Pernambuco

Grupo não realizou vistoria por proibição da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos. (Foto: Divulgação)

Entidades de Direitos Humanos em Pernambuco foram barradas de realizar inspeção, marcada para esta quarta-feira (27), na penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, no Agreste do Estado. Os grupos tinham o objetivo de vistoriar as condições humanas, de segurança e infraestrutura dos detentos e agentes penitenciários, principalmente após os episódios de violência registrados no local.

De acordo com a comitiva, composta pelo deputado Edilson Silva, presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, e membros da Defensoria Pública, Pastoral Carcerária, Mecanismo de Combate à Tortura e Conselho Estadual de Direitos Humanos, o diretor da penitenciária teria sido orientado a não permitir a entrada do grupo por questões de segurança. A comissão entrou em contato com secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, que afirmou que a inspeção no local só será feita nesta quinta, pela própria pasta.

“É inadmissível que o secretário Pedro Eurico e o governo Paulo Câmara procedam dessa maneira. Tal postura é uma prática, não exceção. No ano passado, eu e outros deputados estaduais da oposição fomos barrados de entrar no presídio de Itaquitinga, que está com as obras paralisadas e sem nenhum detento dentro. Então não se trata de questão de segurança, mas de manter no escuro uma situação absurda de completa indignidade dos detentos e agentes”, protestou o presidente da Comissão de Cidadania da Assembleia.

“As entidades e o Legislativo foram desrespeitados. Nem mesmo a Defensoria Pública, que tem a prerrogativa funcional de adentrar nas unidades a qualquer momento, foi considerada. Foram seis mortos numa rebelião previsível, já que há 1,9 mil homens estão num local cuja capacidade é de 380″, completou Edilson.

O Blog da Folha entrou em contato com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, mas não recebeu posicionamento da pasta sobre o assunto.


Unidade abriga 1,9 mil detentos, número cinco vezes maior que o indicado. (Foto: Clemilson Campos/Folha de Pernambuco)

A Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco passará por inspeção na manhã desta quarta-feira (27). A ação, motivada após os trágicos episódios registrados na unidade, será promovida pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, o Mecanismo Estadual de Combate à Tortura e o Comitê Estadual de Direitos Humanos.

As entidades têm o objetivo de cobrar ao Governo do Estado, por meio das Secretarias de Justiça e Direitos Humanos e Executiva de Ressocialização (Seres), um cronograma de ações que promovam a melhoria das condições dos detentos, mais segurança e infraestrutura nas unidades prisionais.

Hoje, a penitenciária de Caruaru, que tem capacidade para 380 pessoas, comporta 1,9 mil detentos, número cinco vezes maior que o indicado. Situação que comprova a constatação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de que o Estado possui o sistema prisional mais lotado do Brasil.


Comissão fará visitas para averiguar a situação dos locais. (Foto: Clemilson Campos/Folha de Pernambuco)

Por Daniele Monteiro
do portal FolhaPE

Após os recentes casos de barbárie registrados na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, e na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Abreu e Lima, a Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Participação Popular da Assembleia Legislativa emitiu uma nota condenando a falta de controle, o despreparo e a falta de infraestrutura nos sistemas prisional e socioeducativo em Pernambuco.

No documento, assinado pelo presidente Edilson Silva, o colegiado afirma que “o decreto de estado de emergência assinado pelo governador Paulo Câmara, no ano passado, não provocou mudanças significativas” e que a superlotação ainda é um problema crônico nas unidades.

A comissão assegura ainda que fará visitas para averiguar a situação dos locais e que continuará cobrando a lista das vítimas, para que os familiares dos detentos saiam da situação “vexatória de aflição”. Confira, na íntegra, a nota:

Diante dos últimos fatos envolvendo os sistemas prisional e socioeducativo de Pernambuco, a Presidência da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Participação Popular da Assembleia Legislativa vem a público cobrar do governo do Estado a apresentação de um cronograma para a melhoria das condições humanas e de infraestrutura da Penitenciária Juiz Plácido de Sousa, em Caruaru, no Agreste.

Com 1.922 detentos onde caberiam 380, unidade foi palco de uma das mais violentas rebeliões registradas no sistema prisional de Pernambuco, com seis detentos mortos e outros 11 feridos, o que deixa evidente que o decreto de estado de emergência assinado pelo governador Paulo Câmara, no ano passado, não provocou mudanças significativas no sistema prisional do Estado, considerado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) como o pior e mais superlotado do Brasil.

Para a Comissão de Cidadania da Assembleia, apenas a transferência de detentos para o Centro de Ressocialização do Agreste, em Canhotinho, não garante o respeito aos direitos humanos dos demais detentos e dos agentes penitenciários que trabalham na unidade em condições de insegurança e em contingente bem menor do que o indicado.

A Comissão de Cidadania e o Conselho Estadual de Direitos Humanos farão uma visita à penitenciária, quando irão vistoriar a unidade. Até agora, a Secretaria de Ressocialização (Seres) não divulgou a lista das vítimas, colocando os familiares de todos os detentos em situação vexatória de aflição.

Funase de Abreu e Lima – O presidente da Comissão de Cidadania, deputado Edilson Silva, visitou, na tarde de segunda-feira (25) o Centro de Atendimento Socioeducativo da Funase de Abreu e Lima, no Grande Recife, onde ocorreu pela manhã outra rebelião, que registrou um adolescente morto e dois feridos.

Em conversa com a direção da unidade, ao presidente da Comissão de Cidadania foi relatado que o adolescente havia dado entrada por tráfico de drogas. Aproximadamente dez adolescentes foram identificados como autores do homicídio e serão encaminhados à Delegacia de Paulista. Três câmeras de segurança estão posicionadas no pátio onde o corpo foi deixado e podem ter registrado o tumulto.

A unidade está superlotada, com 230 adolescentes para uma capacidade de 96. A unidade também não tem agentes socioeducativos suficientes. São apenas entre dez e 15 por plantão, quando a necessidade é de 40, segundo a administração. A situação ficará ainda mais difícil porque 20 deles deixarão a função em breve por motivos diversos.

Edilson Silva, presidente da Comissão de Cidadania da Alepe


O prefeito de Catende, Octacílio Alves Cordeiro (PSB), teve a prisão domiciliar revogada após descumprir regras do benefício.

De acordo com a titular da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), Patrícia Domingos, que acompanha o caso, o gestor teria deixado a tornozeleira desligada, descuido que inviabiliza sua localização.

“O prefeito não manteve o equipamento carregado. A Central de Justiça foi acionada e, por isso, sua prisão preventiva será mantida”, explicou.

Octacílio segue, na noite desta quarta-feira (13), para o Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), Abreu e Lima.

O prefeito já esteve preso no Cotel, mas desde o dia 21 de junho, por decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), utilizava a tornozeleira eletrônica em prisão domiciliar.

Dentre as regras que estava submetido, além de manter o equipamento carregado, o gestor foi proibido, com exceção da sua residência, de acessar e frequentar os lugares onde foram realizadas, no decurso do procedimento de investigação, buscas e apreensões, bem como manter contato com outros investigados do processo, até a sua conclusão.

O prefeito foi preso no início de junho, durante a operação Tsunami, acusado de integrar um grupo que praticava o emprego irregular de verbas públicas, falsificação de documentos e lavagem de dinheiro da prefeitura do município, na Mata Sul do Estado. Na residência do socialista, a polícia Civil apreendeu R$ 758.437, uma barra de ouro avaliada em R$ 40 mil e diversas armas.

 


Reunião ocorreu nessa quarta-feira (Foto: Divulgação)

O prefeito de Petrolina, Julio Lossio (PMDB), apresentou em Brasília, nessa quarta-feira (6), o projeto do Anel Viário do município ao secretário encarregado das Parcerias Público-Privadas (PPPs) do Governo Federal, Eduardo Parente. O gestor esteve acompanhado do vereador Ednaldo Lima (PMDB).

A proposta diz respeito à implantação de um anel viário interligando as cidades de Petrolina, em Pernambuco, e Juazeiro, na Bahia.

A ideia é que o equipamento seja composto por vias com acessibilidade e pontos sobre o Rio São Francisco. As duas passagens permitirão a implantação de um sistema de transporte público intermunicipal de passageiros, utilizando o Eixo de Integração Centro, e ligando as áreas periféricas das duas cidades. Com esse projeto, cerca de 400 mil pessoas seriam beneficiadas.


Ninho solicita agilidade em obras no Litoral Norte

Publicado em 6.07.2016 às 17:30

Entre os pontos discutidos, a recuperação da BR-101 Norte (Foto: Divulgação)

O deputado federal Severino Ninho (PSB-PE) se reuniu com o secretário da Casa Civil, Antônio Carlos Figueira (PSB), para solicitar agilidade na execução de ações em benefício do Litoral Norte do Estado. No encontro, foi discutida a recuperação da BR-101 Norte e da Estrada do Tabuleiro, além da inauguração da UPAE de Abreu e Lima.

O parlamentar ainda pediu medidas que resolvam os alagamentos em decorrência das chuvas nos bairros de Ouro Preto e Tabajara, ambos na cidade de Olinda.

Devido aos buracos da BR-101 Norte, o parlamentar avalia que o custo com a manutenção de veículos aumenta e encarece o escoamento da produção das fábricas existentes na área, como a Ambev e a Petrópolis, em Itapissuma, Ondunorte e a Brasil Kirin, em Igarassu, e a Fiat, em Goiana.

“Estamos atentos às necessidades da população do Litoral Norte. Tenho certeza que o secretário vai fazer o possível para atender nossos pleitos, que são relevantes para a vida da sociedade”, disse Severino Ninho.


Ato público em defesa do Atitude nesta quinta

Publicado em 6.07.2016 às 15:50

Funcionários dos núcleos Recife, Cabo de Santo Agostinho e Caruaru do Programa Atitude, assim como usuários do sistema, participarão de ato público, nesta quinta-feira (7), a partir das 8h. Com concentração no Parque 13 de Maio, no Centro da Capital, e caminhada pelas principais vias da região central do Recife até o Palácio do Campo das Princesas, os participantes da mobilização se colocam contra o atraso no pagamento dos salários e ao que chamam de desmonte silencioso do programa, vivenciado há mais de um ano.

De acordo com a organização do ato, a Secretaria Executiva de Políticas sobre Drogas do Estado não apresenta previsão para repasse dos recursos e consequente pagamento dos salários atrasados, além de ameaçar fechar todas as unidades de atendimento do Atitude em um ou dois dos municípios cobertos pelo programa. No momento o núcleo Caruaru já está fechado.

A pauta de reivindicação ainda exige o cumprimento de compromisso do governador Paulo Câmara (PSB), com a continuidade do Atitude, como a sua ampliação. Reivindica também a manutenção da Redução de Danos como referencial que orienta as políticas sobre drogas em Pernambuco, e a ética dos direitos humanos no olhar e na garantia do cuidado às pessoas que usam e têm problemas com drogas no Estado.

Segundo os organizadores, o atraso nos salários dos trabalhadores vem acontecendo desde maio de 2015 e os trabalhadores recebem seus pagamentos de três em três meses e sempre sem previsão.

O programa é do governo estadual, voltado para proteção social de pessoas que têm problemas com drogas, seus familiares e territórios. Situados em diferentes municípios do Estado, seus núcleos de base contam com oito serviços. Atualmente, no Recife, o programa oferece um centro de acolhimento e apoio e um centro de acolhimento intensivo para mulheres, além das duas equipes de rua e uma do Aluguel Social. O Cabo, Jaboatão e Caruaru contam com um centro de acolhimento e apoio e um centro de acolhimento intensivo misto cada um, além das equipes de rua e do Aluguel Social que, em Cabo e Jaboatão são partilhadas.


Servidores do MPPE em busca de reajuste salarial

Publicado em 5.07.2016 às 11:50

Desde maio, os trabalhadores do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) aguardam um parecer do procurador-geral de Justiça, Carlos Augusto Guerra, sobre o reajuste salarial referente ao ano de 2016.

O reajuste é garantido por lei, de acordo com a resolução nº 53 do Conselho Nacional do Ministério Público, que determina a reposição da inflação anual.

