Deputado federal Tadeu Alencar (PSB-PE)
Deputado federal Tadeu Alencar (PSB-PE)Foto: Rafael Furtado/Folha PE

Em meio aos desencontros entre a direção do partido e a bancada do PSB na Câmara em relação ao Governo Michel Temer, o deputado federal Tadeu Alencar (PE) avaliou que a legenda sairá “unida e melhor” desse processo.

Apesar de afirmar que quem não concordar com a linha do partido, o parlamentar ponderou que o ministro das Minas e Energia, Fernando Filho, não precisa deixar a sigla, mas acrescentou que ele poderia pedir uma licença da legenda enquanto estivesse no cargo.

“Se ele entende que deve continuar, que o Governo que está aí tem a confiança da sociedade, ele deve continuar. Agora, ele não pode continuar representando o PSB no ministério. Ele pode se licenciar. É uma saída. Por que não?”, posicionou-se Tadeu Alencar, sobre o ministro, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7.

O parlamentar socialista lembrou o caso da hoje deputada federal Luiza Erundina. Em 1993, ela foi convidada pelo então presidente transitório Itamar Franco para ser a ministra-chefe da Secretaria da Administração Federal. Contrariando a posição do PT, legenda à qual pertencia Erundina. Uma das diferenças dos casos é que foi o PT a suspendeu de todas atividades partidárias por um ano.

“(Erundina assumiu) em circunstâncias diferentes, porque o governo tinha a confiança da população. Acho que pode ser uma solução. Mas friso que é uma situação bem diferente do Governo Itamar”, ponderou o socialista.

Leia também:

Câmara avalia situação de Brasília como preocupante
Jungmann diz que não houve recuo de Temer ao retirar Forças Armadas da Esplanada

A posição do parlamentar socialista segue a linha adotada pelo governador Paulo Câmara, que nessa quinta-feira (25) defendeu uma solução negociada para que Fernando Permaneça no partido e no ministério.

Tadeu também criticou a postura da líder da sigla na Câmara, Tereza Cristina (MS), que por mais de uma vez contrariou a posição da direção nacional, principalmente em relação às reformas do presidente Michel Temer. Na última quarta-feira (24), a líder socialista classificou de “baderneiros” os manifestantes que protestavam contra as reformas na Esplanada dos Ministérios.

Condenando firmemente a postura dos que atacaram os prédios dos ministérios, Tadeu acrescentou, no entanto, que não pode colocar todos na mesma vala. Segundo ela, a “imensa maioria” estava ali para protestar contra as reformas.

“A líder, ao invés de estar defendendo um decreto presidencial (que autorizou o uso das Forças Armadas no Distrito Federal) que foi revogado pelas suas impropriedades, ela deveria estar defendendo a posição do partido”, criticou Tadeu, acrescentado que quando ela fez uma referência à decisão do partido que “mais parece um ônus”.

Sobre o decreto editado na quarta-feira (24), que determinava o uso das Forças Armadas para defender a Capital Federal até o próximo dia 31, Tadeu Alencar o classificou como “equivocado”, e que caberia apenas à Polícia Militar cuidar da segurança na manifestação.

“Foi claramente equivocado. Durou 24 horas e felizmente o bom senso prevaleceu. O decreto foi ruim até para o Governo. Trouxe uma pauta que, agora, tem que ficar se explicando”, avaliou o parlamentar.

Sobre o Governo de Michel Temer, Tadeu Alencar acredita que ele não continuará no cargo, mas acredita que ele não renunciará. Se essa fosse a solução, ele acredita que o caminho seria eleição indireta.

No entanto, ele voltou a defender a aprovação da PEC do deputado Miro Teixeira (Rede-RJ), que prevê eleições diretas para presidente. Tadeu lembrou que se for aberto o processo de impeachment contra o presidente Temer, a tramitação do processo coincidirá com a o tempo de aprovação da PEC.

Sobre o perfil do eventual sucessor de Temer, que levaria o País até as eleições de 2018, o socialista afirma que o principal requisito é que seja um nome que uma o Brasil.

“Não pode ser de um partido ou de outro, aumentando a tensão no Brasil, essa divisão, essa intolerância. Tem que ser alguém que pacifique, que dialogue com os dois lados, e que se comprometa om a agenda mínima. E não com a agenda máxima de reforma. Uma agenda mínima para levar o Brasil até 2018. Aí sim você tem um grande debate sobre o futuro do País”, pontou Tadeu Alencar, à Rádio Folha FM, 96,7.

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da 1º Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania de Olinda, promove audiência pública com o objetivo de discutir o funcionamento e os protocolos da atuação das instituições de acolhimento de crianças e adolescentes em situação de risco no município de Olinda, no Grande Recife. A reunião está marcada para a próxima terça-feira (30), às 14h, no auditório da Promotoria de Justiça de Olinda.

A instituição convidou para participarem da audiência representantes do município, o Centro Especializado de Assistência Social (Creas), Conselho Tutelar, Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente e a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, além dos moradores da cidade.

Alepe
AlepeFoto: Arquivo/Folha de Pernambuco

Após a divulgação de que a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) apresentou uma proposta para nomear o novo plenário da Casa, que será entregue em agosto, de Eduardo Campos (PSB), ex-governador do Estado, o deputado estadual de oposição Edilson Silva (PSOL), que foi contrário a escolha, propôs uma enquete para que os internautas sugiram alguns nomes para o local. De acordo com a iniciativa do parlamentar, a sugestão mais mencionada vai constar de um projeto de resolução que deverá ser apresentado na próxima segunda-feira (29).

A proposta de Edilson foi apresentada em sua fanpage no Facebook. "A gente respeita o nome do ex-governador, mas entendemos que nos últimos anos ele já recebeu um número grande de homenagens desse tipo. Por isso acreditamos que a inauguração de um novo plenário da Casa do Povo é uma oportunidade de reverenciar um outro nome marcante da nossa história", diz o texto.

No post, há, ainda, algumas sugestões propostas pelo psolista: Frei Caneca, Leão Coroado, Cruz Cabugá, Tobias Barreto, Pelópidas Silveira, Cristina Tavares e até mesmo das Mulheres de Tejucupapo.

A Secretaria de Educação de Caruaru, no Agreste, em parceria com a Escola Pública de Trânsito do Detran realizara, na próxima segunda-feira (29), a partir das 8h, nas escolas da rede municipal de ensino, atividades do movimento internacional de conscientização para a redução de acidentes no trânsito - 'Maio Amarelo'.

O objetivo é chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo, pautando a segurança viária e mobilizando as unidades educacionais e os estudantes por um trânsito mais seguro. Devem participar do evento em torno de 1.300 alunos.

Maio Amarelo
A cor amarela foi escolhida em alusão à sinalização de advertência, utilizada nos semáforos. Por isso ficou conhecida como a cor da atenção pela vida. Já o mês de maio é em alusão ao Dia Mundial da Segurança Viária e do Pedestre, com a realização da Semana Mundial de Segurança do Pedestre, lançada em 2013.

Vereadora de Olinda Denise Almeida (PRB)
Vereadora de Olinda Denise Almeida (PRB)Foto: Divulgação

A questão do transporte público será discutida na próxima semana pela Câmara Municipal de Olinda. Uma audiência pública, na próxima sexta-feira (2), tratará do aumento da violência, da retirada de cobradores e a insegurança para usuários e trabalhadores do sistema de transporte público.

Proposta pelo vereadora Denise Almeida (PRB), foram convidados, além de representantes dos rodoviários, a Secretaria de Transportes do Estado , Secretaria de Transportes e Trânsito de Olinda, Secretaria de Defesa Social, Secretaria de Segurança Pública de Olinda, Grande Recife Consórcio de Transporte, representantes das empresas de ônibus, promotoria de Transportes do Ministério Público de Pernambuco e o deputado estadual Bispo Ossésio Silva (PRB).

"Precisamos agir contra essa insegurança vivida pelos trabalhadores, usuários dos coletivos e de toda a sociedade que está sofrendo diariamente com a violência nos coletivos. Não será a retirada de cobradores dos ônibus que irá solucionar o problema. Hoje o bandido vai atrás da renda e dos celulares dos passageiros. É preciso dar um basta a esta situação caótica e de medo. A sociedade clama por uma providência do poder público", afirmou a vereadora Denise Almeida.

Hoje cerca de 40% dos 1.669 assaltos a ônibus que aconteceram de Janeiro a 25 de Maio são praticados em Olinda, de acordo com o Sindicato dos Rodoviários. Pelos dados do sindicato, neste mês de maio já ocorreram aproximadamente 280 assaltos.

