- page 12

Cotidiano
SEXTA-FEIRA
Recife
, 7 de fevereiro de
2014
3
Conflito rodoviáriopertodo fim
MPT entra
na disputa
da eleição
sindical
Os constantes desentendi-
mentos entre o Sindicato dos
Rodoviários de Pernambuco e
o grupo de oposição à atual di-
reção do órgão foramparar no
Ministério Público do Trabalho
do Estado (MPT/PE). Ontem,
o presidente da instituição
sindical, PatrícioMagalhães, in-
formou que um pedido foi
enviado ao MPT, no intuito
de ter as eleições para a nova
gestão do sindicato monito-
radas pelo órgão. A disputa
aconteceria nos próximos
dias 10 e 11, mas foi suspen-
sa. A decisão foi motivada por
inúmeras denúncias de frau-
de eleitoral, que suposta-
mente teria favorecido Ma-
galhães nos últimos 33 anos.
O Ministério Público do Tra-
balho, por sua vez, confirmou
que vai fiscalizar a disputa
sindical deste ano.
Para o procurador do Tra-
balho, Renato Saraiva, as dis-
cordâncias entre as partes
não devem causar prejuízo
aos usuários de ônibus. Ele en-
tende que há uma disputa
política, mas garante que a in-
tervenção do MPT não vai en-
trar nesse mérito. O procura-
dor assegurou que o trabalho
a ser realizado temo intuito de
preservar a participação de-
mocrática das chapas que
desejarem participar da elei-
ção. “Vamos fiscalizar e coor-
denar essas eleições, para
que não haja qualquer pro-
blema, principalmente, para
proteger o interesse da popu-
lação. O Ministério, como fis-
cal da lei, temo poder demo-
nitorar as eleições”, pontuou.
Na próxima semana, o Minis-
tério Público vai constituir um
grupo de trabalho para estudar
como será o novo formato da
nova eleição. O procurador
Renato Saraiva acredita que as
novas eleições deverão acon-
tecer até o final do mês que
vem. Além disso, o represen-
tante do MPT pretente, com
essa mediação, evitar que a
população sofra com parali-
sações do transporte público.
“Emvirtude dessa confusão
com a oposição, isto é, pes-
soas que nem são associadas
ao sindicato e nempertencem
à categoria, a gente resolveu
suspender as eleições e pediu
ao Ministério Público do Tra-
balho de Pernambuco que
coordene as eleições dos ro-
doviários, abrindo novo prazo
para registro de chapa”, anun-
ciou Patrício Magalhães. O
sindicalista acredita que, dessa
maneira, a legitimidade da
apuração ficará livre de des-
confianças. “Isso é uma res-
posta às pessoas que dizem
que o sindicato faz as coisas às
escondidas, por debaixo do
pano, na calada da noite, o
que não é verdade. Então,
suspendemos a eleição e pe-
dimos a colaboração do Mi-
nistério Público”, considerou
o presidente.
Na outra ponta da disputa,
representantes da Oposição
Rodoviários de Verdade CSP
Conlutas, que é uma dissi-
dência da atual gestão sindi-
cal, classificou a situação
como favorável para as novas
candidaturas. “Se realmente
houver mudança na forma
de condução das elelições,
acredito que ele não per-
mancerá à frente do cargo.
Porque 90% da classe estão
descontentes com a atual
gestão do sindicato dos ro-
doviários”, avaliou o presi-
dente da oposição, Aldo
Lima. O grupo opositor acre-
dita que a “manobra” de Pa-
trício Magalhães não foi por
vontade própria. “O sindica-
to se sentiu coagido e entrou
com o pedido de anulação
das eleições. Então, vai ser
lançado um novo edital, com
um prazo mais longo.
AMEDIAÇÃODO
Ministério Público
do Trabalho é para
evitar que a
população sofra
com as paralisações
dos ônibus
EDWARD PENA
BRIGA
política parou o trânsito na semana passada
As eleições para o Sindicato dos Rodoviários
de Pernambuco será acompanhada pelo
Ministério Público do Trabalho do Estado.
A
intenção do órgão judiciário é acabar de uma
vez por todas com a disputa entre os líderes
sindicais, que vem prejudicando o serviço de
transporte para a população.
Folha
resume
Arthur Mota/Arquivo
Folha
1...,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11 13,14,15,16,17,18,19,20,21,22,...40
Powered by FlippingBook