Barack Obama fez seu último discurso como presidente
Barack Obama fez seu último discurso como presidenteFoto: Joshua Lott/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, formulou nesta terça-feira um apelo à união "além das nossas divergências", em seu último discurso antes de entregar o comando do país ao republicano Donald Trump, no dia 20 de janeiro.

Obama disse que os EUA estão "mais fortes" que há oito anos, quando chegou ao poder, e que a sociedade melhorou suas relações raciais, mas admitiu que permanece uma "força de divisão" entre os americanos.

No centro de Convenções McCormick, junto ao lago Michigan, em Chicago, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos pediu ao povo americano que acredite em sua capacidade de promover mudanças e recordou que isto foi feito nos últimos oito anos.

"Peço que acreditem. Não na minha capacidade de promover mudanças, mas sim na capacidade de vocês", declarou Obama, antes de utilizar a frase que pavimentou seu caminho à presidência: "Sim, nos podemos! E fizemos".

Em outro trecho de um longo discurso, que teve quase 54 minutos, Obama afirmou que negar o aquecimento global "trai as futuras gerações". "Podemos e devemos discutir sobre a melhor forma de abordar este problema, mas não podemos simplesmente negar o problema. Isto não apenas trairia as futuras gerações, mas também trairia o espírito essencial do nosso país".

Obama citou três ameaças à democracia, dizendo que ela não requer uniformidade, mas que para ela funcionar é preciso um senso básico de solidariedade.

A primeira ameaça seria a falta de oportunidade econômica. "Nossa economia não funciona tão bem ou cresce tão rápido se alguns poucos prosperam às custas de uma classe média que cresce", disse ele, apesar de destacar o crescimento e a queda do desemprego durante seu mandato.

A segunda ameaça seria a divisão racial, segundo o presidente. "Temos que garantir leis contra a discriminação [...]. Mas só leis não serão suficientes, temos que mudar os corações", afirmou ele.

A tendência de se retrair a uma bolha e se cercar de pessoas similares a nós é a terceira ameaça, afirmou Obama. "Não é só desonesta, essa escolha seletiva de fatos; é autodestrutiva."

Muitos desafiaram o frio de Chicago - cidade adotada por Obama e seu berço político - para assistir ao último discurso do presidente, que teve a presença da primeira-dama, Michelle Obama, e do vice-presidente, Joe Biden.

Oito anos à frente da primeira potência mundial embranqueceram seus cabelos e emagreceram seu rosto, mas o presidente termina seu mandato com um forte índice de aprovação.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: