(Foto: Raul Buarque/Divulgação)

Pernambuco vai ganhar uma fábrica do Grupo Petrópolis, segundo maior produtor de cervejas do Brasil. Esse é o resultado do protocolo de intenções assinado nesta sexta-feira (24) entre o governador Eduardo Campos (PSB) e os diretores do grupo, na sede do governo, no Centro de Convenções. A empresa irá produzir no estado as cervejas Itaipava e Crystal, um investimento de R$ 600 milhões e geração de 500 empregos diretos.

O município de Itapissuma, no Litoral Norte do estado, a 39 Km do Recife, foi o escolhido para abrigar a fábrica do Grupo Petrópolis. Sua planta ficará às margens da BR-101 e vai ocupar uma área de cerca de 100 hectares, sendo 40 mil metros² de área coberta. Cerca de 800 operários trabalharão no canteiro de obras e a conclusão está prevista para o primeiro trimestre de 2014. Quando pronta, a empresa ira gerar ainda três mil pessoas empregos na rede de distribuição, que virá a reboque da unidade fabril.

Eduardo lembrou o esforço do Governo do Estado em buscar investimentos nas áreas de alimentos e bebidas, que, segundo ele, “dão um forte dinamismo na economia. Aqui estão as plantas mais produtivas de grupos grandes, como é o Petrópolis. Isso porque nós, pernambucanos, sabemos abraçar as oportunidades que nos surgem”, lembrando que Ipapissuma já abriga uma fábrica da AmBev.

Quando estiver em plena atividade, a produção industrial do Petrópolis terá capacidade anual de 600 milhões de litros de cerveja. Inicialmente, com o selo pernambucano serão produzidas as cervejas Itaipava e Crystal, mas a ideia é que todo o portfólio estava à disposição do público local.  O grupo também é o fabricante das marcas Lokal, Black Princess e Weltenburger; do energético TNT Energy Drink, da vodca Premium Blue Spirit Unique e do Blue Spirit Ice.

Só em Pernambuco, serão 41 novas revendas responsáveis por escoar a produção da nova fábrica. Os mercados abastecidos vão desde o estado de Alagoas até o Maranhão. “O governador nos abriu as portas do estado nos dando todo o apoio, agilizando processos de forma tão rápida como eu nunca tinha visto antes. A nossa retribuição é oferecer as oportunidades de empregos”, elogiou o presidente do Grupo Petrópolis, Walter Faria.

Com o anúncio de hoje, a empresa terá duas fábricas no Nordeste (a primeira foi em Alagoinha, na Bahia, em julho passado) e espera consolidar-se na vice-liderança do setor cervejeiro. O que irá movimentar ainda mais o já aquecido mercado de cervejas na região, que hoje representa 18,2% do cenário nacional e ocupa o segundo lugar do ranking. É esperado ainda um aumento de 50% na produção atual, que é de 2,5 bilhões de litros das quatro fábricas já em operação (Petrópolis, Teresópolis, Boituva e Rondonópolis).

Hoje, a marca possui apenas 0,5% da preferência dos nordestinos, ante 10,8% do mercado nacional. “Em cinco anos, a empresa espera alcançar uma evolução de 15% somente no cenário regional, o que representa um crescimento, no mínimo, de 2% do total de nossa participação no mercado brasileiro de fabricantes de cerveja”, informou o diretor de mercado do grupo, Douglas Costa. A solenidade ainda reuniu membros do setor empresarial, entre eles, Roberto Justos, dono da agência Young & Rubicam, responsável pela publicidade do Grupo Petrópolis.