Política

Instituto Lula é alvo de bomba na capital paulista

Publicado por Branca Alves, em 31.07.2015 às 12:20

Agência Brasil (São Paulo) – O Instituto Lula divulgou nota nesta sexta-feira (31) dizendo que a sede do instituto, na capital paulista, foi atacada por volta das 22h de ontem (30). Segundo a instituição, um artefato explosivo foi arremessado de dentro de um carro. Ninguém ficou ferido.

O instituto disse que comunicou o fato às polícias Civil e Militar, ao secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre de Morais, e ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

No comunicado divulgado nas redes sociais, o instituto diz que “espera que os responsáveis sejam identificados e punidos”.

A Secretária de Estado da Segurança Pública de São Paulo confirmou, por nota, o ataque à sede do instituto, que fica no bairro do Ipiranga, zona sul da capital paulista. De acordo com o comunicado, os danos materiais foram pequenos e as investigações já foram iniciadas. A nota acrescenta ainda que o titular da secretaria, Alexandre de Moraes, conversou hoje pela manhã com o ministro da Justiça.







Paulo Câmara: Governadores vão ajudar, mas precisam ser ouvidos

Publicado por Alex Ribeiro, em 30.07.2015 às 22:00

Presidente Dilma Rousseff (PT) se reuniu com os governadores nesta quinta (30), em Brasília (Foto: Ichiro Guerra/ PR)

Presente na reunião dos governadores com a presidente Dilma Rousseff (PT), nesta quinta-feira (30), em Brasília, o governador Paulo Câmara (PSB) afirmou que os gestores estão dispostos a ajudar a líder petista diante da delicada situação econômica existente no País. O socialista disse que, durante o encontro, os administradores estaduais também tiveram oportunidade de reforçar suas principais demandas.

“Os governadores vão ajudar. Mas temos que ser ouvidos, como fomos ouvidos hoje. A presidente se comprometeu a criar reuniões sistemáticas, ou com todos, ou individuais. E esperamos que daqui para frente a cooperação mútua exista cada vez mais. (…) Fundamental estarmos cada vez mais juntos trabalhando por uma pauta em favor do Brasil”, relatou Câmara.

Câmara também declarou que os gestores irão conversar com suas bancadas no Congresso para discutir as pautas em tramitação na Câmara Federal e no Senado.

“São questões que precisam ser olhadas e cuidadas. Então os gestores vão ter essa responsabilidade de conversar com as bancadas. Mostrar também que quem for oposição ao governo federal não pode ser oposição onde o jogo seja contra o Brasil. Então vamos transmitir isso. Que alguns projetos precisam ser melhor trabalhados, para não prejudicar a federação, nem os estados e municípios”, disse.

Segundo o socialista, o Governo Federal também precisa da ajuda dos Estados. “Como na questão da segurança, do emprego, saúde. Estes temas também foram levantados durante a reunião. Saímos com a clara atribuição de criarmos e designarmos pessoas para junto ao Governo Federal discutir saídas para superar estes problemas”, argumentou o gestor.







Dilma diz a governadores que o Brasil passou a exigir muito dos gestores

Publicado por Alex Ribeiro, em 30.07.2015 às 21:00

Agência Brasil (Brasília) – A presidenta Dilma Rousseff (PT) disse nesta quinta-feira (30) que o Brasil passou a exigir muito dos governos e dos serviços públicos. “Nosso povo está sofrendo, e muita coisa tem de melhorar”, disse ela, durante reunião com governadores no Palácio da Alvorada. Dilma acrescentou que “nenhum governante pode se acomodar”.

“Este Brasil passou a exigir muito dos governos, das empresas, dos hospitais, das escolas, da política, da justiça e de si mesmo. Neste novo Brasil, nenhum governante pode se acomodar. Muita coisa sabemos que precisa melhorar, principalmente porque sabemos que nosso povo está sofrendo e, quando sabemos isso, muita coisa tem que melhorar”, afirmou a líder petista.

Dilma ainda enfatizou que diferenças políticas não podem se sobrepor aos interesses do País e que a cooperação entre os governos é uma obrigação constitucional.

“Nós devemos cooperar cada vez mais, independentemente de nossas afinidades políticas. A cooperação federativa é uma exigência constitucional, é uma exigência da forma como nós organizamos o Estado e a sociedade brasileira. Nós também devemos respeitar a democracia e somar forças e trabalhar para melhor atender a população”, acrescentou.

