PF pressiona Cachoeira por delação premiada

Os delegados da Polícia Federal fazem pressão para que o contraventor Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo, entre na delação premiada e entregue a quadrilha. Há um ‘terrorismo psicológico’. O colocaram num camburão para 3h50 de estrada de Mossoró rumo a Natal (RN). De lá para Brasília, nada de jatinho, foi de voo comercial, com escala, e ironizado por passageiros. E no presídio da Papuda, está em cela com 22 detentos. A situação só melhora se ele começar a falar o que sabe.

Jatinho, só o advogado
O advogado do contraventor, o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos, foi de jatinho para Mossoró orientar o cliente. Mandou não abrir a boca nem para assoviar.

Medo
Fontes da PF afirmam entreouvidos que o bicheiro tem medo de ser assassinado. A segurança será reforçada nas suas idas à CPI mista no Congresso.

Excelências nos cafofos 
Os 100 deputados federais que participarão da Rio+20 em Junho estão sem hotel na cidade. Procuram até quitinetes para alugar e dividir. A situação é tão delicada que a coordenadora da frente parlamentar, deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), espalhou anúncios entre os parlamentares com residência no Rio para ceder quartos de suas casas.
 
Crime & mistério
Um mistério ronda a morte do ex-presidente da UNE Valmir Santos, 49. Ele foi encontrado estrangulado em seu apartamento em Belém (PA).  Valmir era petista e militante de Direitos Humanos. A polícia desconfia de motivação política.

CPI no DF
O PPS do Distrito Federal foi pressionado pela executiva nacional para apoiar a CPI do Grampo na Câmara Legislativa. Os neocomunistas faziam corpo mole desde a primeira denúncia contra o governado Agnelo Queiroz (PT).

Classificados
Também sem hotel no Rio, o staff da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, anfitriã do evento, ainda não conseguiu apartamento mobiliado de três quartos.

Bolo
Cinco integrantes da TV Gazeta de SP foram a Brasília apenas para entrevistar o deputado Romário (PSB-RJ). Após esperarem sete horas num estúdio, desistiram.

Dinheiro perdido
O Senado pagou R$ 500 mil a estudo da FGV para reforma administrativa, que depois de meses foi recusada. Todo ano, o Senado gasta R$ 3,3 bilhões, R$ 2 bilhões só com folha de pagamento. O orçamento é maior que o de 21 capitais.

É da vida
José Roberto Arruda, testemunha de acusação contra o ex-procurador Geral do DF Leonardo Bandarra, foi ao então presidente Lula à época para pedir apoio à recondução dele ao cargo. Hoje são inimigos mortais.

To nem aí
O líder do PSD na Câmara, deputado Guilherme Campos (SP), diz que assinou o requerimento para criação da CPMI do Cachoeira, mas a bancada está livre para decidir por conta própria.

Mérito
Mozart Viana, ex-secretário Geral da Câmara dos Deputados e atual chefe de Gabinete do senador Aécio Neves, vai deixar o tucano. Será consultor das Organizações Globo em Brasília para Relações Institucionais no Congresso.

Revelações
O dono da Construtora Delta, Fernando Cavendish, entregou à revista Época sete horas de conversas gravadas com empresários e políticos.

Delta do Rio
O deputado Paulo Ramos propõe Comissão de Parlamentares para fiscalizar a Comissão criada pelo governador Cabral, do Rio, sobre a auditoria nos contratos da Delta.

Além-CPI
Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) representará na Mesa Diretora contra o presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE). O tucano arrancou cartaz pró-CPI de sua porta.

Ponto Final
Cavendish da Delta contratou empresa para gerenciamento de crise. De fato, com a entrevista tratada com a Folha de S. Paulo, ganhou uma.
 


Blog

  • BLOG DA FOLHA

Twitter


Cartello