Leitor do Blog

Aprovados do concurso da SCGE ainda aguardam convocação

Publicado por Maurício Júnior, em 3.07.2014 às 21:00

Os aprovados do último concurso da Secretaria da Controladoria Geral do Estado de Pernambuco, cuja primeira etapa foi realizada em dezembro de 2010, ainda aguardam ser convocados para assumir as vagas. Eles garantiram o direito de concorrer na segunda etapa, sob a ordem de um Mandado Judicial impetrado pelo grupo no Tribunal de Justiça de Pernambuco, em março de 2013 e concedida a segurança favorável aos aprovados em agosto do mesmo ano.

O curso de formação, necessário para a segunda etapa do concurso da SCGE, estava previsto no edital, para acontecer após a primeira etapa classificatória. Mesmo sem ter prazo fixo para iniciar, esta fase do concurso teria que ser realizada, mas quase não aconteceu. Os candidatos aprovados aguardaram dois anos e dez meses para fazer a segunda etapa, que só ocorreu em virtude da ordem judicial MS 300176-5, do TJPE contra os secretários da SCGE e da Secretaria de Administração, onde o relator do processo foi o Des. Luiz Carlos Figueiredo. A partir daí, é que os candidatos classificados fizeram o curso de formação, em fevereiro deste ano e a lista de aprovados já foi divulgada e o resultado final homologado, através do Edital n° 7 – SCGE/PE, de 11 de abril de 2014.

Mesmo assim não houve convocação dos aprovados por parte do Governo do Estado. Na expectativa de assumir as vagas no setor público, muitos deles tiveram que abrir mão do emprego na iniciativa privada, para poder fazer o curso de formação. As aulas foram ministradas em período integral e duraram os 28 dias do mês de fevereiro. Houve até candidatos que vieram de outros estados, para competir no concurso e tiveram gastos com acomodações em hotéis, pousadas e alimentação. Todos temem em ver o esforço dedicado ao concurso em vão e ainda amargar prejuízos.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) recomendou ao Governo do Estado, a estruturação da SCGE, já que esta secretaria estava funcionando com apenas 37% do quadro de servidores efetivos. O TCE/PE entendeu a necessidade de nomeação de quadro efetivo, através do concurso público em vigor, para o cargo de Analista de Controle Interno, em diversas áreas. A SCGE divulgou, na página do órgão, O Plano Anual de Ação Integrada (PAAI) da SCGE, onde salienta que a Controladoria está defasada e que por isso, teria a necessidade e possibilidade de nomear cerca de 80 novos servidores através de concurso público.







Leitor denuncia poste presta a cair em Setubal

Publicado por Maurício Júnior, em 27.02.2014 às 18:30

Até o momento nem Celpe nem a Prefeitura do Recife se resolveram a situação (Foto: Divulgação)

Um leitor enviou uma denúncia ao Blog da Folha afirmando que desde a última terça-feira (25) um poste que fica na esquina da Rua Setúbal com a Rua Eng. Zael Diógenes está prestes a cair no prédio ao lado. Após ter a fiação arrastada por um caminhão, o equipamento foi danificado e está com as ferragens a mostra.

De acordo com o denunciante, a Celpe foi chamada, mas disse que a solução do problema deveria ficar com a Prefeitura do Recife, que até a presente data não mandou uma equipe no local. Vale ressaltar que as duas ruas estão com fiações abaixo da altura normal, deixando veículos e transeuntes sujeitos a acidentes.

Um novo poste também foi instalado há alguns meses na Rua Setúbal, na mesma esquina, mas a fiação não foi trocada.







Leitor denuncia “Estacionamento Legal” em Olinda

Publicado por Maurício Júnior, em 17.02.2014 às 17:30

Com o objetivo de minimar os transtornos causados pela grande quantidade de carros nas ruas de Olinda durantes as prévias carnavalescas e a folia de Momo, a Prefeitura da Cidade iniciou, no último domingo (16), o projeto Estacionamento Legal, utiliza o Memorial Arcoverde, no Complexo de Salgadinho, como ponto de apoio para o estacionamento de carros.

O serviço mal começou e já vem sofrendo críticas. UM leitor do Blog da Folha denunciou a precariedade do sistema. “O intuito é deixar o carro e ir de ônibus para Olinda e retornar mediante apresentação de pulseira, no entanto, o retorno foi extremamente desgastante pela espera de mais ou menos uma hora, além do sentimento de insegurança e exposição. Sendo assim, apesar do Estado incentivar o uso do transporte público, não utilizarei este serviço, pois após esgotar a paciência e temer pela segurança da minha esposa e minha mãe que me acompanhavam, fui obrigado a apanhar um táxi para chegar ao local do estacionamento onde havia um ônibus parado com o condutor. Ao questionar a demora e perguntar pelo responsável, afirmou que estes já tinham ido embora e que o BPRV não estava permitindo a entrada dos ônibus até o ponto acordado (Praça do Jacaré)”, criticou o internauta.

REGRAS
Para utilizar o Estacionamento Legal, o folião paga uma taxa de R$ 3 pelo veículo e mais R$ 3 por pessoa. Esse valor dá direito à passagem de ida e volta no ônibus que deixa o visitante no foco da folia, no bairro do Varadouro, e o leva de volta ao Memorial Arcoverde. São oferecidas mil vagas para o estacionamento de carros. a Prefeitura de Olinda justifica que o local conta com segurança e funciona das 7h às 0h.







Internauta denuncia dificuldades para matricular filho com Síndrome de West

Publicado por Maurício Júnior, em 17.02.2014 às 15:30

Uma leitora do Blog da Folha enviou uma denúncia afirmando que não consegue matricular seu filho, de cinco anos, portador de Síndrome de West – caracterizada por convulsões de difícil controle, porém com as crises controladas – , em uma escola regular do Grande Recife. “Ser mãe de um filho especial é sinônimo de muitas coisas, principalmente no Brasil. Entre elas posso citar: doação, dedicação, luta, desânimo, resiliência”, desabafa.

Com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, a mãe narra que desde que a criança completou dois anos e cinco meses foi orientada pela neuropediatra a colocá-lo em uma escola regular para que pudesse aprimorar sua socialização, seu desenvolvimento junto a outras crianças. “Foi ai que começou a minha peregrinação. Mesmo sendo professora da rede pública não sabia até então que iria começar uma verdadeira batalha. Foram dezenas de escolas visitadas todas elas não se negaram de fato, porém ouvi as mais variadas desculpas. Desde a famosa ‘nossa escola não está preparada para receber seu filho’ ou traga seu filho para participar de uma semana de adaptação para sabermos se ele ‘poderá’ estudar aqui e ainda a pior que é: o coordenador responsável não se encontra, deixe seu número de telefone que ele retornará para agendar com a senhora e isso nunca acontecia”, lamenta desesperada a mãe.

Os problemas não pararam por aí: “Na primeira escola que aceitou matricular meu filho tivemos que pagar uma taxa extra para uma funcionária da própria escola acompanhar ele durante as aulas. No final do mesmo ano não pudemos renovar a sua matrícula como os outros coleguinhas dele e em uma conversa a diretora nos convidou a retirá-lo da escola alegando que não tinha estrutura”, denuncia a mãe. Inconformada com a injustiça e discriminação, ela optou por não denunciar ao Ministério Público. Alega que “não quer que o filho estude numa escola onde seja tratado como um fardo”, justifica.

Após três anos de tentativas, todo tipo de respostas negativas e obstáculos colocados por parte de escolas da rede particular, a mãe conta que resolveu matricular seu filho na rede municipal de ensino de Recife. “A princípio fui informada de que crianças com deficiência têm direito a uma auxiliar de educação especial para ficar com ele em sala além de outros cuidados. Uma semana antes de iniciar as aulas fui informada de que não existe auxiliar para acompanhar esses alunos porque o MP proibiu a prefeitura de contratar estagiárias e que temos de aguardar a aprovação de um concurso público para essas vagas pela Câmara de Vereadores. Todos os anos há mães desistindo de levar seus filhos especiais para essas escolas porque cansam de esperar um profissional que nunca chegou”, denuncia.

A única sugestão da Gerência de Educação Especial da Prefeitura do Recife, conta a mãe, foi que a criança começasse a frequentar a escola com a pessoa que nos auxilia a cuidar dele em nossa casa. Para que ele não perdesse os primeiros dias de aula eu aceitei e então fui descobrindo outra realidade como, por exemplo uma sala de recurso que não existe e não funciona, transporte escolar para alunos com dificuldade de locomoção sem previsão de início pois há uma imensa fila de espera”, enumera os problemas.

Por fim, a mãe, que assina a carta afirmando que não vai desistir fácil, faz um clamor aos órgãos públicos do Recife e de Pernambuco. “Por favor, senhores gestores, educadores de apoio, coordenadores, parem de inventar desculpas e criar obstáculos para não receber nossos filhos em suas escolas. Pois eles são capazes sim, dentro de suas realidades e tem o direito de frequentar a escola como qualquer criança. Procurem ter outra visão do que é inclusão de verdade. Ponham em prática os seus discursos porque nós não vamos ceder a esse preconceito velado. Queremos nossos filhos inseridos nas escolas, no mercado de trabalho, na vida”, finaliza.







Recifense critica “descaso” da Prefeitura com sua rua

Publicado por admin, em 28.01.2014 às 19:46

Internauta não acha justo pagar IPTU e não vê os resultados (Foto: Cortesia)

Caro editor do Blog da Folha,

Não acho justo pagar um IPTU tão caro para ser tratado dessa forma pela Prefeitura do Recife. Vejam a situação da rua Antônio de Sá Leitão, em Boa Viagem. Lixo, mato e muitos buracos atrapalhando a via. Algumas vias foram recapeadas nas proximidades, no entanto, a PCR esqueceu dessa rua, uma das principais do bairro e de acesso aos dois maiores colégios da Zona Sul. Alô secretário João Braga!!! Vamos ver isso?

Renato Andrade Melo
Estudante universitário







Morador agradece matéria da Folha e cobra PCR

Publicado por admin, em 13.12.2013 às 10:40

Parabéns pela reportagem sobre a Rua Gomes Taborda no bairro do Cordeiro, pois é bastante pertinente o alerta. Apenas reforço a indignação, por ocorrer mais agravantes do que foi apresentado na reportagem a que me refiro. Pois, além de tudo que foi mostrado, é gritante como vários estabelecimentos comerciais da localidade, utilizam as calçadas como extensão de suas atividades. É pega-bêbado de um lado fechando as calçadas e com som nas alturas, é oficina de moto do outro, fazendo as calçadas de pátio de serviços, impedindo assim a circulação não só de pedestres, como como também dos veículos que precisam circular nas vias de acesso a Rua Gomes Taborda, é uma verdadeira desordem.

Peço a este veículo de comunicação muito importante para o Recife, que nos ajude e nos socorra dos desmandos que como cidadãos que estamos aqui desde que nascemos, temos que conviver. Pedimos socorro urgente, pois é só circular por aqui durante o dia, que terão matéria suficiente para pelo menos uma semana de jornal, debate ou qualquer outra atividade peculiar ao trabalho dos senhores!!! Desde já agradeço e deposito minha confiança no trabalho que farão para ajudar esta comunidade a viver com um pouco mais de dignidade.

Carlos







Usuário denuncia depredação em linha do Metrô

Publicado por admin, em 13.12.2013 às 08:38

Leitor do Blog da Folha nos encaminhou fotos e um vídeo (acima) denunciando a ocorrência de uma ação depredatória em um dos trens da linha Centro. As imagens, que foram realizadas na Estação Mangueira, mostram janelas danificadas com vidros quebrados e suas armações metálicas danificadas. Os usuários do transportes estavam revoltados com a situação em que o trem se encontrava. Metrorec, vamos ficar atentos!







Morador do Ipsep pede providência da Compesa

Publicado por Maurício Júnior, em 4.08.2013 às 16:00

Mesmo não solucionando problema, empresa estadual continua cobrando taxa de esgoto (Foto: Internet)

Com bastante frequência o Blog da Folha recebe denúncias de internautas insatisfeitos com algum órgão público. Recentemente, um morador do Ipsep, no Recife, cobrou providência da Compesa em relação ao esgoto que corre a céu aberto em frente da sua casa.

“Venho por meio desta implorar que alguém tome uma providência com relação a falta de respeito que a Compesa trata o cidadão, pois desde abril deste ano coleciono números de protocolo e o esgoto da minha residência continua correndo a céu aberto no bairro do Ipsep por traz do depósito da Italiana, já liguei, mandei e-mail e nada”, desabafa o morador.

Mesmo não solucionando o problema naquela área, a Compesa não esquece de acrescentar na conta de água de todos os meses os 100% da taxa de esgoto. “É uma falta de respeito com o contribuinte que paga 100% de taxa de esgoto, para ser tratado assim”, finaliza o leitor.







Leitor denuncia descaso da Prefeitura de Paulista

Publicado por Maurício Júnior, em 4.08.2013 às 14:00

Moradores da rua Bonfim estão cansados de tanta reivindicação feita à Prefeitura (Fotos: Divulgação)

Os moradores da rua Bonfim, no bairro da Conceição (PE 22), em Paulista, não sabem mais o que fazer e a quem procurar. Um leitor do Blog enviou algumas fotos mostrando o estado que a referida rua fica após as chuvas. De acordo com o internauta, os moradores da rua Bonfim já estão cansados de tanta reivindicação feita à Prefeitura de Paulista, sem, contudo obter êxito.

O denunciante ainda lembra que nessa mesma rua um órgão da Prefeitura, a Secretaria de Políticas Sociais, Esportes e Juventude de Paulista – Núcleo Peti Conceição II, atende diariamente crianças daquela localidade.

“É lamentável o descaso da Prefeitura de Paulista, mesmo existindo no local a Secretaria de Políticas Sociais. É sabido que devido às chuvas se torna inviável passar a máquina para planar o local, mas, a Prefeitura poderia aterrar as crateras existentes na rua com barros ou metralhas. Pessoas desenformadas que trafegam no local acabam “atolando” os seus carros. Pedimos providências urgentes”, relata o leitor.

Nessa mesma rua funciona um órgão da Prefeitura, a Secretaria de Políticas Sociais, Esportes e Juventude de Paulista - Núcleo Peti Conceição II, que atende diariamente crianças daquela localidade







Turistas denunciam bares em Porto de Galinhas

Publicado por Maurício Júnior, em 27.06.2013 às 11:09

Estabelecimentos cobram por horário de permanência e pratos simples custam em média R$ 80 (Foto: Internet)

Um barzinho em Porto de Galinhas, litoral sul de Pernambuco, está sendo acusado de cobrar preços abusivos e, mais ainda, cobrar pelo tempo de permanência no estabelecimento e pela pouca consumação. Na última semana, um grupo de pernambucanos sentiu na pele o gosto amargo de uma rápida permanência na Barraca do Gilberto.

De acordo com o militar Adeildo Júnior, o absurdo começou na chegada a Porto de Galinhas. “Logo na entrada da cidade, próximo ao posto de gasolina, fomos abordado por flanelinha que ofereceu uma vaga de estacionamento com guarda sol e cadeira por R$ 5,00. Aceitamos e enquanto estávamos guardando o carro o próprio flanelinha já oferecia os pratos”, explicou o militar.

A surpresa com os petisco – o mais barato é uma cioba pequena que não sai por menos de R$ 80, 18 unidades de camarões custa R$ 90 – fez com que Adeildo, sua esposa e mais um casal de amigos optassem apenas por consumir um latão de cerveja. “Paramos mais porque meu amigo estava com indisposição estomacal estacionando quando chegamos na Barraca do Gilberto ninguém nos ofereceu o cardápio. Na hora que pedimos a conta o dono do bar nos cobrou R$ 45,00 por um latão de cerveja. Absurdo, paguei R$ 12, era o que tinha no bolso”, relatou Adeildo.

Inconformado, o grupo acionou a PM que ao chegar no local afirmou que frequentemente recebe denúncias dessa natureza, mas como a queixa nunca é prestada o caso não tem uma solução. “Infelizmente, já tínhamos perdido muito tempo e decidimos não prestar queixa”, finalizou a vítima.







Leitora reclama de buracos e alagamentos em avenida

Publicado por Branca Alves, em 10.06.2013 às 21:38

A leitora do Blog Maria da Glória Callado Martins nos enviou um e-mail relatando problemas na Avenida Jornalista Costa Pinto, no Ibura de Cima. Segundo ela, são crateras e alagamentos na via. Confira, abaixo, o relato:

Não acredito quando tenho que passar pela Av. Jornalista Costa Porto, no Ibura de Cima, entre a UR 02 e Alto Dois Carneiros. São inúmeras crateras, alagamentos, por conta da Compesa que não ajeita nem termina o que começa. Providência pelo amor de DEUS!







Leitor reclama de buracos em rua da Várzea

Publicado por José Accioly, em 12.04.2013 às 11:55

Sou morador do Recife e estamos passando grande problema com algumas ruas do bairro da Várzea. Já tentei de diversas formas resolver os problemas abaixo relacionados, mas não consigo! Tentei com outro vereador do Recife, mas sem sucesso. Veja em anexo um documento que foi encaminhado a Emlurb e abaixo o descritivo dos problemas relacionados.

O problema das ruas Antônio Nogueira e Estevão de Sá, são o seguinte:

1) As ruas estão com muitos buracos e calçadas irregulares;

2) O calçamento das ruas foi feito pela metade. É possível ver que cerca de 50% das ruas mencionadas neste e-mail não estão calçadas;
3) Há ainda numa outra rua que cruza a Estevão de Sá, um buraco que foi aberto pela Compesa a alguns meses (afim de fazer um reparo de tubulação) e até hoje não foi tapado;
4) O trecho não calçado da Rua Antônio Nogueira, foi tomado por invasores e simplesmente fizeram casas no meio da Rua (Um Absurdo);
4.1) Essas famílias precisam ser re-alojadas em outro local, afim de poder abrir a Rua Antônio Nogueira que faz cruzamento com a Rua General Polidoro;
4.2) Na verdade há cerca de 3 ruas (todas transversais da Rua Estevão de Sá) que foram invadidas por pessoas e que bloquearam as ruas;
5) O último problema a ser relatado é que há alguns caminhões parados na rua Estevão de Sá (que pelo visto estão parados lá ha anos).
5.1) Já chamei o detran, a TV e ninguém consegue tirar essas carretas velhas daqui. As mesmas estão atrapalhando o transito a anos, sem contar que serve de moradia para animais peçonhentos (já houve casos de mordida de escorpião na região) e também de esconderijo de malfeitores;

Atenciosamente,
André Melo







Leitor reclama da taxa de esgoto da Compesa

Publicado por José Accioly, em 7.04.2013 às 15:00

Quero contar com o seu apoio a respeito da cobrança da taxa de esgoto sobre o consumo de água pela Compesa. Sempre fui e sou contra a cobrança de 100% do valor da água consumida nessas comunidades. Já solicitei a presidência da companhia e em ofício ao Eduardo Campos e sem solução. Ontem fiz apelo à presidenta Dilma, pedindo a ela que interceda no sentido de baixa este valor abusivo.

Veja só, os conjuntos habitacionais da Cohab de Jardim Maranguape, Maranguape I e II, na cidade do Paulista, uma população de mais de cem mil usuários, estão sendo penalizados, desde 1983, com esta taxa abusiva e os governantes não tiveram moral de baixar. Na verdade, estes coglumerados urbanos é popular e construídos com recursos do BNDES. Todas a infrasestrutura com custo zero para o Estado, desde Celpe até a Compesa.

Por isto, não justifica o valor tão alto e o mais abusivo é que no Curado II, III e IV, em Jaboatão, é 50% do valor da água, com o mesmo tipo de tratamento. Outro agravante é que o conjunto do Inocoop Ignez Andreazza é 80%.

Gilson Trajano







Leitor cobra ordenamento no trânsito de Olinda

Publicado por José Accioly, em 27.03.2013 às 11:49

Internauta critica intenso tráfego no encontro da PE-15 com a Perimetral do município (Foto: Divulgação)

Cadê a Seplama ?

Precisamos com urgência de uma ação efetiva da Seplama (Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente), órgão responsável pelo trânsito de Olinda, no sentido de ordenar o trânsito no encontro da PE-15 com a Perimetral, além do trecho que dá acesso a Jardim Fragoso, onde verificamos até fila tripla nos horários de pico, em torno de 7h e 18h, chegando-se, inclusive, ao bloqueio total do fluxo de veículos no sentido Olinda/Recife.

Já houve uma medida paliativa através de uma viatura neste local, de modo a evitarmos as filas duplas e o fechamento da saída/entrada de ônibus na Integração da PE-15, mas durou pouco mais de uma semana. Por que a Prefeitura de Olinda não agiu até agora com o mesmo vigor e celeridade assim como verificamos nos preparativos ligados ao Carnaval ?

Existem cidadãos em Olinda após eleição e Carnaval.

Gilberto Luna







Professora diz que ação de Vado é retrocesso

Publicado por José Accioly, em 21.03.2013 às 11:34

Uma professora moradora do município do Cabo de Santo Agostinho criticou a medida do prefeito Vado da Farmácia (PSB) de exonerar três secretários ligados ao ex-prefeito Lula Cabral (PSC) e extinguir as pastas, incluindo a da Mulher, justamente no mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher. Para a docente Graça Almeida, a medida do socialista é um retrocesso. Graça citou em seu relato que a cidade passa à margem do desenvolvimento por ausência do fortalecimento do segmento feminino. A crítica fez ressalva a ausência de uma representante feminina na Câmara de Vereadores do Cabo. Confira, abaixo, a íntegra da reclamação:

Vado exonera mais três indicados de Lula Cabral

Na contramão das ideias

Essa semana a população cabense foi surpreendida com a notícia da extinção da Secretaria da Mulher, que tem papel fundamental ao realizar políticas públicas voltadas a assegurar a igualdade e liberdade de gênero. É um verdadeiro retrocesso para as mulheres cabenses que chegam este ano de 2013 sem representação na Câmara de Vereadores, fato este que já cabe lamentação.

Quando se fala em política para as mulheres se fala em política para cidade, hoje, estamos a margem do “desenvolvimento” no município por ausência do fortalecimento do nosso segmento, o crescimento justo e com igualdade de gênero passa pelo suporte necessário para inserção feminina no mercado, a exemplo do serviço de creches sucateado por uma gestão que não prezou por essa igualdade. Leia Mais