O encontro foi organizado também para que Dilma pudesse ouvir as demandas dos governadores. Ao terminar o discurso inicial, ela anunciou que alguns ministros fariam exposições sobre assuntos como segurança pública e matérias de impacto financeiro no Congresso Nacional, mas disse que a palavra seria passada em seguida aos chefes dos Executivos estaduais.

“Nós temos humildade para receber críticas e sugestões e temos todo interesse na cooperação. Eu queria dizer aos senhores que eu, pessoalmente, sei suportar pressão e até injustiça. Isso é algo que qualquer governante tem que se capacitar e saber que faz parte de sua atuação”, afirmou, antes de declarar que conta com os governadores e que eles podem contar com ela.

Dilma disse que tem o “ouvido aberto, e também o coração”, para saber que o Brasil se desenvolveu e “não se acomoda”. “É aquele Brasil que não se satisfaz com pouco, que sempre quer mais. É esse o Brasil que nós queremos cada vez mais, desenvolvido, crescendo cada vez mais”, afirmou.

Participam do encontro em Brasília os governadores e uma vice-governadora de todos os estados brasileiros e do Distrito Federal. Além de Dilma e do vice-presidente Michel Temer, pelo menos dez ministros do governo estão presentes.

Os governadores começaram a chegar no Palácio da Alvorada por volta de 16h. Em seguida, a presidente, junto com uma equipe de ministros, sentou-se à mesa da reunião e fez o discurso de abertura. Estiveram presentes, entre outros ministros, o da Fazenda, Joaquim Levy, o da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e o do Planejamento, Nelson Barbosa, além de Cardozo.

Pela primeira vez em seu segundo mandato, Dilma se reúne com os governadores de todas as regiões do País. Com exceção do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), representado pela vice-governadora Rose Modesto, os demais chefes dos Executivos estaduais e do Distrito Federal estão presentes no encontro.

Entre os temas em pauta no Palácio da Alvorada, destaca-se a reforma do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), pois uma proposta sobre o tema está para ser votada no Senado, assim que terminar o recesso, na próxima semana.







Miguel Coelho diz que Lucas Ramos está isolado

Publicado por Alex Ribeiro, em 29.07.2015 às 19:12

Deputado defendeu o processo de escolha do seu nome como presidente municipal do PSB em Petrolina (Foto: Clemilson Campos/Folha de Pernambuco)

Deputado estadual pelo PSB, Miguel Coelho relatou que sua escolha como presidente do diretório do partido em Petrolina ocorreu de maneira democrática. A afirmação foi em resposta às declarações do deputado Lucas Ramos (PSB) – segundo este, a nomeação foi feita de maneira ditatorial.

“Eu acho que ele usou esse termo porque está isolado. Ele tentou buscar aqui, levar o PSB para uma direção na qual todas as lideranças discordam. Então, deve ser por isso que ele usou esses termos”, disparou Miguel Coelho, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta quarta-feira (29).

“O processo que participou o presidente estadual do partido (Sileno Guedes), que participou o líder maior do partido, o governador Paulo Câmara, que envolveu a secretária da Casa Civil, que tanto ele, quanto o deputado Gonzaga foram consultados diversas vezes sobre essa composição”, disse.

De acordo com Coelho, sua nomeação como presidente municipal do partido não o coloca como candidato da legenda para a prefeitura de Petrolina no próximo ano. “O que tem hoje é muita especulação. Afirmei em Petrolina, que minha nomeação como presidente do diretório de Petrolina não me torna candidato. Até porque Gonzaga era o presidente em 2012 e quem foi candidato foi (o deputado) Fernando Filho”, argumentou o parlamentar.







Rands: “A esquerda precisa se resgatar”

Publicado por Alex Ribeiro, em 29.07.2015 às 17:35

Ex-deputado também criticou a estratégia usada pelos marqueteiros (Foto: Clemilson Campos/Folha de Pernambuco)

O ex-deputado Maurício Rands (PSB) se mostrou cético com os partidos que se consideram de esquerda no País. Em entrevista à Radio Folha FM 96,7, nesta quarta-feira (29), o também ex-parlamentar defendeu que essas legendas precisam resgatas as bases da sociedade em vez de “instrumentalizar ou cooptar”. As estratégias utilizadas pelos marqueteiros, principalmente nas campanhas eleitorais, também foram alvo de críticas pelo socialista.

“Antes quem formulava as estratégias da esquerda eram os estudiosos e intelectuais. Hoje são os marqueteiros que, com todo o respeito, tendem à superficialidade. A esquerda brasileira hoje só vai ter a capacidade de dar uma resposta aos problemas do desenvolvimento nacional se ela resgatar uma intimidade maior com o estudo, com a teoria e a formulação de estratégias”, opinou Rands.

Segundo o ex-deputado, a presidente Dilma Rousseff (PT) acabou sendo induzida pelos instrumentos utilizados pelos marqueteiros e acreditou que poderia ter eficiência no governo.

“Acho que ela terminou acreditando que era competente e a gente já sabia que não era competente, que ela não tinha aptidão para governar e nem aptidão para a política. É preciso ter mais humildade como militante, se você é eleito pelo povo devia ter mais humildade ainda”, alfinetou.

Maurício Rands se filiou ao PSB em 2013, um ano depois de sair do PT. Com a saída do Partido dos Trabalhadores, ele acabou renunciando ao seu mandato como deputado federal pela sigla.







Lula entra com processo contra revista

Publicado por Márcio Didier, em 29.07.2015 às 16:40

Do site Congresso em Foco

O ex-presidente Lula entrou com uma ação judicial contra a revista semanal Veja, nesta quarta-feira (29), por reparação de danos morais. A publicação desta semana veicula reportagem em que diz que o executivo da OAS, José Aldemário Pinheiro, teria decidido contar em acordo de delação premiada tudo o que sabe “sobre a participação do ex-presidente no petrolão e como o filho de Lulinha ficou milionário”.

Os alvos do processo são os três jornalistas que assinam a matéria de capa, Robson Bonin, Adriano Ceolin e Daniel Pereira, e o diretor da redação Eurípedes Alcântara. A reportagem diz que “chegou a vez dele (Lula)”, em referência a suposta delação de Pinheiro. No entanto, o empreiteiro negou as acusações da revista antes de chegar às bancas. “Sobre a reportagem da Veja deste final de semana, José Adelmário Pinheiro e seus defensores têm a dizer, respeitosamente, que ela não corresponde à verdade. Não há nenhuma conversa com o MPF sobre delação premiada, tampouco intenção nesse sentido”.

Os advogados do ex-presidente petista classificaram o texto de “repugnante” e falaram que os jornalistas faltaram com a verdade. “O texto é repugnante, pela forma como foi escrito e pela absoluta ausência de elementos que possam lhe dar suporte”, defendem na ação, onde também afirmam que, de acordo com jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça, “a liberdade de comunicação e de imprensa pressupõe a necessidade de o jornalista e/ou o veículo pautar-se pela verdade”.

Nota a imprensa

Confira íntegra da nota divulgada pelo Instituto Lula sobre o processo contra Veja:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou nesta quarta-feira (29) com ação judicial por reparação de danos morais contra os responsáveis pela matéria de capa da revista VEJA desta semana.

São alvos da ação Robson Bonin, Adriano Ceolin e Daniel Pereira, que assinam as reportagens de capa da edição 2.436, que chegou às bancas em 25 de julho passado, além do diretor de redação Eurípedes Alcântara.

“O texto é repugnante, pela forma como foi escrito e pela absoluta ausência de elementos que possam lhe dar suporte”, destacam os advogados de Lula na ação. A peça reafirma também que, de acordo com jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça, “a liberdade de comunicação e de imprensa pressupõe a necessidade de o jornalista e/ou o veículo pautar-se pela verdade”.

A reportagem repete práticas comuns a VEJA: mente, faz acusações infundadas e sem provas, apresenta ilações como se fossem fatos, atribui falas e atos, não tem fontes e busca atacar, de todas as formas, a honra e a imagem do ex-presidente Lula.







Romário ironiza Veja e se diz “chateado”

Publicado por Branca Alves, em 29.07.2015 às 12:24

O senador Romário (PSB-RJ) usou sua página oficial no Facebook, nesta quarta-feira (29), para responder a revista “Veja”, assim como fez durante o final de semana, quando a revista publicou uma reportagem dizendo que possuía R$ 7,5 milhões em uma conta na Suíça. No Facebook, o senador aparece em uma foto em Genebra e diz estar “chateado”, já que chegou ao país e descobriu que não é dono “dos R$ 7,5 milhões”.

“Agora, aqueles que devem, podem começar a contar as moedinhas, porque a conta vai chegar de todas as formas. Eu não finjo ser decente, não faço de conta ser sério e pareço ser correto. Eu sou!!!”, afirma o parlamentar na publicação.

