reprodução Facebook

 

Olá, concurseiros. O professor Tácio Maciel comentou a prova de raciocínio lógico do Ministério Público da União (MPU), realizada no último domingo (19).

“Vou comentar as questões desta prova, que foi interpretação de uma lei escrita de forma prolixa. Por que as leis não são mais claras? Mais objetivas? Esses comentários foram feitos com a colaboração do meu amigo Nelson Carnaval. A nossa previsão é que seriam 10 questões. Por esse motivo, faltou uma questão de tabela-verdade e uma de combinatória. Eu falei que não havia probabilidade de não cair probabilidade. Caíram três. Falei que iria cair de certeza uma questão de negação. Caíram três. Houve uma de estruturas lógicas. E uma de equivalência. Eu gosto de comentar prova, antes de sair o gabarito. Eu gosto de mostrar minha cara. E se o gabarito não conferir? Vamos mostrar que ele está errado. Não é? E se me convencerem que estou errado, vou ter a humildade para reconhecer".

A questão 43: apresenta a negação de uma proposição simples. É só modificar o verbo. "não pode" você transforma em "pode". Sem não é conectivo. É preposição. Então, está ERRADA.

 A questão 44: é para utilizar a lei de Morgan: ~(~A ^ ~R) é equivalente a A v R. CERTA

A questão 45: pede-se para interpretar uma frase. Colocar na ordem direta. Em código seria: (~A ^ ~R ) -> D CERTA.

A questão 46: É dito que D é V, ~R é V e quer saber se ~A é V. Quando o consequente é V, na proposição condicional, o antecedente pode ser Vou F, para a proposição composta ser V. ERRADA

Questão 47: A proposição composta p^q só é verdadeira se as duas são verdadeiras. Uma só não basta. ERRADA.

A questão 48: poderia ser entendida como uma questão de negação, utilizando a lei de Morgan. A negação de "ou" se faz com "e" que está l