Foi no comando do Avaí que Silas se credenciou como um técnico promissor (Foto: Divulgação)

Será com o técnico Silas, no banco de reservas, que o Náutico tentará reviver dias melhores nesta reta final do Campeonato Pernambucano. O nome, que não deixa de ser uma aposta, foi bem aceito pela torcida alvirrubra. Muito dessa sensação se deve ao trabalho desenvolvido pelo comandante, em 2009, defendendo as cores do Avaí, pela Série A do Campeonato Brasileiro.

Em Florianópolis, o treinador escreveu o seu nome como um dos treinadores mais promissores do Brasil. Na temporada que esteve nas mãos de Silas, o Avaí terminou a sua participação na competição nacional na sexta colocação, classificando-se, assim, para a Copa Sulamericana.

A formação tática do Avaí variava de acordo com o adversário. Silas sempre se mostrou favorável a utilização de duas formações: o clássico 4-2-2-2 e o 3-4-2-1. Após a bela temporada pelo Leão da Ilha… de Florianópolis, Silas assinou contrato com o Grêmio, e a postura tática se mostrou praticamente intacta.

A única diferença se configurava na segunda opção. Ao invés de dois homens na criação, Silas apostou em um Grêmio no 3-4-1-2. Ou seja, os três defensores e a linha de quatro, no meio campo, composta por dois laterais, nas pontas, e dois volantes, permaneceram as mesmas.

Caso essa ideia tática seja mantida, para a temporada de trabalhos nos Aflitos, alguns problemas na defesa, relacionados às características e ao momento dos atletas alvirrubros, podem ser enfrentados por Silas para a composição do time titular.

Antes de mais nada, as suposições serão feitas sob a ótica de que todos os jogadores estejam clinicamente disponíveis.

(Imagem: TacticalPad)

Com a exigência de dois laterais ofensivos, Auremir e Douglas Santos precisam melhorar o seu poder de fogo. Uma boa opção seria a titularidade de Maranhão, na direita. Com relação a Bruno Colaço, o seu futebol precisa estar em dias melhores. Já na zaga, Jean Rolt reina com soberania. As duas vagas restantes terão de ser disputadas por Alemão, Luís Eduardo, Alcides e Alison.

Martinez está para a cabeça-de-área alvirrubra como Jean Rolt, na defesa. Ele tem totais condições de dividir o meio-de-campo com Elicarlos. Rodrigo Souto aparece como opção… principalmente, pelo momento vivido.

No campo ofensivo, Rogério poderá fazer bem a transição do 3-4-1-2 para o 3-4-2-1, flutuando do meio-campo para o ataque, dividindo espaço com o meia Giovanni Augusto e o centroavante Elton.

(Imagem: TacticalPad)

Com o esquema 4-2-2-2 em campo, o Náutico pouco muda com relação ao que vinha sendo adotado por Alexandre Gallo e Vágner Mancini. A postura, inclusive, abre maior espaço para as qualidades defensivas de Douglas Santos e Auremir. No meio-campo, Rodrigo Souto segue como opção e a vaga do volante cai no colo de Marcos Vinícius, para atuar mais avançado. Rogério e Elton permanecem no comando de ataque.

*Imagens geradas graças à parceria entre o Blog de Primeira e o TacticalPad