Política

Lula quer a imprensa participando das plenárias do PT

Publicado por Alex Ribeiro, em 19.12.2014 às 09:00

Líder-mor do PT quer que jornalistas conheçam o partido internamente (Foto: Instituto Lula/Divulgação)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está traçando novas estratégias para tentar diminuir o antipetismo. Depois dos episódios do mensalão e do escândalo da Petrobras, a imagem do partido ficou bastante desgastada perante o eleitor.

Em conversa com o Blog da Folha, uma fonte que faz parte da Executiva Nacional disse que o líder-mor do PT não esconde dos seus correligionários que a sigla está arcando com as consequências, mas, segundo o ex-presidente, a imprensa afeta ainda mais a representatividade da legenda.

Um das táticas de Lula é trazer a imprensa para dentro do partido, participando das plenárias e dos diversos congressos que a sigla realiza pelo País. Ele acha que os jornalistas analisam o partido à distância, e só se remetem aos seus representantes e, consequentemente, à legenda, de forma negativa. Para mudar isso, o ex-presidente quer que os comunicadores observem as discussões sobre ética e transparência que acontecem nas reuniões do PT.

Segundo a fonte, Lula cita nas reuniões que o PT “foi o grande construtor das políticas de transparência, e criou até o próprio portal das transparências”. Nos encontros o líder-mor do Partido dos Trabalhadores não deixa de cutucar os tucanos afirmando que a legenda não tem “um engavetador geral da república”. A frase é em referência ao governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). O então procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, foi acusado de não dar andamento as investigações sobre várias denúncias de corrupção ocorridas durante a gestão tucana.







Dilma pede ‘grande pacto nacional’ contra a corrupção

Publicado por Alex Ribeiro, em 18.12.2014 às 22:20

Durante discurso na cerimônia de diplomação para o próximo mandato, a presidente Dilma Rousseff (PT) defendeu na nesta quinta-feira (18) um “pacto” para combater a corrupção no País. Em meio à denúncias de escândalos envolvendo a Petrobras, a presidente falou que a corrupção não é defeito ou vício ” de um ou outro partido, de uma ou outra instituição” e afirmou que a “não dissolução” de laços entre público e privado é “herança nefasta” do sistema patrimonialista. “Chegou a hora de o Brasil dar um basta a esse crime que ainda teima em corroer nossas entranhas”, afirmou.

Dilma afirmou que é preciso empreendeu uma reforma política e ainda uma mudança cultural. “Sei que é um trabalho de mais de uma geração”, disse. “Quero ser a presidente que ajudou a tornar esse processo irreversível.”

Crescimento

A presidente falou em oferecer ao Brasil “luta renovada” por justiça social, educação de qualidade, igualdade de oportunidades, estabilidade econômica e política e compromisso com a ética. Sobre a economia, disse que a estabilidade será fundada em crescimento sustentado, no controle da inflação. “Crescimento que vai se acelerar mais rápido do que alguns imaginam”.

Oposição

Ela aproveitou o discurso para pedir que a oposição “exerça da melhor forma seu papel”. “Como uma eleição democrática não é uma guerra, ela não produz vencidos”, disse. “Quem vence com o voto da maioria e não governa para todos transforma a força majoritária em um legado mesquinho”, completou.

(Fonte: Estadão Conteudo)







Paulo Câmara se reunirá com Dilma

Publicado por Alex Ribeiro, em 18.12.2014 às 21:30

Presente na diplomação da presidente Dilma Rousseff (PT) e do seu vice Michel Temer (PMDB), nesta quinta-feira (18), em Brasília, o governador eleito Paulo Câmara (PSB) afirmou que a líder petista se reunirá com ele. Segundo o socialista, os projetos do Estado serão mantidos.

“Cumprimentei a presidente e desejei a ela sucesso. Ela disse que queria conversar comigo. Ela disse que queria manter nossa relação e que quer conversar sobre os projetos de Pernambuco”, relatou o socialista.

Também presente no local, o prefeito Geraldo Julio (PSB) disse que Dilma foi muito receptiva e também comentou que as parcerias com a cidade do Recife serão mantidas.