Resposta
O senador já havia publicado uma nota oficial sobre a reportagem da revista Veja no último domingo (26). No comunicado, o socialista, bem humorado, disse que ficou “muito feliz com a notícia” e que, assim que possível, iria ao banco “para confirmar a posse dessa conta, resgatar o dinheiro e notificar a Receita Federal”.

(Reprodução/Facebook)







Posse de João Paulo na Sudene se transforma em ato petista

Publicado por Alex Ribeiro, em 28.07.2015 às 21:35

Posse ocorreu nesta terça (28) e contou com a presença de vários militantes do PT (Foto: Clemilson Campos/Folha de Pernambuco)

A nomeação de João Paulo (PT) como novo superintendente da Sudene, nesta terça-feira (28), atraiu uma quantidade considerável de militantes petistas. Durante todo o ato se ouviam palavras de ordem exaltando a sigla. Além disso, parlamentares que discursaram no evento foram bastante aplaudidos, principalmente quando teciam elogios a presidente Dilma Rousseff (PT).

Além de afirmar que “seu coração é vermelho”, o deputado e vice-líder do governo na Câmara Federal, Silvio Costa (PSC) declarou que a presidente Dilma Rousseff era uma estadista e não política. “Nós não podemos compactuar com a agenda da demagogia. Dando aumento de 78% do judiciário para fazer média, e ela vai vetar porque é estadista, e não política. (…) Ela vetou o fator previdenciário”, relatou, sendo ovacionado, por diversas vezes, pelos militantes do PT.

Também bastante aplaudido, o deputado federal José Guimarães (PT-CE) usou do discurso feito por vários atores políticos petistas: “Ninguém que governou esse Brasil olhou mais para o nordeste do que o presidente Lula e a presidente Dilma”, disse.

Presentes na nomeação, o prefeito Geraldo Julio (PSB) e o governador Paulo Câmara (PSB) chegaram a receber vais quando foram anunciados pelo cerimonial do evento.







Priscila diz que DEM ainda não se decidiu sobre candidatura à PCR

Publicado por Alex Ribeiro, em 28.07.2015 às 20:56

Deputada também teceu criticas a gestão do prefeito Geraldo Julio (Foto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco)

Deputada estadual pelo DEM, Priscila Krause defende que o partido lance candidaturas a prefeituras em diversas cidades do Estado. Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta terça-feira (28), a democrata também comentou sobre a aliança da sigla com o PSB no Recife. Segundo ela, o cargo que a legenda ocupa na PCR, com Roseana Amorim, na Secretaria de Desenvolvimento e Empreendedorismo, não seria empecilho para uma postulação na capital pernambucana.

“Não é prego batido nem ponta virada. Inclusive, tenho conversado com o deputado Mendonça Filho sobre isso e a gente vem reafirmando que 2016 não foi condição para, por exemplo, falando em um português extremamente claro, o democratas estar na Secretaria de Desenvolvimento e Empreendedorismo do Recife”, comentou a parlamentar.

Mesmo com a aliança do DEM com o PSB, no âmbito estadual, Krause afirma que as eleições municipais respeitaram as peculiaridades de cada município. “Senão reproduz o que o deputado Lucas Ramos disse, que é uma forma ditatorial de agir nos municípios. Na capital não é diferente”, relatou.

Geraldo

A deputada voltou a criticar a gestão do prefeito Geraldo Julio (PSB). Segundo ela, o gestor vinha fazendo a tarefa de casa, que era a manutenção da cidade, mas agora está deixando a desejar.

“As obras estruturadoras da Região Metropolitana do Recife, alguns projetos que algumas pessoas falam como se fossem novidades, eles são da década de 60, 70 e início da década de 80. Basta ir a agencia Condep Fidem que vai estar tudo lá. A atuação da prefeitura tem caído nessa questão do básico feijão com arroz. Não vou entrar nem nos grandes investimentos e da dificuldade de colocar esses investimentos para andar. Mas o dia a dia da cidade está prejudicado”, argumentou a democrata.







Marília Arraes deve decidir filiação em setembro

Publicado por Branca Alves, em 28.07.2015 às 15:08

A vereadora licenciada do Recife Marília Arraes afirmou, em conversa com a imprensa durante a posse do novo superintendente da Sudene, João Paulo (PT), nesta terça-feira (28), que só vai decidir a questão de filiação em um novo partido no mês de setembro. De acordo com a parlamentar, que rompeu com o PSB por discordar da condução do partido em Pernambuco, ela está conversando com outros socialistas insatisfeitos para decidir seu rumo.

Marília Arraes informou que há um conjunto de socialistas que também está insatisfeito com o PSB a nível nacional. O grupo, que inclui a vereadora licenciada, vem conversando para decidir se todos vão para um único partido ou se cada um vai escolher seu próprio caminho, de acordo com a sua história.

Questionada se poderia ingressar no PSOL, a parlamentar não respondeu que sim, nem que não. No entanto, afirmou que o PSB está se tornando um partido de direita, se afastando das origens.

Com informações de Tauan Saturnino, da Folha de Pernambuco.







PT quer “guerra” a oposição em reação a ofensiva contra ex-presidente

Publicado por Branca Alves, em 28.07.2015 às 11:08

O Partido dos Trabalhadores quer “guerra” à oposição no Congresso Nacional, na volta do recesso. O motivo seria uma reação ao que considera ofensiva orquestrada para atingir o ex-presidente Lula (PT). De acordo com a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, deputados e senadores vão responder a ataques nas tribunas e “partir para cima” de tucanos como Aécio Neves (MG) e Cássio Cunha Lima (PB).

A estratégia, segundo a coluna, será cobrar que a Lava Jato aprofunde investigações sobre a relação das empreiteiras com governos do PSDB em Estados como São Paulo e Minas Gerais.

“Mexer com Dilmta tudo bem, mas com o Lula não!”. A frase é de um senador petista que esteve com o ex-presidente na semana passada, ao explicar a reação do partido.

Ainda segundo a coluna, dirigentes de partidos de oposição já apontavam na semana passada que o agravamento da situação de Lula é um dos poucos fatores que podem reagrupar forças de esquerda, hoje dispersas e críticas ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT).







Temer aposta em diálogo para aprovação de propostas no Congresso

Publicado por Alex Ribeiro, em 27.07.2015 às 20:00

Agência Brasil (Brasília) – O vice-presidente da República, Michel Temer, disse apostar no diálogo entre o Executivo e o Legislativo para que as propostas de interesse do país sejam aprovadas no Congresso Nacional. Ele disse que os parlamentares “são capazes de verificar o que pode prejudicar o País e o que pode ajudar” e reforçou a necessidade de “muito diálogo, inclusive com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha”, que anunciou há duas semanas rompimento com o governo.

Ao lado da presidenta Dilma Rousseff (PT), ele participou nesta segunda-feira (27) de uma reunião com ministros de diferentes partidos com o objetivo de unificar a base aliada no Congresso. Temer disse ter certeza da “responsabilidade pública” dos parlamentares, e avaliou que tudo vai depender do diálogo permanente entre os dois Poderes. Ele disse ainda que o rompimento de Cunha foi de natureza pessoal, e não institucional.

Durante a reunião, Dilma pediu aos ministros que convençam os parlamentares da importância de não aprovar medidas que causem impacto financeiro elevado, e de finalizar a aprovação do ajuste fiscal proposto pelo governo. Ao responder sobre o tema e possíveis “pautas-bomba” que o governo vai enfrentar após o recesso dos congressistas, na próxima semana, Temer disse confiar nos parlamentares.

“No Congresso Nacional, deputados e senadores são capazes de verificar o que pode prejudicar o país e o que pode ajudar. A regra geral é que o Congresso, quando legisla, ajuda o país. Não é ajudar o governo. Nosso compromisso é muito mais com o país do que exatamente apenas com o governo. Você apoia o governo quando está com teses boas para o país. Tenho certeza que o Congresso examinará com muito cuidado as teses que forem apresentadas. Se forem onerosas para o país, de maneira que o país não possa suportá-las, certamente rejeitará. É preciso espírito público, especialmente. Tenho certeza que o Congresso tem”, afirmou.







Ex-vereador de Olinda, João Luiz já discursa como candidato à Prefeitura

Publicado por Alex Ribeiro, em 27.07.2015 às 17:31

Sem espaço entre os socialistas, devido a possível candidatura de Antônio Campos (PSB) à Prefeitura de Olinda, o ex-vereador do município, João Luiz, estará ingressando no PPS para disputar o cargo nas eleições do próximo ano. Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta segunda-feira (27), o ex-parlamentar mostrou respeito à postulação do irmão do ex-governador Eduardo Campos e apoia outros nomes na disputa local. “A gente está vivendo um processo de decisão muito apático na cidade ao longo das últimas eleições”, disse.

“Acho salutar a quantidade de nomes. No futuro entendo que vai diminuir um pouco (as candidaturas), mas vai ser um processo rico de discussão, isso vai forçar um segundo turno. O grande vencedor das eleições no não passado foram os votos brancos e nulos. Foi um terço dos votos”, relatou João Luiz.

Em sua opinião, a quantidade de nomes que podem disputar a Prefeitura de Olinda é por conta da “fadiga natural do poder” da gestão de Renildo Calheiros (PCdoB). O ex-vereador comparou a atual administração da cidade com o Governo Federal. “Parece que tudo conspira contra”.

“Estamos precisando que Olinda dê uma sacudida política, com novos nomes, uma corrente nova para oferecer alternativa a gestão da cidade. Isso reforça ainda minha tese que a cidade sofreu um represamento que foi prejudicial a nossa cidade. Talvez se tivesse uma alternativa de grupos na cidade não tivesse esse represamento”, afirmou.







Jarbas e Bezerra Coelho se reúnem no Recife

Publicado por Branca Alves, em 27.07.2015 às 16:08

Em meio aos rumores de que o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB) pode concorrer à Prefeitura do Recife em 2016, o parlamentar continuou sua agenda de encontro com os políticos. Nesta segunda-feira (27), o peemedebista se reuniu com o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), no Recife.

Os parlamentares discutiram sobre a situação política do País e a volta dos trabalhos do Congresso Nacional, que ocorre na próxima semana. Na avaliação de Jarbas, o segundo semestre em Brasília será marcado por embates entre o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o Governo Federal.

“Será um semestre muito difícil. Como o presidente da Câmara anunciou o rompimento com o Governo, corremos o risco de trabalharmos diante do famoso ‘toma lá, dá-cá’. E nós não podemos, como representantes eleitos da população, sermos pautados por quem não tem condições éticas de conduzir sua função”, afirma Jarbas.

Para Bezerra Coelho, o momento político do País requer cautela e diálogo. “O deputado Jarbas Vasconcelos é uma liderança importante e respeitada por todos no Congresso Nacional. Conversar com ele e manter esse canal aberto é sempre bom para nós que militamos na política”, afirmou o senador.







Lula se diz “cansado de mentiras e safadezas” contra Dilma

Publicado por Márcio Didier, em 25.07.2015 às 13:45

Ex-presidente Lula afirma que não há ninguém com mais caráter no País do que Dilma (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse estar de “saco cheio” e “cansado de mentiras e safadezas” contra a presidente Dilma Rousseff. As declarações foram dadas durante posse do novo presidente do Sindicato dos Bancários, Belmiro Moreira, na noite dessa sexta-feira (24). Na ocasião, o petista voltou a fazer comparações com o nazismo. “O que a gente vê na televisão parece os nazistas criminalizando o povo judeu”, disse ele, em reportagem do jornal O Estado de S.Paulo.

No discurso, Lula defendeu a presidente e procurou minimizar a crise política e econômica que enfrenta o país. “Estou cansado de agressões a primeira mulher que governa esse país, de ver o tipo de perseguição que fazem às esquerdas desse país”, afirmou Lula. “Não tem pessoa com caráter mais forte nesse país que Dilma”, completou ele, exaltando a presidente.

O ex-presidente ainda disse estar “profundamente irritado” com a reação das pessoas “que se diziam democráticas e que não aceitaram até agora o resultado da eleição”. Essas pessoas, segundo ele, seriam as elites que não aceitam a ascensão dos extratos mais pobres da sociedade. “Sei que é difícil para parte da elite brasileira aceitar certas coisas”, e completou que “tudo que é conquista social incomoda uma elite perversa”.

Ele admitiu o cenário de crise ao afirmar que a população está preocupada com a inflação e o desemprego, mas disse que a resolução desses problemas são questões de prioridade no governo. “A inflação está alta, a 9%, mas vai cair”.

Lula reiterou que é preciso trabalhar a conscientização e formação dos brasileiros para que confiem nos políticos que podem melhorar suas vidas, ao que completou destacou os avanços dos últimos 12 anos, alcançados com a gestão petista. “Quem vem apostando no fracasso deste país vai quebrar a cara”, disse ele.

(Fonte: Congresso em Foco)