Marco Zero do Recife
Marco Zero do RecifeFoto: Leo Motta/Arquivo Folha

Pernambuco tem dois destinos turísticos entre os mais procurados do Nordeste. De acordo com o ranking elaborado pelo principal site internacional de vendas de viagens Expedia, o Recife aparece em terceiro e Porto de Galinhas (Ipojuca), vem em sétimo, numa lista de 15 localidades.

A listagem é montada com base no número de hospedagens adquiridas no site durante o período entre janeiro de 2016 a abril 2017. Os líderes do levantamento são Fortaleza (CE), que aparece em primeiro e Salvador (BA).

Sobre os destinos pernambucanos, o Expedia apresenta o Recife como a “porta de entrada do Nordeste brasileiro” e que é considerada o “primeiro polo gastronômico da região”. Cita, ainda que, nos finais de semana, há o programa Recife Antigo do Coração.

Sobre Porto de Galinhas, o site lembra que “recifes de corais protegem grande parte das belíssimas praias de Porto de Galinhas”. Sugere como opção passeio de buggy e cita outras praias como Maracaípe e Muro Alto.

A Expedia é uma das maiores agências de viagens online do mundo. A empresa americana tem sede em Seattle, mas atua em 29 países. Mais de 140 mil hotéis em todo o mundo estão no hall de reservas online da empresa.

João Lyra
João LyraFoto: André Marins/Arquivo Folha

Seis ex-governadores pernambucanos – Gustavo Krause (DEM), Jarbas Vasconcelos (PMDB), João Lyra Neto (PSDB), Joaquim Francisco (PSDB), Mendonça Filho (DEM) e Roberto Magalhães (DEM) – divulgaram manifesto em que pregam respeito à Constituição, apoio às ações desenvolvidas pelo Ministério Público e o Poder Judiciário.

A peça foi idealizada pelo ex-governador João Lyra Neto, que desde a última segunda-feira (22) vem procurando os ex-chefes do Executivo do Estado para formatar a proposta.

A última assinatura ao manifesto foi feita pelo hoje deputado federal Jarbas Vasconcelos, que estava em Brasília e chegou na noite da quinta-feira (26).  

"A Nação clama por respeito à Constituição, aos princípios democráticos, punição aos corruptos e corruptores, como premissa básica para estabilidade da economia e retomada da geração de empregos", diz trecho do texto. 

Leia a íntegra do manifesto:

Aos Brasileiros

Pernambuco deu, ao longo de sua história, notáveis exemplos de compromissos com as lutas pela liberdade, pela democracia e pelo respeito aos direitos humanos.

Desde a Revolução Pernambucana de 1817, a Confederação do Equador de 1824 e a Revolução Praieira de 1848 que estamos na vanguarda das melhores causas nacionais.

Nós, ex-governadores de Pernambuco, firmamos posição - neste momento de grave crise política, ética e econômica - em defesa dos princípios democráticos e do mais absoluto respeito à Constituição em vigor, fruto da luta de milhões de brasileiros.

Defendemos irrestrito apoio as ações desenvolvidas pelo Ministério Público e o Poder Judiciário no sentido que seja aplicado o rigor da punição a corruptos e corruptores. As investigações de desvios de recursos públicos devem ser levadas às últimas consequências.

Só uma ação integrada e harmônica entre os três poderes constituídos garantirá uma solução para o impasse político que o País enfrenta neste grave momento da nacionalidade.

A Nação clama por respeito à Constituição, aos princípios democráticos, punição aos corruptos e corruptores, como premissa básica para estabilidade da economia e retomada da geração de empregos.

Gustavo Krause
Jarbas Vasconcelos
João Lyra Neto
Joaquim Francisco
Mendonça Filho
Roberto Magalhães

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE), por meio de sua Primeira Câmara, julgou ilegais, nessa quinta-feira (25), 274 contratações temporárias para cargos como professor, agente de endemias, enfermeira, entre outros, realizados pela Prefeitura de Orocó, no Sertão, no exercício de 2015. O ex-prefeito Reginaldo Crateu Cavalcante (PT) foi o responsável pelas admissões.

De acordo com o voto do relator do processo, o conselheiro substituto Carlos Pimentel, com base no relatório de auditoria, as contratações relativas apresentaram algumas falhas cabendo destaque para o quantitativo de contratos temporários, que representa 51,68% do quadro de pessoal da entidade, enquanto os efetivos atingem apenas 39,91%. Segundo o TCE, a iniciativa representa uma opção "clara do gestor por aquela forma de admissão de pessoal", em detrimento da Regra Constitucional do concurso público.

A situação é agravada pelo desrespeito ao limite máximo da Receita Corrente Líquida com Despesa de Pessoal da Prefeitura, uma vez que no primeiro quadrimestre o percentual foi de 64,22%, passando a 68,49% já no segundo quadrimestre de 2016. Também foram encontrados acumulação de cargos e a falta de necessidade excepcional que deve reger as contratações temporárias.

O relator, em seu voto, aprovado por unanimidade, decidiu pela ilegalidade, negando registro aos atos de admissão, e aplicou multa de R$ 8 mil ao ex-gestor.

Ministro participou da abertura do Feirão da Caixa
Ministro participou da abertura do Feirão da CaixaFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), que foi o voto 342 no processo de admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara Federal afirmou, nesta sexta-feira (26), que ainda se está num processo "muito inicial" um possível afastamento do presidente Michel Temer (PMDB). Contra o peemedebista, há 13 pedidos protocolados na Câmara.

"Estamos num processo muito inicial. Nós temos que lembrar que a crise que levou à mudança da presidente Dilma se deu desde o final da eleição de 2014 e se arrastou até 2016. Foram dois anos. O processo de impeachment, para se dar, depende exclusivamente de um movimento monocrático do presidente da Câmara. Então, tudo isso está contido nesse momento sobre a autoridade do presidente da Câmara, que é quem tem os elementos para decidir", afirmou o ministro, ao ser questionado se acha contundentes os pedidos.

O ministro participou da abertura do Feirão da Caixa Econômica, no Centro de Convenções de Pernambuco.

"O que o País não pode é, depois de ter saído de um ciclo, encerrado um ciclo da sua crise econômica mais grave da história, deixar de perder esse momento para devolver a quem mais interessa a possibilidade de voltar a melhorar sua qualidade de vida e renda. São 200 milhões de brasileiros", declarou.

Questionado, ainda, sobre como avalia o clima de instabilidade no Congresso Nacional, o tucano afirmou que "todo clima que eleva a um grau mais intenso tira, às vezes, o foco de algo mais relevante para o País".

"O PSDB conseguiu essa semana fazer o que era da sua responsabilidade. O presidente da Comissão da Reforma Trabalhista. Mas é esse o papel do PSDB de dar sequência a reformas que melhoram a qualidade de vida do País. Vale lembrar que nessa feira que tivemos aqui hoje, ano passado eram 22 mil imóveis de estoque. Hoje, são 11 mil. Demonstrando que nesses 12 meses nós criamos condições dentro do Ministério das Cidades e na economia de permitir que voltasse a haver um fluxo de vendas e giro da economia nesse segmento", disse.

Com informações de Geraldo Moreira, da Rádio Folha FM 96,7.

Para a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), que apresentou a PEC, temas estratégicos merecem discussão cuidadosa
Para a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), que apresentou a PEC, temas estratégicos merecem discussão cuidadosaFoto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Está tramitando no Senado a proposta de emenda à Constituição (PEC 19/2017) que proíbe a edição de medidas provisórias que alterem bases da educação nacional. A iniciativa é da senadora Fátima Bezerra (PT-RN). As informações são da Agência Senado.

A Constituição veda a edição de MPs para tratar de alguns assuntos, como direito político e eleitoral, cidadania, organização do Poder Judiciário e do Ministério Público, entre outros. Além disso, a PEC 19/2017 estabelece que também seja proibida a edição de medidas provisórias para mudar a Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Para a senadora, essas alterações exigem uma discussão cuidadosa.

"Temas estratégicos, como é uma Lei de Diretrizes e Bases da Educação, trata-se da nossa carta constitucional, que orienta, que organiza os rumos da educação brasileira. Por isso, é necessário que os instrumentos do ponto de vista legislativo a serem utilizados quando necessário permitam um amplo e plural debate", afirmou.

A proposta está na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e aguarda a designação de um relator.

comece o dia bem informado: