Debate eleitoral acaba antecipado

Eram 19h, ontem, quando a PCR formalizou o nome da vereadora Aline Mariano como secretária do Enfrentamento ao Crack e outras Drogas. Antes, por volta das 16h30, o diretório do PSDB do Recife comunicava “a decisão de apresentar, oportunamente, candidatos para a disputa eleitoral majoritária à prefeitura da capital pernambucana, em 2016”. Em outras palavras, o debate eleitoral acabou antecipado. Aline tem um histórico de atuação no setor e levará sua contribuição à gestão. Mas a reação do PSDB foi motivada pela cartada de Geraldo Julio, que não se contentou com uma negativa obtida, ao ofertar a Secretaria de Saneamento, no momento em que parte dos tucanos era contemplada com espaços no Governo Paulo Câmara. O prefeito insistiu em ter Aline em seu primeiro escalão. Com a jogada, abriu um enfrentamento e uma polarização com Daniel Coelho, que cuidou de ir, ontem, ao gabinete do presidente nacional, Aécio Neves, antes de a nota do PSDB ser emitida, no Recife.

A posse dos novos
secretários da PCR está marcada para a segunda. Roseana Amorim, do DEM, que assume Desenvolvi­mento Econômico, já trabalhou com Aline Mariano antes

Novos horizontes 
O caminho adotado do prefeito Geraldo Julio para atrair o tucanato acirrou os ânimos de parte dos tucanos, que enxergou, na estratégia adotada por ele, “uma afronta”. Nas coxias, ontem, corria que não, necessariamente, Aline Mariano disputaria a reeleição, e poderia, inclusive, ser alçada a vice na chapa majoritária do socialista, o que arremataria a presença do PSDB no palanque.

Por lá - Interlocutores da PCR garantem que o diálogo de Geraldo com Aécio Neves manteve-se aberto. A propósito, o gestor esteve, em Brasília, ontem, onde cumpriu agenda, no Ministério do Esporte, com o ministro George Hilton. Nada impede que tenha trocado ideias com o mineiro.

Resta um - Com a saída de Aline, quem assume é o suplente Wanderson Florêncio, que ficará aliado à base governista. Do PSDB, André Régis ficará na oposição sozinho.

Pode ser - Não está descartado que o apoio do PSB a Aécio Neves na corrida presidencial de 2014 já trouxesse amarrado o apoio do tucanato aos socialistas, no Recife, em 2016.

Previsto - A
line Mariano deve conceder entrevista coletiva, hoje, para falar da nova missão, dos desafios da pasta, do orçamento e da decisão de aceitar o convite de Geraldo Julio.

Desfecho -
Ainda em janeiro, a coluna cantou a pedra sobre o ingresso da senadora Marta Suplicy, no PSB, uma vez que ela, desde dezembro, vem tratando do assunto com socialistas. Hoje, ela vai à mesa com o vice-governador de São Paulo, Márcio França, e com FBC.

Semelhança - Em São Paulo, a propósito, PSDB e PSB são aliados no Estado, mas podem se enfrentar na corrida pela prefeitura. Marta não descarta concorrer, e poderia fazer isso pelo PSB, e os tucanos também  devem ter candidato, em cenário semelhante ao do Recife.

Jura que não - Mesmo sem o PSDB cravar que disputará a Prefeitura do Recife, Daniel Coelho garante que não deixará a sigla. “Não existe possibilidade de eu sair do partido. Estou bem e o partido tem me dado apoio e prestígio. Temos a melhor bancada na Câmara Federal”, assegura.

Polarizado - Em setores do PSDB-PE, a movimentação do prefeito Geraldo Julio, que visava a atrair apoio, acabou gerando o efeito contrário. A Aécio Neves, Daniel Coelho informou que não queria antecipar o debate eleitoral. “Não vou aceitar que outros partidos pautem o PSDB. Diferente de Paulo Câmara, que tem sido respeitoso com o PSDB, Geraldo agiu de forma autoritária”, disparou.


Blog

  • BLOG DA FOLHA

Twitter


Cartello