Foram encontrados 619 resultados para "Outubro 2016":

Ao contrário do partido, Luciano Vasquez esteve ao lado de Raquel Lyra no pleito de Caruaru
Ao contrário do partido, Luciano Vasquez esteve ao lado de Raquel Lyra no pleito de CaruaruFoto: Roberto Pereira Jr.

O vice-presidente estadual do PSB, Luciano Vasquez, teceu inúmeras criticas a estratégia do partido nas eleições à Prefeitura de Caruaru. Aliado da prefeita eleita Raquel Lyra (PSDB), ele voltou a dizer que a legenda não deveria ter abandonado a tucana tanto no primeiro turno, com a postulação de Jorge Gomes (PSB), quanto no segundo, com o apoio a Tony Gel (PMDB).

“Quando governantes erram, o povo acerta. foi assim que aprendemos com Arraes e Eduardo (Campos)”, frisou o socialista.

“Não adianta colocar camisa de força que o povo coloca camisa da liberdade. Está lá ela como primeira mulher prefeita em Caruaru. Disputou contra duas máquinas e teve uma máquina em cima dela que não concordo com isso”, disse.

O dirigente socialista também chegou a alfinetar Tony Gel. “Ele nunca militou conosco. Chegou ao apagar das luzes do governo Eduardo”, relatou Vasquez.
Segundo o socialista, o que o PSB cometeu com Raquel Lyra não “se faz nem com o adversário”

“Não poderíamos ter aberto mão de Raquel Lyra, reconhecida por toda a classe política. Dali já começava a falta de discussão e a forma como fizemos. Tirar na ultima semana sem nem ouvi-la. isso não se faz nem com adversário, de tirar do partido de forma bruta. Heraldo (Selva), Miguel (Coelho), pessoas filiadas ao partido sem apoiar Miguel Coelho. É dessa forma que temos que ter esclarecimento”, argumentou.

O dirigente confessou que tentará trazer a prefeita eleita de Caruaru novamente para a base do governo.

“É preciso gestos e unidade. Reconhecer equívocos com ela. Vou trabalhar para que Raquel esteja conosco. Vou trabalhar para PSB apoiar ela, mas PSB tem que ter humildade. Todo mundo sabe que não foi decisão da base, mas da cúpula do partido. Houve um erro. Uma decisão solitária da cúpula partidária. Agora é a hora de reunificar o partido e fazer avaliação profunda dos acertos e dos equívocos”, afirmou o socialista.

Com informações de Carol Brito, da Folha de Pernambuco

Senador afirma que PT ainda segue forte no município
Senador afirma que PT ainda segue forte no municípioFoto: Társio Alves/Divulgação

Um dia após o resultado eleitoral no Recife, o líder do PT no Senado, Humberto Costa, garantiu que o PT manterá o seu papel de oposição ao governo do prefeito reeleito, Geraldo Júlio (PSB). Segundo o senador, este é o caminho 'natural' do partido.

“Seguiremos o caminho que as urnas indicaram. E vamos seguir fazendo uma oposição responsável e combativa, denunciando as falhas da gestão e estando junto da população, defendendo os seus direitos”, afirmou Humberto.

Segundo o senador, apesar do resultado não ter sido favorável, os números ainda mostram que o PT ainda segue com força no Recife. “Mesmo não tendo chegado à vitória, foi no Recife que o partido mostrou sua resistência. Os mais de 333 mil votos em João Paulo mostram também a representatividade política dele, que fez uma excelente gestão no Recife, que é lembrada por todos”.

Para o senador, o PSB venceu no Recife “por vários fatores que não dizem respeito a sua gestão”, que considera “fraca”. “É bom lembrar que estávamos enfrentando o prefeito no cargo, disputando a reeleição com a máquina do estado, da prefeitura e do governo federal . Além disso, vivemos uma campanha de desgaste que nenhum outro partido viveu na história desse país e inegavelmente isso influenciou de maneira negativa sob o resultado das urnas”, avaliou o senador.

Para Humberto, o momento, mais do que nunca, é de luta. “Vamos seguir onde sempre estivemos: ao lado do povo para que mais nenhum direito da nossa população seja usurpado. No Senado, agora teremos pela frente mais uma dura batalha contra essa PEC da Maldade, que congela os investimentos na saúda, educação e na assistência social pelos próximos 20 anos. Estarei na linha de frente contra mais esse retrocesso”, afirmou o senador.

O governador Paulo Câmara escolheu o advogado Roberto Franca como o novo presidente da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase). A nomeação será publicada, nesta terça-feira (01), no Diário Oficial do Estado.

“Franca tem uma larga experiência no serviço público, na área de Direitos Humanos e Justiça, e acredito que é a pessoa certa para realizar uma reformulação imprescindível na Funase”, afirmou o governador de Pernambuco.

De acordo com Paulo Câmara, foi estabelecido um período de 60 dias para que o novo presidente da Funase apresente um plano de reestruturação da Fundação.

“Vamos dedicar todo o nosso esforço para que não se repitam os tristes episódios que ocorreram em Timbaúba e Caruaru. Esse é um compromisso do nosso Governo”, frisou.

Franca será empossado quinta-feira (03/11/16), em cerimônia no Palácio do Campo das Princesas.

Perfil


Roberto Franca Filho nasceu no Recife em 20 de maio de 1951. É formado em Direito pela Faculdade de Direito do Recife (UFPE, 1974). Franca foi secretário de Gabinete do então senador Marcos Freire (1975-1978). De 1978 a 1980, foi secretário de gabinete na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Em 1980, passou a presidir o Centro de Cultura Professor Luís Freire, em Olinda, cargo no qual permaneceria durante dois anos. Entre 1985 e 1986 presidiu a Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Olinda e Recife.

Em 1986, Franca coordenou o programa Mutirão contra a Violência, idealizado pela Prefeitura de Recife na gestão de Jarbas Vasconcelos. Foi secretário de Justiça de Pernambuco dos segundo Governo Miguel Arraes, de 1988 a 1990, quando passou a comandar a Secretaria de Segurança Pública.

Em 1990, Roberto Franca foi eleito deputado federal. No primeiro ano de mandato atuou como membro titular das comissões de Viação e Transportes, Desenvolvimento Urbano e Interior e de Defesa Nacional da Câmara. Em 1995, no terceiro Governo Arraes, voltou a assumir a Secretaria de Justiça, onde permaneceu até o final da gestão.

Com o término o governo, voltou a exercer o cargo de procurador judicial da Prefeitura de Recife. Atualmente, Franca é um dos integrantes da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Helder Câmara. Roberto Franca é casado com Janeide Maria Gomes França e tem três filhas.

Geraldo teceu elogios ao Governador Paulo Câmara
Geraldo teceu elogios ao Governador Paulo CâmaraFoto: Bruno Campos/Folha de Pernambuco

Fortalecido politicamente após ter conquistado mais de meio milhão de votos no Recife, o prefeito reeleito Geraldo Julio (PSB) tem planos para política, mas não nos próximos quatro anos. Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta segunda-feira (31), ele garantiu que terminará seu mandato.
“Termino sim. Tenho compromisso com a população do Recife. Governo a cidade nos próximos quatro anos”, disse o prefeito, que teceu vários elogios ao governador Paulo Câmara (PSB).

“Eu acho que o governo saiu muito vitorioso nessas eleições elegendo 70 partidos do PSB,. Ele que lidera a Frente Popular do Estado. (...) Aqui no Recife sob a liderança de Paulo Câmara, tenho muita honra de liderar a Frente Popular”, afirmou.

Leia também:
Geraldo promete cobrar recursos ao Governo Federal

Ele confessou que o se adversário na disputa no segundo turno, João Paulo (PT), tentou entrar em contato com ele após o resultado oficial das urnas no domingo (30).

“Ele me telefonou na hora que eu estava na coletiva ontem, e quando eu retornei ele estava na coletiva dele. Ainda iremos entrar em contato”, relatou o socialista.

PSB

O prefeito reeleito Geraldo Julio (PSDB) defendeu a reeleição do presidente nacional do partido, Carlos Siqueira. A legenda realizará eleições internas no próximo ano.
“Ele deve ser mantido. Isso vai acontecer em 2017. Fomos o terceiro partido mais votado do País inteiro pela primeira vez. Ganhamos mais de 400 prefeituras do brasil”, argumentou.

O Movimento Nacional de Direitos Humanos de Pernambuco (MNDH-PE) divulgou uma nota, nesta segunda-feira (31), em repúdio aos casos de morte no sistema socioeducativo em Pernambuco. De acordo com o texto, nos últimos cinco anos, os problemas no sistema culminaram no assassinato de 40 adolescentes - destes, 11 foram mortos no intervalo de cinco dias.

"Embora seja repetido demasiadamente que as mortes decorreram de conflitos internos entre os próprios adolescentes, é óbvia a responsabilidade do Estado, que além de falhar na oferta de um sistema que seja de fato socioeducativo, sem garantir o direito à educação dentro das unidades, falha, sobretudo, ao sequere resguardar suas vidas e dignidade", afirma o texto.

O MNDH também pede um posicionamento do governador Paulo Câmara (PSB) e o cumprimento a efetivação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a partir dos recursos e investimentos necessários ao bom funcionamento do sistema.

"Exigimos que toda omissão de gestores que resultou nas seguidas tragédias anunciadas das rebeliões no sistema educativo seja punida exemplarmente, que tanto o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, quanto o presidente da Funase sejam afastados imediatamente de suas atividades considerando não terem se mostrado capazes de gerir as repetidas crises no sistema socioeducativo no Estado", afirma a nota. "Também exigimos que sejam colocadas em prática medidas urgentes para resguardar a vida e a dignidade dos adolescentes em conflito com a lei de nosso Estado".

Geraldo Julio foi reeleito prefeito do Recife
Geraldo Julio foi reeleito prefeito do RecifeFoto: Patrícia Raposo/Folha de Pernambuco

A crise que assola o País é um dos percalços para o prefeito reeleito Geraldo Julio (PSB) conseguir implantar as intervenções prometidas para a sua próxima gestão e ainda as outras obras pendentes da atual administração. Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta segunda-feira (31), o socialista garantiu que iria cobrar do Governo Federal novas medidas para ajudar no crescimento do Brasil.

“(...)para que a gente possa ter recurso para fazer aquilo que é necessário, mas a gente está preparado para os próximos anos. Vamos cobrar do governo federal para que o país volte a crescer”, afirmou o gestor.

Entre as promessas do primeiro mandato estão: 20 upinhas, foram entregues 10; e 5 compaz, no qual só uma foi inaugurada. Já entre as promessas da próxima gestão estão, entre outros, o Hospital do Idoso, e o projeto Ganhe o Mundo do Recife.

“A crise econômica está completando três anos e foi nessa crise que fizemos o Compaz, o Hospital da Mulher. Construímos 10 creches, 10 upinhas, conseguimos ampliar a capacidade de investimento da prefeitura, a gente conseguiu controlar os gastos”, disse.

Leia também:
Geraldo Julio garante que terminará o mandato

O socialista afirmou que a marca do seu segundo mandato continuará sendo a de trabalho.

“A população reconhece o esforço que fazemos nesse último ano pelo trabalho. A marca do trabalho, da dedicação, uma bandeira reconhecida pela população”, argumentou o prefeito.

O Diário Oficial do Estado publicou, nesta segunda-feira (31), o edital de licitação para as obras de restauração e duplicação da BR-104, no trecho que liga Toritama ao distrito de Pão de Açúcar, no Agreste pernambucano.

A intervenção integra o Plano Rodoviário de Pernambuco – Caminhos do Desenvolvimento, lançado pelo governador Paulo Câmara (PSB), na última terça-feira (25), no Palácio do Campo das Princesas, ao lado do secretário de Transportes, Sebastião Oliveira (PR).

As obras contemplarão 13,2 quilômetros da BR-104. O investimento nesta ação será de cerca de R$ 90 milhões. A via é utilizada como rota para o escoamento do Polo de Confecção do Agreste.

Já os serviços de restauração e duplicação da PE-160 estão em andamento. O trecho beneficiado liga Pão de Açúcar a Santa Cruz do Capibaribe. Nesta obra estão sendo investidos R$ 66,5 milhões.

A participação do cientista político Antonio Lavareda no programa Roda Viva, da TV Cultura, que aconteceria nesta segunda-feira (31), foi adiada. O programa teria como tema central uma análise do segundo turno das eleições municipais, encerradas no último domingo (30), além da nova composição de forças. A assessoria do cientista político não informou, no entanto, uma nova data.

A análise gira em torno do PMDB, que já possui maioria de cidades; do PSDB que fará gestão de maior número de eleitores, seguido pelo PSB; e também em torno do crescimento do PSDB no segundo turno. O partido venceu na área do “Cinturão Vermelho”, do ABC Paulista, reduto até então liderado pelas esquerdas.

Na bancada, estarão a analista de pesquisas, Fátima Pacheco Jordão, o professor do Insper, Fernando Schuller, o professor da Unesp, Marco Aurélio Nogueira e o professor da USP, Gaudêncio Torquato. A mediação será de Augusto Nunes e a atração vai ao ar às 22h, na TV Cultura.

Anderson Ferreira concedeu entrevista à Rádio Folha
Anderson Ferreira concedeu entrevista à Rádio FolhaFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Prefeito eleito de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, o deputado federal Anderson Ferreira (PR) afirmou, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, que deve fechar, ainda nesta segunda-feira (31), um dia depois do segundo turno das eleições municipais, a equipe de transição de governo. O parlamentar também disse ter pressa para dar início ao processo.

“O mais rápido possível", afirmou ao ser questionado sobre a transição. "Já estamos hoje fechando a equipe de transição. Acredito que não terei trabalho”, disse Ferreira. O prefeito eleito também disse acreditar em uma transição tranquila. “Da minha parte será e acredito que da parte do prefeito (Elias Gomes-PSDB) também”, afirmou.

O deputado federal foi eleito com 58,50% dos votos válidos, que correspondem a 171.057 votos. O candidato Manoel Neco (PDT) teve 41,50% dos votos válidos (121.326 votos).

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, avaliou o cancelamento da construção de 17 navios previstos no Programa de Modernização e Expansão da Frota pela Transpetro, subsidiária da Petrobras, como o “início da morte da indústria naval”. “Esse é o início da morte da nossa indústria naval, que renasceu na gestão do ex-presidente Lula (PT) que investiu fortemente no setor prevendo que seríamos uma grande potência”, lamentou o petista.

O programa previa a contratação de 46 embarcações. Dessas, foram construídas e entregues apenas 17 e nove ainda estão em construção. A Transpetro argumenta que está “otimizando custos de gestão” para se tornar mais competitiva.

A indústria naval já contabiliza 10 mil demissões. Número este que pode chegar ultrapassar os 30 mil, principalmente por causa da mudança de planos da Petrobras e subsidiárias.

“Não entendo que otimizar custos de gestão seja deixar nossa indústria naval minguar. Primeiro foi a Petrobras. Foi necessário planejamento e muito trabalho para reavivar um setor que não funcionava antes da gestão do PT. Agora vão começar a terceirizar navios para poder atender uma demanda brasileira. Isso realmente é lamentável e demonstra falta de visão política”, pontuou o senador, afirmando que a Transpetro é competente para construir navios com excelência.

Humberto Costa ainda falou que os governos do PT deram impulso ao setor. “É muito triste ver uma área que antes empregava milhares de pessoas, agora estar sendo desmontada por um governo sem voto e golpista”, disse o senador.

comece o dia bem informado: