Eleições 2014

Direito de resposta no guia de Armando

Publicado por Branca Alves, em 1.10.2014 às 08:49

Por Amanda Seabra
Da Folha de Pernambuco, com Agência Estado

No último dia do guia eleitoral, o candidato ao Governo do Estado pela coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Armando Monteiro Neto (PTB) terá o dissabor de ter o seu programa encerrado por um direito de resposta do seu principal adversário, Paulo Câmara (PSB). A decisão foi publicada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TREPE), na noite de ontem, e se refere ainda ao imbróglio envolvendo o avião do ex-governador Eduardo Campos (PSB).

De acordo com o coordenador jurídico da campanha socialista, Carlos Neves Filho, a resposta é contra mais uma tentativa de Armando em ligar o candidato do PSB à empresa tida como proprietária da aeronave que caiu em Santos. O petebista, mais uma vez, levou ao ar um programa acusando Paulo Câmara, que foi secretário da Fazenda do Estado, de ter utilizado o avião em questão na campanha, afirmando ainda que o Ministério Público estaria investigando o caso. “Isso não é verdade, foram eles que entraram com uma representação no Ministério Público Eleitoral e este último pediu apenas alguns esclarecimentos, que já foram dados, não há investigação”, afirmou Carlos Neves. Paulo terá um minuto de direito de resposta.

Por outro lado, os advogados da coligação oposicionista entraram, também ontem, com uma representação no TRE pedindo direito de resposta a um programa do candidato a senador da coligação adversária, Fernando Bezerra Coelho (PSB), que fez ataques ao também candidato ao Senado João Paulo (PT). A representação referente ao programa de Bezerra Coelho ainda não teve decisão, mas os advogados aguardam a decisão para hoje. Na propaganda do PSB foram feitos acusações e ataques a João Paulo, entre outras coisas a propaganda afirmou que o petista responde a 18 processos na Justiça.

SITE
Alvo de ataques virtuais, site do PSB em Pernambuco foi retirado do ar ontem. E nota, o presidente estadual da legenda, Sileno Guedes, condenou o fato ocorrido a cinco dias das eleições. “Lamentamos que um fato como esse ocorra, sobretudo porque o PSB é um partido que prima pela livre divulgação das ideias de quem quer que seja. Estamos a cinco dias da eleição, e a utilização desse tipo de expediente mostra o desespero de alguns de nossos adversários. Condenamos com veemência”, disse em nota.







A balança do debate ficou equilibrada

Publicado por Márcio Didier, em 1.10.2014 às 01:32

Márcio Didier
Editor do Blog da Folha

Última cartada dos candidatos ao Governo do Estado para atingir um grande público na reta final de campanha, o debate promovido pela Rede Globo, na noite desta terça-feira (30), terminou tendo como principal alvo quem menos precisava de exposição ou de correr atrás dos pontos perdidos. Das 12 perguntas feitas nos dois blocos de confronto do programa, oito foram direcionadas ao postulante da Frente Popular de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB).

Todas as indagações feitas pelos candidatos da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Armando Monteiro Neto (PTB), e do PSOL, Zé Gomes, foram direcionadas ao socialista, que seguiu à risca a cartilha de quem está liderando as pesquisas: não fez jogadas de risco, entrou em pouquíssimas bolas divididas – nas raras vezes apenas contra Armando – e, com a estratégia dos rivais, conseguiu reduzir a visibilidade dos adversários.

No entanto, apesar de tentar passar tranquilidade, o socialista não conseguia esconder a ansiedade. Por vezes gaguejou, em algumas outras adotou respostas padrão, para não entrar em polêmica. Foi o caso da pergunta de Zé Gomes sobre questões ligadas à comunidade LGBT. Tergiversou no primeiro momento, mas pressionado pelo adversário, jogou a questão da criminalização da homofobia para o Congresso Nacional e disse ter atuado no Estado em favor da pensão para casais do mesmo sexo.

No mais tenso confronto televisivo da campanha – esse foi o terceiro – sobrou espaço até para um desafiou. O próprio Zé Gomes cobrou de Câmara o detalhamento do repasse de R$ 8 milhões em doações de campanha feito pelo comitê financeiro. A mesma tática já foi utilizada pelo seu companheiro de partido Edilson Silva em 2010, que fez o mesmo tipo de proposta ao então governador-candidato Eduardo Campos. Nesta vez, Gomes marcou para as 14h desta quarta-feira, no TRE, o repasse das informações. Câmara ignorou o desafio. Limitou-se a dizer que todas as doações para a sua campanha estão dentro da lei.

Armando Neto também não escapou do ambiente tenso do debate. Com a sua estratégia de desconstruir o líder nas pesquisas, foi para o confronto com Câmara por diversas vezes. No entanto, não trouxe nenhum adjetivo novo, dos que já usou. Disse que o adversário vive à sombra da tragédia que ocorreu com o ex-governador Eduardo Campos, que Câmara não tem “lastro” para comandar o governo e que o rival foi “criado na burocracia”.

Num dos embates, chegou a pedir direito de resposta ao vivo, ao ouvir Paulo Câmara dizer que o Governo Dilma usaria de chantagem em caso de sua vitória. Armando pensou que estava sendo acusado de estar fazendo chantagem. Por isso pediu para responder, mas a sua solicitação foi negada.

Apesar do bombardeio a que foi submetido, Paulo Câmara escapou quase ileso graças ao pouco tempo destinado às perguntas, respostas, réplicas e tréplicas. E foi justamente a questão do tempo curto que prejudicou a estratégia de Armando Monteiro Neto e Zé Gomes. Talvez com alguns segundos a mais, conseguissem explorar melhor o contraditório, apontar as eventuais deficiências do adversário com mais profundidade. Após uma hora de embate, se colocar na balança as perdas e ganhos, ela não penderá para nenhum lado.







PSOL lança nota contra assessor de Câmara

Publicado por Alex Ribeiro, em 1.10.2014 às 01:12

O PSOL lançou uma nota na madrugada desta quarta-feira (1), logo depois do debate entre os candidatos ao governo do Estado na TV Globo. No texto, o partido repudiou o comportamento de um dos assessores do postulante Paulo Câmara (PSB).

Os dirigentes do PSOL relataram que a entrevista coletiva do candidato Zé Gomes (PSOL), concedida logo depois do debate, foi interrompida pelo assessor do socialista “de maneira desrespeitosa”. Segundo a nota, o principal ponto da discussão foi sobre os doadores de R$ 8 milhões transferidos, via conta do diretório do PSB, para a campanha de Paulo Câmara, conforme a segunda prestação de contas parcial, feita em 2 de setembro. O assessor acusou o candidato do PSOL de estar agindo em favor de outros interesses.

Leia a nota na íntegra:

O PSOL de Pernambuco, através de sua Executiva e da coordenação de campanha Zé Gomes Governador, vem a público lamentar o comportamento inadequado da assessoria do candidato Paulo Câmara, que, durante entrevista de Zé Gomes após o término do debate televisivo, dirigiu-se de forma desrespeitosa ao nosso candidato, interrompendo a coletiva e insultando o nosso partido.

O referido assessor insurgiu-se ao se ver instado a cumprir o compromisso assumido por Paulo Câmara durante o debate, de apresentar os doadores originários de R$ 8 milhões transferidos, via conta do diretório do PSB, para sua campanha, conforme a segunda prestação de contas parcial, feita em 2 de setembro. Paulo Câmara foi convidado pelo candidato do PSOL a prestar as informações com hora e data determinados: no Tribunal Regional Eleitoral, às 14h do dia 1º de outubro.

O assessor buscou, diante desta intervenção sofrível, esquivar-se do compromisso feito, ao tentar apresentar, no ato de sua interrupção à entrevista, supostos documentos que esclareceriam o que o candidato não esclareceu durante o debate e busca omitir do eleitorado pernambucano.

O PSOL repudia o ato desrespeitoso contra o nosso candidato e não aceita manobras que retirem da população a transparência que exigimos ao cobrar quem são os verdadeiros financiadores deste projeto político. O destempero da assessoria do candidato Paulo Câmara reflete o mau desempenho no debate, em contraste com a excelente atuação, verificada facilmente, de nossa candidatura.

Por fim, reafirmamos que aguardaremos no local e horário marcados as informações cobradas por nosso candidato, em nome da transparência no processo eleitoral. Que Paulo Câmara não se acovarde diante do compromisso que assumiu perante as câmeras e o povo pernambucano.

Executiva Estadual do PSOL
Coordenação de Campanha Zé Gomes Governador







Em debate tenso, Paulo Câmara é o alvo

Publicado por Márcio Didier, em 30.09.2014 às 23:38

Candidatos participaram do último debate antes do pleito (Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco)

Atualizado às 00:20

O candidato da Frente Popular ao Governo do Estado, Paulo Câmara (PSB), foi o principal alvo dos candidatos da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Armando Monteiro Neto (PTB), e do PSOL, Zé Gomes, no início do debate entre os postulantes ao Palácio do Campos das Princesas, promovido pela TV Globo, na noite desta terça-feira. O terceiro encontro televisivo entre eles, esse foi de longe o mais tenso confronto.

Das seis perguntas do primeiro bloco, quatro foram direcionadas ao socialista. As outras duas perguntas, feitas por Câmara, uma foi direcionada a Zé Gomes e outra a Armando Neto.

Logo na sua primeira indagação, Armando buscou colar o seu nome ao da presidente Dilma, que vem subindo nas pesquisas, e carimbar o socialista como um candidato de padrinho, que faz uso abusivo do da imagem do ex-governador Eduardo Campos e que só “traz o discurso decorado de sempre”.

Em sua resposta, Câmara disse que Armando se guia pelas pesquisas, e que mudou de posições ao longo da campanha, elogiando Eduardo Campos quando ele estava em alta, e a presidente Dilma agora. E aproveito para atacar o Governo Federal. “Dilma parou o Brasil, fez a inflação voltar. Por isso, apoiamos Marina para o Brasil voltar a andar.”

Nos confrontos entre o socialista e o petebista, disparos duros de lado a lado. Armando, em suas colocações, afirmou que o adversário “você não demonstrou cuidado com os servidores quando era secretário”, “você não tem lastro, nem estatura para governar”; “(sem Eduardo) você ficou com um time sem maestro e sem técnico”. E seguiu: “você fez carreira na burocracia, sendo indicado por contraparente”; e “o povo sabe que você faz demagogia (em relação aos reajustes de salário”.

Câmara também respondeu na mesma moeda: “Só quem não tem experiência em gestão pública fala dessa forma (em relação à política do servidor”; “na questão empresarial administrou muito mal as empresas”; “você é amigo de (José) Sarney, de (Fernando) Collor, Renan (Calheiros)”; e “não farei a política de conchavo”.

No fim do primeiro bloco, Zé Gomes trouxe ao debate a questão dos direitos da população LGBT, perguntando ao candidato do PSB de ele era favorável à criminalização da homofobia e a união civil entre pessoas do mesmo tempo. Tema espinhoso para qualquer político em campanha, o socialista deu uma resposta genérica. Provocado pelo psolista, Câmara disse que a questão da criminalização da homofobia é uma questão que o Congresso precisa debater, mas que o Pacto pela Vida trata do assunto. Quanto à união entre pessoas do mesmo sexo, afirmou que a lei já estabelece a união estável e que, quando secretário, tratou da questão da pensão para os companheiros.

Segundo bloco

No segundo bloco Paulo Câmara continuou como alvo dos adversários. Ele tentou justificar as ações do governo do Estado nos últimos sete ano através dos temas levantados pela organização do debate.

O candidato Zé Gomes criticou as intervenções urbanas para a área do transporte público do governo estadual. Por sua vez, Câmara disse que iria “priorizar a navegabilidade do Rio Capibaribe e estimular as ciclovias”. Já Armando criticou a PPP da Compesa. Para o petebista, a parceria público-privada é elitista e só tem alcance das áreas urbanizadas. Em defesa, o socialista prometeu sanear pelo menos 80% dos municípios.

Outros temas como educação, drogas e saúde foram discutidas no bloco. As questões do Pacto Pela Vida e das escolas de tempo integral foram questionados pelos candidatos da oposição. Paulo Câmara defendeu o legado do atual governo e prometeu melhorar os setores.







Candidatos já chegaram ao local do debate

Publicado por Alex Ribeiro, em 30.09.2014 às 22:15

Atualizada às 22:30

Os candidatos ao governo do Estado já chegaram para o debate que ocorrerá na TV Globo nesta terça-feira (30). Os postulantes Armando Monteiro Neto (PTB) e Zé Gomes (PSOL) foram os primeiros a ingressar na empresa de telecomunicação. Paulo Câmara (PSB) marcou presença no local agora a pouco.

Segundo Armando, o debate é o melhor momento “para confrontar pesquisas e propostas”. Ele confessou que nesta reta final de campanha realizará vários atos políticos na Região Metropolitana do Recife (RMR) e, por vezes, estará no interior.

Já o candidato Zé Gomes reafirmou que o debate irá servir para mostrar que os seus principais adversários “tem a mesma posição nos principais temas”. “A expectativa é grande. É uma oportunidade de confrontar o marketing eleitoral de Armando e Paulo”, disse.

Para Paulo Câmara, o último debate serve para repassar a sua mensagem ao eleitorado. “Vamos mostrar nossas propostas e ideias para a população de Pernambuco”, resumiu o socialista.

Com informações de Anderson Bandeira, da Folha de Pernambuco.







Campanha de Aécio diz que pesquisas confirmam 2º turno

Publicado por Alex Ribeiro, em 30.09.2014 às 21:52

A campanha do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, divulgou nota em que diz que o resultado das pesquisas Datafolha e Ibope confirmam a tendência de que a candidatura do tucano estará no segundo turno. “As pessoas enxergam cada vez mais a nossa candidatura como sendo a única capaz de promover a mudança segura que o Brasil precisa”, declarou, em nota.

De acordo com a nota, Aécio avalia que o crescimento na pesquisa dará ainda mais energia à reta final da campanha no primeiro turno. “A onda da razão ganha cada vez mais força no país”, avaliou. No primeiro turno, o Datafolha apontou Dilma com 40%, Marina com 25% e Aécio, com 20%. No Ibope, por sua vez, a petista teve 39%, a candidata do PSB os mesmos 25% e o tucano, 19%.

(Fonte: Estadão Conteudo)







Marina usa João Campos no guia eleitoral

Publicado por Alex Ribeiro, em 30.09.2014 às 21:13

No penúltimo guia eleitoral exibido nesta terça-feira (30) a candidata à Presidência da República Marina Silva (PSB) utilizou a família de Eduardo Campos no programa. Além de algumas declarações do ex-governador, a socialista usou o discurso do filho mais velho do líder do PSB, João Campos, em prol da sua postulação. As imagens do possível sucessor de Eduardo foram feitas durante um comício no Recife, na última segunda-feira (29).

João Campos usou a frase do seu pai, “não vamos desistir do Brasil”, que virou lema da campanha do PSB. “No dia 5 eu quero sentar de frente à urna. Eu, Marina, não vou desistir do Brasil. Eu vou votar em Marina para ser a futura presidente do Brasil”, disse.

Marina Silva está em queda nas pesquisas eleitorais. Nos últimos levantamentos do Datafolha e Ibope a socialista aparece com 25% das intenções de voto. Ela chegou a estar empatada tecnicamente com a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT).







Ibope: Dilma tem 39%; Marina, 25%; e Aécio, 19%

Publicado por Branca Alves, em 30.09.2014 às 20:14

Pesquisa Ibope divulgada na noite desta terça-feira (30) pelo Jornal Nacional aponta que a presidente Dilma Rousseff (PT) continua na frente nas intenções de voto, com 39% da preferência do eleitorado. Marina Silva (PSB) figura em segundo lugar, com 25%, seguida de Aécio Neves (PSDB), com 19%. Pastor Everaldo (PSC) e Luciana Genro (PSOL) pontuaram 1% cada.

Os candidatos Zé Maria (PSTU), Eduardo Jorge (PV), Rui Costa Pimenta (PCO), Levy Fidelix (PRTB) e Mauro Iasi (PCB) somados atingem 1%. Brancos e nulos somaram 7%, enquanto os que não sabem ou não responderam somaram 7%. No levantamento anterior, divulgado no dia 23 de setembro, a petista tinha 38%, Marina, 29%, e Aécio, 19%.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo em parceria com o jornal O Estado de S. Paulo. O instituto ouviu 3.010 eleitores em 203 municípios entre os dias 27 e 29 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-00909/2014.

Segundo turno
O Ibope também simulou três cenários de segundo turno. No primeiro, entre Dilma Rousseff e Marina Silva, a petista está na frente, com 42%, contra 38% de Marina Silva. Nesse cenário, brancos e nulos somam 12% e indecisos, 8%.

Na simulação entre Dilma Rousseff e Aécio Neves, a presidente aparece com 45% das intenções de voto. Aécio Neves, por sua vez, está com 35%. Brancos e nulos são 12% e os que não sabem ou não responderam, 8%.

O terceiro cenário, entre Marina Silva e Aécio Neves, aponta a socialista na frente, com 38% das intenções de voto. O candidato tucano aparece com 34%. Brancos e nulos somam 16%, enquanto os que não sabem ou não responderam somam 12%.







Coordenador da Campanha Vote Limpo alerta eleitores sobre votação

Publicado por Branca Alves, em 30.09.2014 às 19:50

Advogado fez um alerta aos eleitores do Estado (Foto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco)

Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, o coordenador da campanha Vote Limpo, advogado Bruno Baptista, fez um alerta aos eleitores pernambucanos sobre alguns cuidados que eles devem ter no próximo domingo, dia das eleições majoritárias e proporcionais em todo o País. Ele chamou a atenção para que o eleitor tenha consciência de seu voto.

“Hoje, a maneira mais fácil de você descobrir sobre a vida de uma pessoa é dar uma ‘googada’, vai lá no Google, coloca o nome da pessoa, procure meios confiáveis de saber informações. A imprensa é um meio confiável de você ter informações sobre aquela pessoa. Tem os sites dos tribunais também. Os processos são públicos, quem quiser ter o conhecimento dos processos no site pode ter”, disse.

De acordo com o coordenador da campanha, a orientação que vem sendo dada no Vote Limpo não é só a Ficha Limpa, mas o de se fazer um voto com consciência, conhecendo as propostas.

Bruno Baptista reforçou ainda que a campanha preparou um material especial para o dia da eleição. “É um tipo de cola, de lembrete para você anotar o número dos candidatos. O objetivo não é só lembrar o número dos candidatos na hora da votação, é você lembrar depois também. Guarde aquela colinha para você cobrar do candidato que você votou”, explicou.

Ainda segundo o coordenador, um grupo formado por 15 a 20 voluntários vai distribuir o material nos principais locais de votação do Recife. No Interior também haverá mobilização. “A ideia é ir onde tem maior quantidade de eleitores e mais ocorrências de compra de voto, que é geralmente nas periferias”, afirmou.







Pastor Everaldo condena ‘desrespeito’ de Fidelix

Publicado por Alex Ribeiro, em 30.09.2014 às 19:15

Embora seja contrário às reivindicações dos gays sobre a legalização da união entre pessoas do mesmo sexo e a criminalização da homofobia, o pastor Everaldo Pereira, candidato à Presidência da República pelo PSC, criticou nesta terça-feira, 30, o tom das declarações feitas por Levy Fidelix sobre essas questões no debate da TV Record.

Na avaliação do pastor, o candidato do PRTB foi desrespeitoso. “Opiniões divergentes devem ser encaradas com naturalidade, mas sem desrespeito!”, afirmou.

Em nota à imprensa, o candidato do PSC, que também é presidente do partido, criticou ainda os candidatos que não assumem posições no debate sobre os direitos reivindicados pelos gays. “Isso deve ser cobrado por toda a opinião pública”, disse.

(fonte: Estadão Conteudo)







Datafolha: Dilma tem 40%; Marina, 25%; e Aécio 20%

Publicado por Alex Ribeiro, em 30.09.2014 às 19:02

Atualizada às 19:20

O instituto Datafolha trouxe novos números da corrida presidencial. O levantamento divulgado nesta terça-feira (30), mostra que a presidente Dilma Rousseff (PT) está com 40% das intenções de voto, seguida por Marina Silva (PSB), que aparece com 25% e Aécio Neves (PSDB) com 20%. O Pastor Everaldo (PSC) e Luciana Genro (PSOL) estão com 1%. Já os postulantes Eduardo Jorge (PV), Zé Maria (PSTU), Rui Costa Pimenta (PCO), Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB) e Mauro Iasi (PCO) não conseguiram o percentual mínimo. Os brancos e nulos chegam a 5%, enquanto os indecisos somam 5%.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 26 deste mês, Dilma tinha 40%, Marina 27% e Aécio 18%. Os dados mostram que a petista manteve o mesmo percentual, enquanto o tucano e a socialista oscilaram dentro da margem de erro que é de 2 pontos.

Em um provável segundo turno entre Dilma e Marina, a petista venceria com 49% das intenções de voto contra 41% da socialista. Se a disputa for entre Dilma e Aécio, a atual presidente venceria por 50% a 41%.

A presidente Dilma ainda continua com a maior taxa de rejeição. Cerca de 31% dos entrevistados pelo Datafolha disseram que não votariam na petista de jeito nenhum. Em segundo lugar aparece Marina com 25%, seguida por Aécio (23%), Pastor Everaldo (22%), Levy Fidelix (20%), Zé Maria (18%), Eymael (18%), Luciana Genro (16%), Rui Costa Pimenta (15%), Eduardo Jorge (14%) e Mauro Iasi (14%).

O Datafolha ouviu 7.520 eleitores em 311 municípios nos dias 29 e 30 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00905/2014.







Câmara anuncia adesão de vice-prefeito do PTB

Publicado por Branca Alves, em 30.09.2014 às 18:35

Petebista vai reforçar campanha de Paulo Câmara (Foto: Andrea Rego Barros/ Divulgação)

A poucos dias da eleição, o candidato ao Governo do Estado pela Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), contabilizou mais um apoio na disputa pelo Palácio do Campo das Princesas. Nesta terça-feira (30), o vice-prefeito de Brejão, no Agreste, Erivan Lopes (PTB), aderiu à campanha do socialista nesta reta final.

Além de Erivan, Eduardo Lopes (PTB), filho do ex-prefeito Nivaldo Lopes, também confirmou apoio ao projeto de Paulo Câmara. O mesmo fizeram vereadores, suplentes de vereadores, ex-vereadores, conselheiros tutelares e agentes comunitários.

“O prefeito é empresário, mas não sabe gerir o poder público municipal. Vivemos um caos, a farmácia básica não dispõe de medicamentos para a população carente, a educação municipal está parada”, criticou o vice-prefeito.

Erivan Lopes integrava a base do PSB há mais de 20 anos, foi vereador por dois mandatos consecutivos, chegando a ser presidente da Câmara de Vereadores. “Eu vi que a proposta de Paulo é diferente. E, na época de Eduardo, todos os aliados eram atendidos”, afirmou Lopes.







Aliados de Armando comemoram vinda de Marina

Publicado por Branca Alves, em 30.09.2014 às 18:06

Por Anderson Bandeira
Da Folha de Pernambuco

Pode até parecer estranho, mas tem aliado do candidato ao governo do Estado Armando Monteiro Neto (PTB) comemorando a vinda da candidata à presidência da república Marina Silva (PSB) ao Estado, ontem. De acordo com o presidente estadual do PSC, Silvio Costa, a iniciativa do comando estadual do PSB de trazer a neossocialista para potencializar a sua campanha em Pernambuco e a do correligionário Paulo Câmara, que lidera as últimas pesquisas de intenção de voto, fez um bem danado à candidatura de Armando Neto. A leitura é simples.

Segundo Silvio Costa existia uma parcela de aproximadamente 20% do eleitorado que acreditavam que Câmara era o candidato de Lula, por uma questão dos laços históricos entre o petista e o ex-governador Eduardo Campos. Com a vinda de Marina, que no Estado já aparece perdendo para Rousseff, o eleitorado agora tem a certeza que o candidato socialista a sucessão estadual não representa o projeto de continuidade das ações que foram empregadas pelo Governo Federal em parceria com o Estado.

Na avaliação de Costa, como Marina vem caindo nas intenções de voto, há grandes possibilidades de Câmara cair junto enquanto o seu aliado Armando Neto cresceria assim como Dilma já vem crescendo. Por isso, a tática na cúpula da coligação Pernambuco Vai Mais Longe seria buscar o voto casado.

“Essa vinda dela foi boa. Uma parcela do eleitorado considerável imaginava que Paulo era o candidato de Dilma e Lula. Em alguns municípios eles (socialistas) estavam até escondendo Marina. Agora a população sabe que Armando é que está alinhado com Dilma que vai ganhar a eleição em Pernambuco com Armando. Daí o desespero deles. Paulo Câmara fez um grande favor a nossa campanha trazendo ela”, avaliou o dirigente. Questionado se o ex-presidente Lula não estaria em débito com a coligação nesta reta final por não ter aportado no Estado assim como fez Marina Silva, Silvio Costa minimizou a ausência.

Para ele, o petista-mor já deu sua contribuição de forma significativa vindo em outros momentos ao estado e com diversas gravações que estão indo para o guia eleitoral do aliado Armando Neto. De acordo com o candidato a vice da chapa do PTB, Paulo Rubem (PDT), além de não ter conseguido encaixar as agendas de Lula e Armando, o núcleo estratégico de campanha da coligação optou, nesta reta final de campanha, por pulverizar as ações do que concentrar, apostando num único evento com Lula.

Rubem avaliou ainda que, embora o ex-presidente não tenha vindo a Pernambuco na última semana de campanha, o desempenho dos últimos programas eleitorais que tinha Lula “foi excelente”. Nas hostes da coligação, a estratégia para reverter ás últimas pesquisas até o próximo domingo é os guias eleitorais e o debate de hoje na TV Globo que será repercutido pela coligação nas redes sociais.







Personalidades declaram voto em Marina em ato em SP

Publicado por Branca Alves, em 30.09.2014 às 16:42

O evento que reúne apoiadores à candidata à Presidência pelo PSB Marina Silva, foi aberto por falas de pessoas que vieram declarar voto em Marina. O primeiro a falar foi o músico Arnaldo Antunes, que já havia declarado apoio à ex-ministra em outras ocasiões. “Eu vim aqui para engrossar a torcida”, disse o músico. Ele afirmou ainda que, apesar do “bombardeio de mentiras” do qual Marina tem sido vítima, ela tem mantido uma postura firme. “Isso prova que a menina vai chegar lá”, afirmou.

Antunes foi seguido por diversas personalidades, da educação à ciência política, do empresariado a representantes de comunidades indígenas.

Marina chegou pouco mais de uma hora atrasada ao evento. Foi recebida com a música composta por Gilberto Gil para sua campanha. Militantes com bandeiras da campanha também gritaram “Eduardo presente, Marina presidente”, em lembrança ao candidato morto em acidente aéreo, em 13 de agosto.

CGADB
O pastor Lelis Washington Marinhos, da comissão política da Congregação-Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB), também confirmou presença no evento. Segundo ele, ainda não houve uma decisão formal da CGADB entre apoiar a ex-ministra ou o Pastor Everaldo do (PSC). O pastor admitiu contudo que sua presença será uma sinalização clara da inclinação de apoiar Marina. “É uma sequência”, disse Lelis.

O pastor esteve no encontro de lideranças evangélicas com a candidata do PSB, na última sexta-feira (26). O evento não estava na agenda oficial de Marina. Na ocasião, Lelis disse ter ficado satisfeito com o discurso da ex-ministra.

Lelis disse que um apoio formal, com declaração da CGADB, provavelmente virá apenas após o segundo turno. Nos bastidores, a coordenação da campanha de Marina já considera certo o apoio, mas vê que será uma questão de menor impacto que em 2010. No último pleito presidencial, a congregação apoiou o tucano José Serra, em meio a acusações de que Dilma Rousseff (PT) teria posições pró-aborto.

(Fonte: Estadão Conteudo)







Eleitores têm de ficar atentos a regras durante votação

Publicado por Branca Alves, em 30.09.2014 às 15:36

Agência Brasil (Brasília) – Em tempos de selfie e redes sociais, o eleitor tem de ficar atento às regras da Justiça Eleitoral para o uso de celulares, smartphones e tablets no dia do pleito. De acordo com a assessoria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), enquanto estiver votando, o eleitor deve deixar o aparelho em um móvel, próximo aos colaboradores responsáveis pela seção eleitoral.

“Os mesários e o presidente de mesa estão orientados a determinar que o eleitor deixe os equipamentos eletrônicos que portar com o mesário”, informou a assessoria do TSE à Agência Brasil.

A legislação eleitoral proíbe o eleitor de “portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação, ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto”.

Ainda segundo a Justiça Eleitoral, o sigilo do voto também abrange ambientes virtuais e redes sociais, ou seja, é proibido publicar imagens ou fotos do voto e quem fizer isso pode sofrer sanções. Segundo o TSE, não haverá revista de eleitores, mas as pessoas que desrespeitarem a legislação estão sujeitas a até dois anos de detenção.

Para o pesquisador de ciência e tecnologia do departamento de sociologia da Universidade de Brasília (UnB) Marcello Barra, apesar do intenso ativismo de eleitores nas redes sociais, quem busca burlar a legislação presta um desserviço à nação. “A conquista do voto secreto é uma garantia da democracia. Qualquer meio que burle esse direito é um atentado à democracia”, resumiu.

Segundo ele, o caráter sigiloso impede que as pessoas fiquem vulneráveis ao assédio para mudança de voto. “A pessoa acha que está ajudando a militância, que está motivando outros a votar, mas, na verdade, ela está prejudicando o voto. O sigilo é uma garantia aos mais fracos”, completou.

Barra lembra que a popularização dos smartphones trouxe um incremento no número de pessoas que passaram a interagir na discussão política. Segundo o especialista, o uso da internet tem modificado a forma como as pessoas entendem e participam da vida política do país. “Eu venho acompanhando esse processo há muitos anos. Esses instrumentos estão se tornando cada vez mais importantes para a democracia. Cada um coloca a sua opinião de maneira direta, é cada vez mais democrático”, ponderou.

Segundo o TSE, caso os mesários flagrem algum eleitor fotografando o voto, a orientação é que o episódio seja registrado em ata, identificando o eleitor. Caberá ao juiz eleitoral comunicar o fato ao Ministério Público Eleitoral para instauração de inquérito.