“No ano passado, nós tivemos um reajuste de apenas 8%, quando a inflação foi de quase 11%, ou seja, ficou negativo para os trabalhadores”, explicou Fernando Ribamar, presidente Sindicato dos Servidores Públicos de Pernambuco (Sindsemppe).

Ele explicou que, na época, o procurador-geral afirmou não ter condições de se posicionar sobre o assunto.

“Entregamos o ofício e recebemos a resposta de que estavam esperando uma melhora nas contas do Estado para que houvesse uma disponibilidade orçamentaria para o reajuste”, continuou Fernando.

Entretanto, segundo o Sindsemppe, o reajuste salarial não iria inviabilizar financeiramente o MPPE, já que apenas 20% da folha são recursos destinados aos servidores.

“Seria um acréscimo de apenas 2% na folha. Ressaltamos que não se trata de aumento salarial. Existe uma determinação constitucional que garante o reajuste, que é a reposição inflacionária para que seja mantido o poder de compra”, explica. O sindicato deliberará em assembleia o posicionamento que irá tomar para tentar conseguir resposta concreta, assim como um acordo sobre a pauta.


O deputado estadual Romário Dias (PSD), juntamente com a Prefeitura de Paudalho, na Zona da Mata de Pernambuco, quer atrair duas empresas para o município. Dias, que mantém empreendimentos na cidade e atua há mais de 30 anos no município, revelou que está mantendo conversas com dois empresários que desejam se instalar em Paudalho.

“Essas empresas não são para daqui a muitos anos, são para agora. Quero trazer, ainda este mês, esses empresários à cidade para que eles possam ver, conhecer e começar a gostar de Paudalho. Essas duas empresas, juntas, devem gerar entre 200 e 300 empregos diretos e outros 400 a 500 indiretos”, adiantou o parlamentar.

Ainda de acordo com o deputado, o objetivo é “acabar com o estigma que Paudalho é uma cidade que está entre Carpina e São Lourenço” e garantir oportunidade para os jovens. “Estou preocupado com as próximas gerações. Paudalho tem vida própria, uma população aguerrida e uma juventude que quer trabalhar e se desenvolver. Tenho um compromisso com o prefeito José Pereira para, juntos, fazermos com que a cidade cresça”, concluiu.


Joaquim Francisco defende expansão do metrô

Publicado em 30.06.2016 às 18:30

Tucano relatou que já existem projetos para o setor (Foto: Cristiana Dias/Folha de Pernambuco)

Ex-governador de Pernambuco, Joaquim Francisco (PSDB) afirmou que pretende contribuir para a melhora do trânsito na Região Metropolitana do Recife. Nomeado como presidente do Conselho de Administração da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) pelo ministro das Cidades, Bruno Araújo, ele citou que a expansão do metrô é a melhor solução para o setor.

“Você tem alternativas. Estudos existem em relação a expansão do metrô. Um ramal para linha norte, um ramal para Suape. (…) Há uma obra pronta. Os investimentos maiores foram feitos. É com uma tomada de decisão. Uma decisão política de ampliá-lo, com um custo ainda mais barato do que você ir de transporte individual e ainda é mais veloz”, explicou o ex-governador, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta quinta-feira (30)..

Joaquim Francisco também comentou sobre as dificuldades de serem feitas novas vias na região “Uma parte da cidade está tombada, outra parte tem morros. É preciso consolidar alternativas”, disse.

“Acho que nós iremos juntar a capacidade de trabalho do ministro, que conhece Pernambuco, mais meu conhecimento da cidade do Recife, e das cidades da Região Metropolitana, onde já fui prefeito duas vezes, onde temos condições de avançar positivamente sobre isso”, completou o tucano.


Missa em memória de Isabel Cristina nesta quarta

Publicado em 28.06.2016 às 10:15

Isabel Cristina lutava contra um câncer há nove anos (Foto: Divulgação)

Uma missa póstuma em memória da ex-deputada estadual Isabel Cristina (PT) será celebrada na Igreja Matriz, em Petrolina, no Sertão, nesta quarta-feira (29), a partir das 19h30. A data seria também do aniversário de 63 anos da petista, que faleceu na semana passada.

A celebração será comandada pelo padre Antônio Moreno e contará com nomes do PT de Pernambuco, segundo a presidente do partido em Petrolina, Cristina Costa.

Entre os que devem marcar presença, o presidente da sigla em Pernambuco, Bruno Ribeiro, a deputada estadual Teresa Leitão (PT), Dilson Peixoto (PT), além de lideranças do PT local e de cidades como Orocó, Santa Maria da Boa Vista, Afrânio e de municípios do Sertão do Araripe.

Isabel Cristina morreu na manhã da última quarta-feira (22). A petista, que lutava contra um câncer há nove anos, teve duas paradas cardíacas e não resistiu.


O prazo das licenças maternidade e paternidade de servidores públicos municipais com filhos portadores de necessidades especiais de qualquer natureza, inclusive, malformação congênita, como a microcefalia, será ampliado em Petrolina, no Sertão. A sanção da Lei nº 2.850/2016 ocorre nesta quarta-feira (29), às 9h30, no gabinete do prefeito Julio Lossio (PMDB).

A proposta é de autoria do vereador Edinaldo Lima. A partir da sua publicação, as mães terão aumentados de seis para 12 meses o período. Para os pais, o tempo passa de um para três meses de licença.

De acordo com a justificativa, a lei tem o objetivo de proteger o direito dos pais em cuidar de seus filhos naturais ou adotados nos primeiros meses desse contato e o direito dos menores em receber a devida atenção com os cuidados adequados e específicos para seu pleno desenvolvimento físico e emocional, considerando as características de cada criança.


Felipe Carreras criticou áudios divulgados contra o Governo do Estado(Foto: Clemilson Campos/Folha de Pernambuco)

O secretário estadual de Turismo, Esportes e Lazer, Felipe Carreras, e o de Cultura, Marcelino Granja, lançaram juntos uma nota, nesta quinta-feira (23), em repúdio as acusações sobre a Fundarpe e a Empetur. O texto rebate as criticas divulgadas em áudios no Whatsapp por dois homens que se identificam como os cantores André Rio e Cezzinha. A nota também foi assinada por Ana Paula Vilaça (presidenta da Empetur) e  Márcia Souto (presidenta da Fundarpe)

Os auxiliares do Governo do Estado informaram que trabalham segundo as recomendações definidas pelo Tribunal de Contas do Estado e do Ministério Público, seguindo todos os critérios e normas legais nas contratações.

Junto com Carreras, Marcelino Granja promete acionar judicialmente aqueles que fizerem acusações inverídicas (Foto:Leo Mota)

O texto ainda relata que serão apurados e poderão punir civil e criminalmente alguém que vier fazer acusações inverídicas. Os artistas que possivelmente gravaram os áudios poderão ser chamados para provar as denúncias.

Confira a nota na íntegra:

Sobre o áudio gravado pelo cantor André Rio, as secretarias de Turismo e de Cultura do Governo do Estado de Pernambuco, a Fundarpe e a Empetur informam que trabalham segundo as recomendações definidas pelo Tribunal de Contas do Estado e do Ministério Público, seguindo todos os critérios e normas legais nas contratações. O Governo de Pernambuco vai apurar e punirá civil e criminalmente qualquer um que venha a tomar este tipo de atitude na atual gestão. Além disso, vai acionar judicialmente qualquer pessoa que faça acusações inverídicas,  para que ele possa informar e provar quem realizou ou propôs este tipo de negociação, tal como o relatado pelo citado cantor.

- Felipe Carreras (secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco)
- Marcelino Granja (secretário de Cultura de Pernambuco)
- Ana Paula Vilaça (presidenta da Empetur)
- Márcia Souto (presidenta da Fundarpe)


Por Daniel Medeiros
Da Folha de Pernambuco

As polêmicas entre shows e o meio político pernambucano voltaram à tona nesta quinta-feira (23). Depois da denúncia sobre o custo do show de Wesley Safadão nas festividades juninas no município de Caruaru, um áudio gravado pelo Whatsapp, por um homem que se identifica como o cantor pernambucano André Rio, denuncia uma suposta cobrança de propina para contratação no São João do Governo do Estado.

O áudio divulgado faz críticas ao procedimento da Empetur e da Fundarpe na contratação de shows para artistas locais. O homem, que se identifica como André Rio, refuta o “coronelismo” instalado no meio artístico.

“Me ofereceram quatro shows na Empetur e mais dois na Fundarpe. Acontece o seguinte: eu teria que deixar metade do meu cachê de comissão (…) É um absurdo. Eles chegam de última hora, oferecem uma cidade longe, pegam o cachê e dizem que tem que deixar metade de bola para as pessoas que dirigem estes órgãos”, diz o artista no áudio, que foi repassado pelo celular da irmã do cantor, Carla, e no qual André Rio revela ter recusado a oferta.

Procurado pela Folha de Pernambuco, o músico não foi encontrado para dar mais detalhes sobre o caso. A gravação foi publicada na noite da terça-feira (22), em um grupo criado por artistas e produtores locais com o intuito de discutir a política cultural em Pernambuco.

Leia também:

Em nota, secretários taxam acusações de inverídicas e prometem acionar justiça

O músico Silvério Pessoa também não está na programação junina organizada pelo Governo do Estado neste ano. De acordo com ele, denúncias como a que foi feita por André Rio são constantes no meio artístico local. “A gente fica sabendo, até por meio da Imprensa, que isso acontece há bastante tempo. Felizmente, eu e minha equipe sempre passamos longe dessas negociações escusas”, ressalta o carpinense, que se apresentará no São João do Recife, hoje, às 21h, em Campo Grande.

O forrozeiro Josildo Sá diz que foi contratado há uma semana. “Só posso falar por mim. Ninguém me pediu bola, os cachês serão meus, completamente”, conta. Ele se apresentou nesta quinta-feira, em Gravatá e Vitória do Santo Antão, pela Empetur; e ainda fará show neste sábado, em Capoeiras, pela Fundarpe.

“Tenho uma empresa, chamada Samba de Latada, e é através dela que meus shows são feitos”, completa.

Para Josildo, este ano o cenário mudou, com os forrozeiros tocando menos e a invasão das músicas de fora. “Estes artistas vêm com o poder financeiro muito forte. As Prefeituras gostam de botar mais gente na rua, os cantores que estão mais na mídia, mas não culpo o (Wesley) Safadão. Quem não queria estar no lugar dele?”, dispara o cantor, ressaltando que falta aos governos cuidar de problemas com a saúde, educação e limpeza das cidades.

De acordo com Josildo, o áudio de André Rio foi publicado no grupo de Whatsapp “Artistas Unidos por Pernambuco”. Outros artistas, como o sanfoneiro Cezzinha, também se manifestaram em áudio.

As polêmicas sobre a relação de shows com a política não são novidade no Estado. Em 2014, o pagamento de eventos a partir de emendas parlamentares, realizado pela Assembleia Legislativa em Pernambuco, acabou sendo denunciado a Justiça. O Ministério Público até abriu investigação sobre o caso. Neste ano, depois de muitas denúncias, a Casa Joaquim Nabuco promulgou projeto de lei que obriga a colocação de placas informativas sobre os gastos públicos com o evento.


Alojamento da PM em Caruaru, no Agreste (Foto: Divulgação)

Depois das denúncias de problemas no alojamento dos policiais militares que trabalham nos festejos juninos em Caruaru, no Agreste, a Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE) se reunirá com o comando geral da Polícia Militar de Pernambuco (PM-PE), nesta sexta-feira (17). O encontro está agendado para às 10h, no Derby, área central do Recife.

Entre os problemas apontados pela ACS, a distância do alojamento, que fica num galpão a 8 quilômetros do centro da cidade, problemas com as diárias, que deveriam ter sido pagas antes do trabalho e o valor das mesmas. Segundo a associação, os pms deveriam receber R$ 180, mas recebem R$ 54,01.

Associação cobra melhores condições para os PMs lotados em Caruaru (Foto: Divulgação)

A ACS ainda afirma que a alimentação é de baixa qualidade, que os policiais têm que tirar do próprio bolso o dinheiro para suprir suas necessidades, que os colchões estão velhos e sujos e que os banheiros não possuem condições higiênicas precárias. Ainda entre na conta das insatisfações, a carga horária de trabalho e descanso desencontradas.