A prefeita de Floresta e candidata à reeleição, Rorró Maniçoba (PSB), teve o registro de candidatura cassado pelo juiz do município, Rildo Vieira Silva, na sexta-feira (5). A impugnação ocorreu por conta da acusação de que a socialista desviou recursos do 13º salário dos funcionários municipais para financiar a própria campanha. A Justiça confirmou a prática ao verificar que nos contracheques dos servidores constava os depósitos, no entanto o pessoal alegara que não havia recebido as quantias.

Sentença Floresta

Na decisão, o juiz Rildo Silva justificou que a prefeita “praticou ato ilícito, consistente na apropriação indevida de parcelas do décimo terceiro salário de servidores públicos do município”. A socialista vai recorrer da decisão e disputar o pleito sub judice.

Em conversa com a reportagem da Folha de Pernambuco, o advogado de Rorró Maniçoba, Marcos Lira, afirmou que vai protocolar o recurso no Tribunal Regional Eleitoral ainda neste sábado (6). “Tem três dias para entrar com o recurso, mas amanhã mesmo (hoje) a gente vai entrar. Ela só não assume se não ganhar a eleição, mas não por conta desse processo”, cravou.

A denúncia partiu da coligação “Agora é o Povo Que Vai Vencer”, que apoio a candidato Cacá de Afonso (PDT), principal adversário da socialista.