processo durante o esforço concentrado da Câmara dos Deputados, marcado para os dias 5 e 6 de agosto.

Vargas, que em abril anunciou a desfiliação do PT, legenda que militou por 24 anos, é investigado por ter atuado em favor de um laboratório que pretendia fechar um contrato com o Ministério da Saúde para fornecimento de remédios. A empresa seria um laboratório de fachada do doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, de combate à lavagem de dinheiro. O deputado nega as acusações.

A intenção do relator era ter liquidado o processo antes do recesso parlamentar de julho, mas como várias testemunhas não compareceram e diversas reuniões do conselho foram adiadas por falta de quórum, a nova previsão teve que ser feita.

O advogado de André Vargas, Michel Saliba, criticou o fato de embora o Conselho de Ética não ter poder de convocação, ter prazo para encerrar os trabalhos. Questionado sobre o não comparecimento de Vargas para se defender no conselho, o advogado explicou que a ida do deputado ao conselho está condicionada a tomada de depoimento de todas as testemunhas de defesa. “Ele quer vir ao Conselho de Ética, mas não comparecerá em uma data açodada. Entendemos açodada, aquela que não respeita a oitiva de todas as testemunhas”, disse, ressaltando que ainda faltam três testemunhas. Hoje, o colegiado ouviu o capitão Paulo Ricardo de Souza, da Marinha, que tem contratos com o laboratório Labogen.

“A gente não tem como ouvir todas as testemunhas, nós temos um prazo de encerramento. É bom lembrar que as testemunhas de defesa já estão no quarto convite”, disse o relator. Segundo ele, todas que estão sendo arroladas pela defesa poderão comparecer até o dia 29, quando já estarão na sexta convocação, inclusive o próprio deputado André Vargas, depois disso, será encerrada a fase de instrução probatória.

“Se o deputado André vargas também não comparecer como parece que não vai fazê-lo, logicamente ele terá no dia que nos apresentarmos o nosso parecer, o nosso voto, a sua defesa por escrito e oral porque ele vai ter o direito também de vir aqui” , garantiu o relator.

Mesmo assim, Delgado admite que o processo de André Vargas só deverá ser totalmente encerrado durante o esforço concentrado, que deve ocorrer na Câmara em setembro. Isso porque após a votação do parecer deve haver apresentação de recurso por parte de Vargas tanto à Justiça como à Comissão de Constituição e Justiça da Casa.







Dilma cancela agenda e vem para velório de Ariano

Publicado por Branca Alves, em 24.07.2014 às 10:20

Em decorrência da morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, nesta quarta-feira (23), a presidente Dilma Rousseff (PT) cancelou a agenda desta quinta-feira (24) no Rio de Janeiro e vem para o Recife para acompanhar os funerais de Ariano. A presidente deve desembarcar na capital pernambucana por volta das 13h.

No Rio, Dilma visitaria as obras de integração do FPSO Cidade de Mangaratiba, das sondas de perfuração do pré-sal, em Angra dos Reis, e as obras do Parque Olímpico e Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca.

Por meio de nota, nesta quarta-feira, Dilma lamentou a morte do escritor paraibano. “O Brasil perdeu hoje uma grande referência cultural. Escritor, dramaturgo e poeta, Ariano Suassuna foi capaz de traduzir a alma, a tradição e as contradições nordestinas em livros como Auto da Compadecida e Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta”, diz num trecho da nota.

O corpo do escritor, poeta e dramaturgo Ariano Suassuna começou a ser velado por volta das 23h de ontem, no Palácio do Campo das Princesas – sede do Governo de Pernambuco. O corpo fica no local até as 15h desta quinta-feira (24), quando seguirá em cortejo até o Cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, local do enterro. O sepultamento está programado para acontecer às 16h, segundo informações divulgadas pela assessoria do dramaturgo paraibano.

Com informações de Márcio Didier, do Blog da Folha







Ficou escrito e ficou gravado

Publicado por Branca Alves, em 24.07.2014 às 10:00

Por Renata Bezerra de Melo
Da Coluna Folha Política

Quando pesavam disparos contra Lula e Eduardo Campos, no 2º turno da campanha de 2006, Ariano Suassuna foi a estrela no guia eleitoral a desmontar os algozes. Como fator de convencimento, recorria a bem-humorada promessa: “Parem de fazer acusações injustas a Eduardo e a Lula que eu paro de cantar Madeira do Rosarinho”. Na sequência, subia a música com a imagem do escritor em cima do trio elétrico. Ariano gravara, também, naquele ano, para o horário eleitoral de Lula. “É a primeira vez que um [candidato] do povo, que saiu do Brasil real, chegou à Presidência”, dizia ele ao declarar voto. Em 2012, aparaceu pedindo voto para Geraldo Julio. Não deu tempo de gravar fala específica para Paulo Câmara, nem para Eduardo, este ano, mas imagens dele nos atos da campanha estão salvas. “Vamos homenageá-lo sem dúvida nenhuma. Foi uma pessoa importante. Como Dr. Arraes e Pelópidas Silveira, merece toda nossa deferência”, observou Paulo Câmara, por telefone, a caminho do hospital.

Ariano chegou à caminhada de Geraldo Julio, no centro do Recife, sem avisar para não preocupar. “Não sou político. Sou um escritor que sabe da importância da política”, comentara naquele dia

Próximos capítulos
“A dor é profunda e pessoal. A política aí é totalmente secundária”. A observação é do marqueteiro Edson Barbosa que acompanhou a captação de inúmeras imagens do convívio entre o escritor e Eduardo Campos. “Tem muita coisa legal que ele dizia sobre Eduardo gravada e podem ser usadas”, considerou Edson, que, hoje, está à frente da campanha eleitoral de Paulo Câmara.

Adeus - Assim como Eduardo Campos, Paulo também tinha Ariano como padrinho. A última vez que esteve com o escritor foi no “Encontro com Amigos de Paulo”, no último dia 7. “Agradeci por ele ser um dos meus padrinhos, me deu abraço forte e disse que contasse com ele sempre’, recorda Câmara.

Presente - A despeito da idade avançada, Ariano não se poupava dos atos políticos. Marcou presença no lançamento da candidatura de Paulo Câmara, na convenção, no encontro com artistas.

Quase - Ariano não chegou a gravar depoimento, mas Paulo havia feito visita à casa do escritor e a relação ia se estreitando a caminho de uma aparição no guia.







Campos e Paulo Câmara cancelam agendas

Publicado por Branca Alves, em 23.07.2014 às 21:15

Em decorrência da morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, o candidato à Presidência da República do PSB, o ex-governador Eduardo Campos, cancelou sua agenda desta quinta-feira (24). O pessebista faria palestra no estado do Acre.

Já o candidato ao Governo de Pernambuco do PSB, Paulo Câmara, tomou a decisão de suspender por 24 horas as atividades de sua campanha de rua em todo o Estado.







Políticos lamentam falecimento de Ariano Suassuna

Publicado por Branca Alves, em 23.07.2014 às 20:00

Após a divulgação da morte de Ariano Suassuna, vários políticos de Pernambuco lamentaram o falecimento do escritor e dramaturgo. Confira alguns depoimentos:

Paulo Câmara (PSB), candidato ao Governo do Estado
“O Brasil perde muito com a morte do mestre Ariano que tanto contribuiu com a cultura, defensor intransigente das nossas raízes, e que no campo político sempre esteve junto com as forças populares com Pelópidas Silveira, Miguel Arraes e Eduardo Campos. Isso é uma perda irreparável para todos nós”.

Raul Henry (PMDB), deputado federal 
“Eu acho que Ariano era a maior expressão da cultura nordestina e brasileira. Vejo na obra dele a criação de uma nova estética. Só quem consegue isso são os gênios da arte”, afirmou o parlamentar, completando que a obra de Ariano representa uma síntese entre o erudito e o popular.

Jarbas Vasconcelos (PMDB), senador
“Ariano Suassuna deixará uma lacuna irreparável na cultura brasileira, não apenas por sua ampla e diversificada contribuição à literatura, ao teatro, às artes plásticas, mas por sua defesa apaixonada da arte popular, das raízes da formação histórica e cultural do nosso povo. Ficamos também sem uma grande figura humana. Um mestre na mais completa acepção da palavra.

Um dos momentos mais emocionantes para mim foi quando encontrei Ariano no aeroporto, não lembro se no do Recife ou no de Brasília. Ele conversou sobre a minha primeira eleição para prefeito do Recife e fez questão de cantar todinho o meu jingle. Foi de arrepiar. Esse era Ariano Suassuna. Vai deixar saudades”.

Geraldo Julio (PSB), prefeito do Recife
“Ariano foi além das palavras. Será, para sempre, um mestre que nos deixa lições de vida, uma aula repleta de bons exemplos, dignidade e respeito ao próximo. Mais que talento único, tinha uma genialidade criativa generosamente colocada à disposição da humanidade. Sua identidade com a nossa cidade, que o acolheu e que ele adotou, criou uma relação eternizada em sentimentos e na sua arte, engajada, que encanta e ensina”, declarou o prefeito.

João Paulo (PT), deputado federal 
“Com a morte de Ariano Suassuna, a cultura nordestina e brasileira perde um dos maiores nomes da literatura e das artes em geral. Perde um lutador pelo resgate e valorização da nossa cultura. Mais que qualquer outro escritor, Ariano foi capaz de ser universal a partir de seu universo regional. Foi erudito, foi popular. Dos momentos de convivência com Ariano, só guardo alegria, bom humor e grandes ensinamentos”.

Humberto Costa (PT), senador
“Ele foi, sem dúvida, um dos mais autênticos artistas e escritores que nós já tivemos. Além de ser uma pessoa humana encantadora, era um homem de bem com a vida. Para todos nós, é muito triste viver esse momento. Ele que era o paraibano mais pernambucano que se poderia conhecer. Acho que o Brasil todo hoje chora essa perda porque Ariano representava uma grande unanimidade no nosso país”.

O parlamentar ressaltou que o escritor também sempre foi uma pessoa com posições políticas firmes e que era próximo da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula. “Ele desenvolveu com os dois uma relação de enorme proximidade. Ambos tinham a maior admiração possível por ele. Se tiverem condições, acredito até que Dilma e Lula deverão estar no sepultamento para prestar uma última homenagem a esse que, sem dúvida, é um ícone da nossa cultura”, afirmou.

Dilma Rousseff (PT), presidente da República
“O Brasil perdeu hoje uma grande referência cultural. Escritor, dramaturgo e poeta, Ariano Suassuna foi capaz de traduzir a alma, a tradição e as contradições nordestinas em livros como Auto da Compadecida e Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta. A obra de Suassuna é essencial para a compreensão do Brasil.
Guardo comigo ótimas recordações de nossos encontros e das suas histórias.
Aos familiares, amigos e leitores, meus sentimentos neste momento de perda.

Dilma Rousseff
Presidenta da República Federativa do Brasil”

Fernando Bezerra Coelho (PSB), candidato a senador
“Foi com imenso pesar que recebi a notícia do falecimento de Ariano Suassuna, um dos maiores expoentes da literatura mundial. Sertanejo, Ariano sempre foi um grande exemplo para todos nós, de luta, dedicação e fé. Trabalhamos juntos pela primeira vez no governo do saudoso Miguel Arraes e aprendi muito com ambos. Ariano era um homem engajado no campo da política e tantas vezes militamos juntos. Em 2006, quando poucos acreditavam na vitória da Frente Popular, era ele que nos animava, nos entusiasmava. Hoje perdemos um patrimônio cultural. Um amigo e alguém que, mesmo sendo erudito, conhecia como poucos a linguagem popular. Que Deus possa confortar os familiares e os milhares de admiradores que ele conquistou mundo afora”.

José Queiroz (PDT), prefeito de Caruaru
O prefeito José Queiroz, expressando o sentimento de Caruaru, lamenta o falecimento do dramaturgo, escritor e membro da Academia Brasileira de Letras, Ariano Suassuna, defensor incansável e entusiasta da cultura popular nordestina.
Que a família enlutada, o povo pernambucano e os inúmeros admiradores do grande artista se sintam confortados, embora saudosos. Ariano nos deixa um legado de valor criativo transcendental e autêntico em suas raízes. Um verdadeiro passaporte para um lugar privilegiado na eternidade.

Jorge Côrte Real (PTB), deputado federal
“O Brasil perde, Pernambuco perde, todos nós perdemos com a morte do escritor Ariano Suassuna, o mais pernambucano dos paraibanos que conhecemos. O seu legado para a cultura ficará por todas as gerações, com belas obras e, nos últimos anos, compartilhando conhecimento de uma maneira alegre e, sobretudo, fortalecendo as raízes nordestinas, por meio de suas aulas-espetáculos. Onde quer que esteja, obrigado, Ariano!”.

Izaías Régis (PTB), prefeito de Garanhuns
“Recebemos com grande pesar a notícia da morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna. Uma grande perda para a cultura e a literatura brasileira. Na última sexta-feira, o paraibano mais pernambucano que já vimos, fez uma belíssima aula espetáculo em nosso Teatro Luís Souto Dourado, no Centro Cultural Alfredo Leite e como sempre encantou a todos.

Numa triste coincidência, Ariano se foi no mesmo dia que no ano passado sofríamos com a perda do Mestre Dominguinhos, em pleno Festival de Inverno de Garanhuns. Dois grandes artistas que levaram a cultura popular e as histórias do Nordeste para o mundo, um por meio da música e outro por meio da literatura.

Em Garanhuns, iremos decretar o luto oficial de três dias pela morte do grande Ariano Suassuna e externamos à família e aos amigos os nossos sinceros sentimentos”.

Raquel Lyra (PSB), deputada estadual
“Pernambuco, a literatura e a cultura brasileira, principalmente a nordestina, perde um grande nome com a morte do mestre Ariano Suassuna. Ariano, que era paraibano, mas que tinha Pernambuco em seu coração, também era presidente de Honra do Partido Socialista Brasileiro (PSB), e sempre nos presenteou com seus ensinamentos de um “realista esperançoso”. Neste momento de dor, presto minha solidariedade aos familiares, amigos e admiradores da obra e da pessoa que foi esse grande mestre”.

Lula e dona Marisa Letícia
“É imensa a tristeza de receber a notícia de que um amigo tão querido como Ariano Suassuna nos deixou. Este paraibano de língua afiada, alma solidária, escrita ao mesmo tempo simples e profunda sempre nos honrou com sua amizade.

Ariano fez muito pelo povo brasileiro através de suas palavras, sabedoria popular e compromisso político. Um escritor premiado e reconhecido, que nunca se esqueceu que era um homem do povo. Cresceu no sertão do nordeste e traduziu tantas vezes em seus textos as alegrias e os sofrimentos dos brasileiros.

Ariano representou com coerência e grandeza a cultura do nordeste e do país.
Com enorme tristeza, me solidarizo com seus familiares, amigos e admiradores.
Como escritor e como militante das causas populares, Suassuna continuará vivo em nossos corações.

Dona Marisa Letícia e Luiz Inácio Lula da Silva”







Morte de Suassuna é perda irreparável, diz Renan

Publicado por Branca Alves, em 23.07.2014 às 19:20

Agência Brasil (Brasília) – A morte do escritor, dramaturgo e poeta Ariano Suassuna é “uma perda irreparável para a cultura nacional”, disse nesta quarta-feira (23) o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Logo após a confirmação da morte de Suassuna, Renan divulgou nota pública lamentando a perda. O escritor morreu nesta tarde, aos 87 anos, no Real Hospital Português, no Recife.

“Ao longo de 87 anos, Ariano soube como poucos revelar as nuances da cultura nordestina. Paraibano, fundou o Movimento Armorial nos anos 70, que tinha como objetivo utilizar a cultura popular para formar um arte erudita. A perda do escritor nos silencia, mas seus livros o eternizam na nossa memória. Em cada peça popular, em cada canto nordestino, Ariano Suassuna, reviverá”, diz o texto.

Internado desde segunda-feira (21) por causa de um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico, Suassuna sofreu parada cardíaca provocada por hipertensão intracraniana, por volta das 17h de hoje. Os detalhes do funeral ainda não foram divulgados.

Nascido em João Pessoa, quando a capital paraibana ainda se chamava Nossa Senhora das Neves, em 1927, ainda adolescente, Ariano Vilar Suassuna foi morar no Recife, onde terminou os estudos secundários e deixou seu nome marcado na cultura literatura brasileira, especialmente no teatro e na literatura. Sua obra mais conhecida é O Auto da Compadecida, que foi encenada no teatro e gravada para o cinema. O Santo e a Porca, Farsa da Boa Preguiça e Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta também fazem parte de sua herança. A maioria delas foi traduzida para outros idiomas, como francês, alemão, espanhol, inglês e holandês. Em 1989, passou a ocupar a Cadeira nº 32 da Academia Brasileira de Letras.







No Face, Dilma homenageia Ariano Suassuna

Publicado por Branca Alves, em 23.07.2014 às 19:03

A página oficial da presidente Dilma Rousseff (PT) no Facebook fez uma homenagem ao escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, que faleceu nesta quarta-feira (23), no Recife, aos 87 anos. Confira, abaixo, a publicação:

(Foto: Reprodução/Facebook)







Escrevendo a política junto

Publicado por Branca Alves, em 23.07.2014 às 10:00

Por Renata Bezerra de Melo
Da Coluna Folha Política

Era o ano de 2006, quando Ariano Suassuna, então com 79 anos, durante o primeiro comício de Lula, como candidato à reeleição, em Brasília Teimosa, puxou o hino do bloco Madeira do Rosarinho. A canção virou símbolo das campanhas do PSB. Repetiu o gesto, com a voz rouca, de cima de um trio elétrico, coroando, naquela campanha, a corrida de Eduardo Campos rumo ao Palácio das Princesas. O escritor, ali, era candidato a suplente de senador. Não concorreu a outros cargos, mas se fez presente nas diversas disputas do ex-governador, a quem passou a ver como “pai caçula”, conforme descreveu à Revista Piauí. “Fui envelhecendo e veio Eduardo, que é, como era meu pai, brilhante, jovem. Aí eu substituí. Passei a ver em Eduardo meu pai caçula”, narrara Ariano Suassuna, cuja esposa, Zélia, é irmã do médico Ciro de Andrade Lima, pai de Renata Campos. Ao saber, ontem, que o estado de saúde de Ariano se agravara, Eduardo encurtou a agenda que cumpria em São Paulo e embarcou para o Recife.







MRE compra joias de até R$ 17,5 mil para visitas

Publicado por Branca Alves, em 22.07.2014 às 20:00

Do Contas Abertas

Nas duas últimas semanas, o Ministério das Relações Exteriores (MRE) empenhou R$ 58,2 mil para a compra de joias. A aquisição das peças, segundo descrição do empenho, tem como objetivo presentear autoridades estrangeiras no contexto de eventos organizados pelo cerimonial da Pasta.

A joia mais cara foi adquirida na Reuas Joias e Relógios Ltda. Da marca Amsterdam Sauer, um dos maiores nomes da alta joalheria no Brasil, a peça, com o custo de R$ 17,5 mil, será confeccionada com pedras brasileiras.

Além da raridade, outras cinco joias em prata de lei e pedras brasileiras foram adquiridas pelo MRE. No valor de R$ 8,1 mil cada, as peças serão confeccionadas pela artista plástica Rosana Galera. O valor total das preciosidades será de R$ 40,7 mil.

De acordo com o site da designer, Rosana Galera Objetos produz com desenho moderno e exclusivo, uma linha de objetos e acessórios em prata de lei e ouro com detalhes em pedras brasileiras e diamantes. “Rosana Galera inova o conceito da joalheria desenhando com simplicidade e exclusividade a sua jóia”, afirma a página na Internet.

A compra das joias aconteceu sem necessidade de licitação. Com base no artigo 25 da lei de licitações, a mesma é inexigível “para contratação de profissional de qualquer setor artístico, diretamente ou através de empresário exclusivo, desde que consagrado pela crítica especializada ou pela opinião pública”.

O Contas Abertas questionou o MRE sobre a destinação da compras das joias, mas não houve resposta. No entanto, diante da VI Conferência de Cúpula do do Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, que ocorreu no Brasil na última semana, é possível que as joias sejam destinadas aos chefes de Estado desses países.

Além da Conferência dos Brics, a Copa do Mundo também trouxe diversas autoridades estrangeiras para conferir as partidas. Na final do Mundial, por exemplo, estavam presentes autoridades como a chanceler e o presidente da Alemanha, Angela Merkel e Joachin Gauk, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, primeiro-ministro de Antígua e Barbuda, Gaston Browne, o presidente do Gabão, Ali Bongo Ondimba, primeiro-ministro da Hungria, Viktor Órban, primeiro-ministro da Namíbia, Hage Geingob, primeira-ministra de Trinidad e Tobago, Kamla Persad-Bissessar.

Espumantes por R$ 39,3 mil
A preparação para a recepção das autoridades estrangeiras no Brasil contou ainda com a compra de 1,2 mil espumantes brut. As bebidas alcoólicas foram adquiridas pelo total de R$ 39,3 mil.

De acordo com a descrição da nota de empenho da compra, o espumante é produzido pelo método champenoise e que tenha ganhado ao menos quatro premiações internacionais. “As premiações devem ser relativas a concursos realizados a partir de 2008”, explica.

Além disso, as bebidas também devem ter sido amadurecidas em contato com leveduras por período mínimo de 12 meses. A safra do espumante deve ser posterior a 2008, no caso de não ser safrado. “A bebida deve estar com excelentes condições de consumo”.

Apresentação artística
Outro gasto do Cerimonial do MRE envolveu apresentação artística. Pelo valor de R$ 1,6 mil o orgão contratou músico, por ocasião de evento organizado na Pasta. A contratação dispensou licitação, pois tratava-se de serviço técnico de natureza singular, com profissionais ou empresas de notória especialização, vedada a inexigibilidade para serviços de publicidade e divulgação.







No Face, Campos pede força para Ariano Suassuna

Publicado por Branca Alves, em 22.07.2014 às 15:00

(Foto: Reprodução/Facebook)

O ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, utilizou o seu perfil oficial no Facebook para pedir que as pessoas se unam nas orações pela recuperação do escritor paraibano Ariano Suassuna, 87, que está internado em estado grave no Recife, após um acidente vascular cerebral (AVC). Em seu post, Campos diz que Ariano é patrimônio vivo da cultura brasileira e diz que ele “é um tio que a vida me deu”.

Após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) na noite da última segunda-feira (21), o dramaturgo passou por uma cirurgia e está em coma, respirando com a ajuda de aparelhos, de acordo com nota divulgada às 11h desta terça (22) pela assessoria de imprensa do Real Hospital Português.







Juiz inicia escutas do caso

Publicado por Branca Alves, em 22.07.2014 às 09:45

Por Mário Flávio
Especial para a Folha

CARUARU – Começou ontem, no Fórum de Caruaru, o processo de ouvidas dos envolvidos na Operação Ponto Final, que culminou coma prisão de dez vereadores da cidade. O primeiro a prestar esclarecimento foi o secretário municipal de Relações Institucionais, Marco Casé. Ele é peça-chave no processo porque foi na sua sala que as escutas da Polícia Civil foram gravadas. O secretário entrou na sala do Tribunal do Júri e não quis falar com os jornalistas. A imprensa não foi autorizada a acompanhar a audiência, já que o o juiz da 4ª Vara Criminal, Francisco de Assis, disse que o processo segue em segredo de Justiça. A maioria dos vereadores envolvidos no caso foi ao Tribunal para acompanhar os depoimentos.

O criminalista Emerson Leônidas, principal advogado da banca de defesa dos parlamentares, disse que o processo judicial será longo, já que mais de 170 pessoas serão ouvidas. “Todas aquelas investigações feitas pela polícia serão submetidas ao processo do contraditório. Cada vereador vai ter como se defender. As testemunhas serão ouvidas e, após isso, pode ocorrer uma fase de diligências, caso seja necessário. É um processo que demora um pouco”, disse.

Nesta semana serão ouvidas as testemunhas de acusação, na próxima as de defesa e na sequência os vereadores. O prefeito José Queiroz será ouvido no dia 24, às 14h. Os advogados de defesa já estão com a liberação para divulgar alguns áudios que poderiam expôr outros políticos da cidade. Eles iriam mostrar em coletiva de imprensa o teor das gravações, mas tiveram que solicitar a autorização do juiz.