“Ela foi muito receptiva, desejei um bom governo para ela. A eleição acabou e eu governo para o povo do Recife e Paulo (Câmara) governa para o povo de Pernambuco. É importante manter está relação institucional”, comentou.

No segundo turno das eleições presidenciais, o PSB apoiou a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB). Depois do pleito, os socialistas disseram que tomarão uma postura independente ao Governo Federal.







Jungmann prevê crise no Congresso e na Presidência

Publicado por Alex Ribeiro, em 18.12.2014 às 17:40

Futuro deputado federal disse que o Brasil está em um momento de "tempestade perfeita" (Foto: Arquivo Folha)

O vereador e futuro deputado federal Raul Jungmann (PPS) comentou que o momento atual do Congresso Nacional e do Palácio do Planalto é mais delicado do que no período do escândalo do mensalão. Na época, o parlamentar ocupava uma das cadeiras da Câmara, cargo que vai exercer novamente na próxima legislativa, em fevereiro de 2015. O pós-comunista, que ocupa a quarta suplência, foi beneficiado com a escolha do secretariado do governador eleito do Estado, Paulo Câmara (PPS). O socialista convocou quatro deputados federais para sua equipe.

“Não tem comparação. Em primeiro lugar o congresso tem uma espada sobre sua cabeça. Considera-se que 30, 40 ou 50 parlamentares sejam denunciados. Em segundo lugar, esses parlamentares não são de baixo clero, mas são lideranças. Se você levar em conta que quem na verdade comanda o congresso são 30 cabeças, vá lá a maior das hipóteses, então você teria um congresso acéfalo. O que você soma isso ao fato que já um déficit de credibilidade do Congresso Nacional, ora isso é uma formula perfeita pra você viver uma crise institucional complicada”, disse Jungmann, durante entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta quinta-feira (18).

“Já no caso do governo Dilma, nós estamos vivendo uma coisa que queria chamar atenção que é a perda da governabilidade. O que é a perda da governabilidade? É a crescente capacidade de presidente, governador ou autoridade de exercer as suas funções de governar”, completou.

Jungmann declarou que os possíveis reajustes de energia e os aumentos de trânsitos nas metrópoles brasileiras complicará ainda mais as instituições políticas.

“Então você tem uma crise latente no Legislativo que está prestes a estourar. Você tem uma perda de capacidade de governabilidade da presidente e, evidentemente, não se pode negar que hoje o escândalo do petrolão que se aproxima rapidamente do gabinete dela (da presidente Dilma), se é que já lá não está. E você tem problemas que vão agora pipocar sob o ponto de vista social que só vão piorar esse quadro. Então você vai chegar num momento da tempestade perfeita”, prevê o parlamentar.







Câmara: ‘oposição não está bem atualizada’

Publicado por Alex Ribeiro, em 17.12.2014 às 21:34

O governador eleito Paulo Câmara (PSB) comentou sobre a nota pública divulgada pela bancada de oposição da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) sobre a sua equipe de governo. O grupo considera que o perfil dos indicados é uma continuidade da “velha política”. Porém, para o novo gestor, “a oposição não está bem atualizada”.

“Nosso secretariado é renovado com pessoas que se encaixam nos perfis que queremos e vão cumprir o papel que foi designado”, disse o socialista, durante confraternização com a imprensa, nesta quarta-feira (17).

Sobre o mal-estar com o senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB), Câmara confessou que conversou por telefone com o socialista, mas não tratou sobre a carta pública do futuro parlamentar – FBC lançou uma nota pública declarando que estava se sentido desconfortado por não participar da escolha da equipe de governo.

“Vamos ter oportunidade de conversar mais lá na frente. Faz parte do processo político. Tenho Fernando Bezerra Coelho em alta conta. Foi nosso companheiro de chapa, convivemos juntos, vamos ter oportunidade de discutir mais e quero Fernando Bezerra Coelho me ajudando no Senado e em Pernambuco”, disse.







Cotado para educação, Cid Gomes se reúne com Dilma

Publicado por Alex Ribeiro, em 16.12.2014 às 22:00

Governador do Ceará deverá assumir a pasta (Foto:Reprodução/Internet)

O governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), conversou nesta terça-feira (16), com a presidente Dilma Rousseff (PT), em Brasília. Cid é cotado para ocupar o Ministério da Educação, controlado pelo PT.

Dilma gosta de Cid e quer retribuir o apoio dele em sua campanha. No ano passado, o governador deixou o PSB e se filiou ao Pros para ficar ao lado da presidente.

O Pros, atualmente, tem um representante no Ministério da Integração Nacional, pasta que está sendo reivindicada pelo PMDB e na Secretaria dos Portos. Além de dar aval a Dilma, Cid lançou o petista Camilo Santana para sua sucessão no Ceará. Santana venceu a disputa contra o PMDB.

Desde o fim da eleição, Cid tem dito que pretende ser consultor do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), porque quer morar no exterior. Os petistas, porém, acreditam que ele ficará mesmo com a pasta de Educação, mesmo porque está procurando imóvel para alugar em Brasília.

O ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab também esteve nesta terça-feira em Brasília. Presidente do PSD, Kassab tem o nome citado para Cidades. Nos últimos dias, assessores parlamentares do PSD já estiveram até mesmo no Ministério para conhecê-lo.

(Fonte: Estadão Conteudo)







Humberto: “Participação do PT estadual no governo ainda não foi discutida”

Publicado por Alex Ribeiro, em 15.12.2014 às 23:07

Senador disse que ainda não teve tempo para conversar sobre o espaço do PT estadual no Governo Federal (Foto: Folha de Pernambuco)

O senador Humberto Costa (PT) afirmou que ainda não conversou com os dirigentes petistas do Estado sobre a possibilidade do partido local ter mais espaços no Governo Federal. As declarações foram feitas durante confraternização com a imprensa, nesta segunda-feira (15).

“Ainda não tivemos condições de sentar com o pessoal do PT para discutir isso. Há uma sensibilização para que tenhamos alguém de Pernambuco em um espaço importante. Agora, também temos que ter a sintonia com o eventual espaço. Se for, certamente será um espaço que já é do PT. Se tirarmos o ministério de um partido teremos que dar outro”, relatou Humberto.

Vale lembrar que nas eleições deste ano, a sigla não elegeu nenhum deputado federal em Pernambuco.







Reunião entre Dilma e Temer decide espaço do PMDB no governo

Publicado por Alex Ribeiro, em 15.12.2014 às 22:57

A presidente Dilma Rousseff (PT) e o vice Michel Temer (PMDB) terão um encontro nessa terça-feira (16) para fechar o espaço do PMDB no governo, a partir de 2015. O partido de Temer controla atualmente cinco ministérios, mas quer ampliar o número de cadeiras para seis, sendo três indicadas pela bancada na Câmara e outras três pelo Senado. Até esta segunda (15) a líder petista resistia a essa fórmula, mas tenta construir um acordo porque, após o escândalo de corrupção na Petrobras, sabe que precisará cada vez mais do aliado no Congresso.

Auxiliares da presidente disseram nesta segunda que a composição da equipe do segundo mandato deve ser anunciada até o fim desta semana. A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) tomou posse nesta segunda na presidência da Confederação Nacional de Agricultura (CNA) e vai se licenciar do cargo para assumir o Ministério da Agricultura.

Nenhuma das alas do PMDB, porém, considera Kátia uma ministra do partido, mas, sim, da “cota pessoal” de Dilma. Motivo: oriunda do DEM, com passagem pelo PSD, a senadora é cristã nova nas fileiras peemedebistas.

O PMDB está indicando os senadores Eduardo Braga (AM) para o Ministério de Minas e Energia e Eunício Oliveira (CE) para Integração Nacional. Com Kátia Abreu na Agricultura seriam três os representantes do partido no Senado. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), engrossa a lista apresentada pelo partido ao Palácio do Planalto, mas o problema é que ele não quer comandar Previdência Social, hoje dirigida por seu primo, Garibaldi Alves, mas, sim, a pasta de Integração Nacional – objeto do desejo do correligionário Eunício e também do Pros de Cid Gomes.

O ministro da Aviação Civil, Moreira Franco (PMDB), deve continuar no mesmo posto e uma ala quer emplacar o deputado Eliseu Padilha (RS) no Ministério do Turismo. Moreira Franco e Padilha são nomes defendidos por Temer.

O vice-presidente acredita que pode fechar um acordo com o PT para o comando da Câmara dos Deputados. O candidato do PMDB é o deputado Eduardo Cunha (RJ), líder do partido na Câmara e desafeto do Planalto. No fim da tarde desta segunda, Temer se reuniu com o deputado Arlindo Chinaglia (SP), líder do governo e pré-candidato do PT à presidência da Câmara.

A proposta em negociação prevê que o PT apoie Cunha, tido como imbatível, e fique agora com a vaga de vice-presidente da Câmara. Por essa equação política, o PMDB daria aval a um candidato do PT em 2017. Seria, mais uma vez, um rodízio entre os dois partidos. A eleição que renovará o comando da Câmara e do Senado ocorrerá em fevereiro de 2015.

Depois de se reunirem nesta segunda com Dilma, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e o titular da Secretaria de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, também conversaram com Temer sobre a formação da equipe do segundo mandato, mas o martelo somente será batido na próxima terça (16).

(Fonte: Estadão Conteudo)







Luciana é cotada para assumir o Ministério da Cultura

Publicado por Alex Ribeiro, em 15.12.2014 às 22:11

Deputada teria sido convidada pela presidente Dilma (Foto: Nathália Bormann/Folha de Pernambuco)

A deputada federal Luciana Santos (PCdoB), teria sido convidada pela presidente Dilma Rousseff (PT) para assumir o Ministério da Cultura a partir de janeiro. Ex-prefeita de Olinda, a deputada fez parte da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados e é próxima da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula.

Luciana assumirá a presidência nacional do PC do B no próximo ano, no lugar de Renato Rabelo. Segundo o partido, a presidente não formalizou nada ao partido até agora. E, conforme informaram fontes próximas à deputada, Luciana acha difícil “assumir a direção do partido e o ministério”, segundo confidenciou a amigos.

Formada em Engenharia Elétrica, Luciana Santos é filiada ao PCdoB desde 1987. Sua indicação para o ministério teria a finalidade de preencher a cota do PC do B, que até então ocupava o Ministério do Esporte com Aldo Rebelo (que está de saída). Ela já teria sido convidada, em 2010, para o próprio Ministério do Esporte por Dilma.

A decisão sobre quem ocupará o Ministério da Cultura no segundo governo de Dilma Rousseff deverá ser anunciada até o final dessa semana. O nome mais forte especulado até agora foi o de Juca Ferreira (secretário de Cultura de São Paulo), alvo das maiores manifestações de apoio da classe artística. E de rejeição, como mostrou em comentários na internet o escritor Paulo Coelho.

Correm por fora Ângelo Oswaldo (presidente do Ibram), Jandira Feghali (deputada do PC do B), Chico César (secretário de Cultura da Paraíba) e o escritor Fernando Morais, entre outros.

Segundo observadores, o Ministério da Cultura vive um momento de fragilidade em suas políticas públicas. Apesar de ter atingido cerca de 4,6 mil Pontos de Cultura pelo País em uma década, isolou suas ações nos últimos anos e perdeu protagonismo. Também está longe de atingir representatividade dentro do orçamento do Estado brasileiro, não chegando a 1%.

O MinC vem sendo tímido ainda no esforço de alavancar suas ações. O Vale Cultura, por exemplo, tinha a previsão de chegar a 42 milhões de trabalhadores, mas ainda beneficia cerca de 200 mil apenas. O Vale Cultura é um benefício no valor de R$ 50 mensais oferecido por empresas a funcionários contratados pela CLT. Ele chega ao trabalhador em formato de cartão magnético pré-pago e seu valor é cumulativo.

(Fonte: Estadão Conteudo)







Armando revela ligação de Câmara logo depois de ser indicado a ministério

Publicado por Alex Ribeiro, em 12.12.2014 às 20:52

Petebista disse que foi um telefone rápido (Foto Paulo Allmeida/Folha de Pernambuco)

O senador Armando monteiro (PTB) revelou, nesta sexta-feira (12), que recebeu uma ligação do governador eleito Paulo Câmara (PSB) assim que foi indicado ao ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Os dois foram adversários nas eleições deste ano ao Governo do Estado. A conversa entre ambos já tinha sido divulgada pelo próprio petebista, mas não se sabia do contato imediato.

“Foi um telefonema rápido, de congratulações, mas já naquele momento nós revelamos nossa disposição mútua de fazer um diálogo de interesse para Pernambuco. Então eu tenho dito que nossa relação é institucional, cooperativa, nós temos ambos um compromisso com Pernambuco”, disse o parlamentar, durante conversa com a imprensa na confraternização do PTB de Pernambuco.

O petebista também teceu comentários sobre a estratégia que terá quando assumir o ministério no próximo ano. “Teremos o desafio de recuperar o crescimento, ampliar as exportações, estimular a atividade econômica. O próximo ano será de ajustes, sobretudo fiscal. Vamos ver a capacidade de criar uma agenda. Uma agenda que permita melhorar o ambiente de operação das empresas sem por em risco o próprio processo de ajuste fiscal que o Brasil vai atravessar”, explicou.

Durante o evento estiveram presentes vários parlamentares do PTB. O deputado federal João Paulo (PT) e o deputado e líder da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa (PDT), também marcaram presença no local.







Rui Falcão diz que Bolsonaro tem que deixar o Congresso

Publicado por Alex Ribeiro, em 12.12.2014 às 19:03

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou nesta sexta-feira (12) que o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) deveria perder seu mandato e ser punido pelas declarações dirigidas a ex-ministra e deputada Maria do Rosário (PT-RS), quando disse que não a estupraria pois ela “não merecia”. “Tem que botar ele para fora do Congresso e tem que imputar crime a ele, tem que criminalizar o que ele está fazendo”, disse Rui.

O dirigente lembrou que o PT, em conjunto com PSB, PCdoB e PSOL, entrou com uma representação no Conselho de Ética contra o deputado e disse ver como positiva a manifestação, por meio de nota, do opositor PSDB. “Se o PSDB se juntar, ajuda muito na condenação do Bolsonaro”, afirmou. Rui ponderou que não quer partidarizar a questão por Maria do Rosário ser petista. “Todas as mulheres foram atingidas e nós também, porque induzir, incitar o estupro é crime. O estupro em si já é crime, incitar então”, reforçou.

Rui lembrou que estatísticas conservadoras mostram que 50 mil mulheres são violentadas sexualmente por ano e disse que já está sendo organizada, pela Marcha Mundial das Mulheres, uma manifestação de repúdio ao deputado na próxima quarta (24).

Questionado se a presidente Dilma Rousseff (PT) não deveria se pronunciar também sobre o tema, Rui disse que é “evidente que ela deve estar condenando isso”, mas que só ela poderia avaliar o momento certo de fazer ou não algum pronunciamento. “Tem que falar com ela. Eu não sou avaliador do sentimento da presidenta e nem porta voz.”

Além de diversos partidos políticos, muitas entidades de classe já se manifestaram contrárias às declarações de Bolsonaro, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT). A CUT, inclusive, informou que vai fazer uma representação no Ministério Público Federal para que ele seja imputado por apologia ao crime. (Carla Araújo, Ricardo Galhardo e José Roberto Castro)

(Fonte: Estadão Conteudo)







Jarbas: “PMDB precisa se organizar em Pernambuco”

Publicado por Alex Ribeiro, em 12.12.2014 às 17:20

Senador disse que o partido precisa se interiorizar (Foto: Clemilson Campos/Folha de Pernambuco)

Senador e deputado federal eleito pelo PMDB, Jarbas Vasconcelos afirmou, nesta sexta-feira (12), que o partido precisa se reorganizar no Estado. Segundo o parlamentar, a legenda deve se interiorizar para conseguir mais filiados.

“A gente tem um desempenho, vamos dizer pífio, em várias eleições. É preciso reorganizar isso. Não da pra resolver só com encontros. A gente tem que viajar, ir ao interior, marcar encontros no Agreste, Sertão, Zona da Mata”, relatou Jarbas, durante sua confraternização.

Segundo o peemedebista, todos os líderes do partido concordam em traçar novas estratégias. “Não da pra ficar do jeito que está. É uma voz corrente no partido que tem que melhorar. É preciso alargar o partido. Raul (Henry) tem esse pensamento, presidente do partido Dorani Sampaio tem esse pensamento, eu também tenho pensamento”, ressaltou.







PSB PE reúne Executiva para traçar novas ações

Publicado por Alex Ribeiro, em 11.12.2014 às 22:48

Encontro ocorreu nesta quinta-feira (11) (Foto: Roberto Pereira/Divulgação)

A Direção Estadual do PSB se reuniu junto com a sua Comissão Executiva para realizar um balanço do ano de 2014 e traçar novas ações para 2015. O encontro ocorreu nesta quinta-feira (11). A ideia do partido é filiar mais pessoas para a sigla. Um dos responsáveis para trazer mais adeptos à legenda é o filho do ex-governador Eduardo Campos, João Campos, que assumiu a secretaria de organização da legenda no Estado.

“Foi um momento onde fizemos um balanço das eleições de 2014 e apontamos para o futuro do PSB, dos seus segmentos, da sua Comissão Executiva. A forma de se comunicar com os seus filiados, de trazer novos filiados para o partido e de ficar mais perto da sociedade”, relatou o presidente estadual do partido, Sileno Guedes (PSB).

Além de Sileno, participaram do encontro 12 integrantes da Comissão Executiva Estadual, seis secretários especiais e quatro representantes de movimentos ligados à legenda em Pernambuco.

O grupo também definiu um novo cronograma de reuniões para o próximo ano. O encontro seguinte deve ocorrer em março de 2015. “Isso garantirá a abertura de debates sobre temas de importância para a legenda”, pontuou.







Armando promete “relação cooperativa” com Câmara

Publicado por Alex Ribeiro, em 11.12.2014 às 19:29

Armando disse que relação será a "melhor possível" com seu adversário político (Foto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco)

Apesar das desavenças políticas causadas pela eleição ao governo do Estado neste ano, o novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, senador Armando Monteiro (PTB), prometeu que a relação com o governador eleito Paulo Câmara (PSB) será “a melhor possível”. Segundo o petebista, o diálogo será institucional.

“Vamos ter uma relação cooperativa, na medida do possível, porque o ministério tem políticas nacionais. Mas, naquilo que a gente possa fazer dentro dessa margem de atuação para servir a Pernambuco, e ajudar Pernambuco, nós faremos”, disse Armando, durante confraternização da Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), no Recife, nesta quinta-feira (11).

Armando também está analisando a possibilidade da presença de alguns quadros do Estado na sua equipe ministerial.

“Então, se puder contar com quadros aqui do Estado, é uma coisa muito importante. Vamos ver se é possível. Se você encontra a pessoa com essa disposição, se tem evidentemente o perfil requerido pela função, vamos buscar isso”, disse.

Sobre uma possível crise econômica no País no próximo ano, o novo ministro disse que “os pessimistas no Brasil estão sempre condenados a perder”.

“Quem apostar no pior, vai fazer uma aposta ruim. Um País que tem a nossa energia empreendedora, um País que se tornou a sétima economia do mundo, um País que tem instituições que, a meu ver, nos colocam numa posição de maior relevo do que os outros países dos Brics ou outros países emergentes, um País que tem instituições democráticas, onde há um amplo processo de liberdade, é um país que tem as bases, a inteligência, o talento, os recursos humanos necessários para que nós inauguremos um novo ciclo de crescimento na economia brasileira”, frisou o parlamentar.







Imprensa já condenou PT, seja qual for resultado da Lava Jato, diz Lula

Publicado por Alex Ribeiro, em 10.12.2014 às 21:00

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conclamou nesta quarta-feira o PT a sair da defensiva e ajudar a presidente Dilma Rousseff (PT), que, na sua avaliação, enfrenta uma tentativa de golpe. Na abertura da segunda etapa do 5º Congresso do PT, em Brasília, Lula disse que o partido é a “bola da vez”, previu tempos difíceis pela frente e afirmou que ninguém deve pensar agora na eleição de 2018. Lula criticou a elite e os meios de comunicação e pediu aos petistas que não aceitem a pecha de corruptos.

“Agora, a bola da vez somos nós”, disse, ao falar sobre o escândalo da Petrobras. Para ele, a imprensa já condenou o PT, seja qual for o resultado da Operação Lava Jato.

Diante da plateia formada por 500 petistas, pediu a todos que se transformem em “Dilma” para defendê-la em todos os cantos. “Ninguém aguenta uma passeata um dia sim e outro também. Deixem a mulher trabalhar, gente! Ela tem que se preocupar em governar o País” Ao se referir ao PSDB do senador Aécio Neves, declarou que “eles acham” que a campanha não acabou e foi irônico ao falar sobre a arrecadação dos adversários. “Parece que os tucanos arrecadam dinheiro como se fosse Criança Esperança. Não tem empresário. São os oprimidos que doam para eles”.

Para Lula, a elite não aceita o PT porque o partido cometeu o “crime” de melhorar a vida da população. “Querem sistematicamente destruir o nosso partido. Eles começaram a ficar apavorados com a perspectiva de quinto mandato, mas ninguém tem de pensar em 2018. Eu não sou melhor do que ninguém, mas se enfiar todos eles um dentro do outro eles não são mais honestos do que eu.” Na avaliação do ex-presidente, a imprensa já condenou o PT na Operação Lava Jato. “A gente reclama das investigações? Não. A gente reclama da interpretação das investigações. Daqui a pouco vão querer saber a cor e a qualidade do papel higiênico que se usa no Palácio”, afirmou ele.

Lula almoçou nesta quarta com Dilma e se reuniu com deputados e senadores do PT, indicando que terá papel decisivo no segundo mandato de sua afilhada. Diante de um cenário de turbulências na seara política e na economia, o ex-presidente tentou pôr um freio de arrumação na crise, para não deixar a ofensiva da oposição sem resposta. “Estamos preparados para repelir qualquer tentativa golpista no País”, disse o presidente do PT, deputado Rui Falcão. “Não podemos permitir que os coxinhas ocupem a Avenida Paulista e a gente não mostre a nossa presença. Nós nascemos na rua e não temos de ter medo de ir para a rua”, emendou.

Em um encontro com deputados e senadores Lula também pediu aos correligionários que ajudem Dilma. No almoço com a presidente não faltaram críticas ao procurador-geral da República Rodrigo Janot, que sugeriu a troca da diretoria da Petrobras, comandada por Graça Foster. Para Janot, a corrupção consome a Petrobras como um “incêndio de largas proporções”.

Lula recomendou que os petistas digam exaustivamente que a sigla foi quem mais combateu a corrupção. O ex-presidente também manifestou preocupação com a imagem do PT e orientou os companheiros a não “aceitarem calados” os “desaforos” dos oposicionistas. Na reunião com os parlamentares, ele disse que assistiu recentemente a uma sessão de debates no Congresso onde só a oposição atacava e nenhum aliado defendeu o governo. “Falaram 10 deles e nenhum dos nossos”, questionou.

Aos petistas elogiou a mudança da equipe econômica e disse que Dilma acertou na troca dos ministros da Fazenda e Planejamento. “O caminho que ela iniciou foi correto”, relatou o petista. Ao ex-presidente, os parlamentares se queixaram da articulação política do Palácio do Planalto com o Congresso e pediram que Ricardo Berzoini (ministro das Relações Institucionais) assuma em definitivo esse trabalho.

(Fonte: Estadão Conteudo)