Foram encontrados 4 resultados para "Política":

Alberto Fraga assinou a nota com críticas do Governo Federal
Alberto Fraga assinou a nota com críticas do Governo FederalFoto: Leonardo Prado / Câmara dos Deputados

Comandada pelo deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF), um dos líderes da “bancada da bala”, a Frente Parlamentar da Segurança Pública da Câmara, reclamou, em nota assinada pelo presidente, que, em nenhum momento, foi procurada pelos ministros da Justiça, Alexandre de Moraes, e da Defesa, Raul Jungmann para discutir a crise no sistema prisional, após as mortes em presídios de Manaus e Roraima.

O grupo, que diz contar com mais de 300 parlamentares, afirma que, “aparentemente por vaidade e ciúme”, autoridades federais ignoraram as 20 propostas apresentadas pela CPI do Sistema Carcerário e preferiram atuar como se o Congresso Nacional não existisse.

“Durante a CPI alertamos o Governo sobre as facções que estavam dominando os presídios, mas a questão não foi tratada com a devida atenção e o resultado foi a tragédia que aconteceu na última semana”, diz trecho da nota.

Por fim, a comissão se coloca à disposição do Governo, para ajudar a resolver a questão. “Não concordamos em legislar para a segurança pública por espasmos, pois a sociedade não suporta mais conviver com o crescimento desenfreado da violência”, finaliza a nota assinada por Alberto Fraga.

Leia a íntegra da Nota:

“A Frente Parlamentar da Segurança Pública, composta por mais de 300 parlamentares, sendo que muitos são oriundos das instituições operadoras da segurança pública, vem a público manifestar sua preocupação com os últimos acontecimentos no sistema penitenciário brasileiro.

Sabemos da gravidade, no entanto, não é normal o Governo Federal ignorar os profissionais de segurança pública, eleitos, que estão no exercício de seus mandatos. Parece coisa de ciúmes! Seria descabido, alguns desses deputados serem chamados, por quem quer que seja, para discutir essa pauta? Se a resposta for negativa, temos que reagir e buscarmos algumas respostas.

É lamentável que o Governo, do qual fazemos parte, num momento crítico e grave como esse não busque uma solução caseira. Chegamos até a imaginar que os Ministros da Justiça e da Defesa não conhecem a Casa do Povo. E suas vaidades pessoais não permitem escutar a opinião de parlamentares, ouvem seus assessores, mas não ouvem os deputados.

Projetos de Lei existem aos montes, mas são ignoradas. Recentemente concluímos a CPI do Sistema Carcerário e apresentamos vinte propostas para melhorar o sistema prisional, no entanto, em nenhum momento os ministros se referiram à essa Comissão de Inquérito e suas propostas. Durante a CPI alertamos o Governo sobre as facções que estavam dominando os presídios, mas a questão não foi tratada com a devida atenção e o resultado foi a tragédia que aconteceu na última semana.

Não sabemos identificar o que acontece, a única certeza que temos, é que estamos à disposição do Governo Federal e não concordamos em legislar para a segurança pública por espasmos, pois a sociedade não suporta mais conviver com o crescimento desenfreado da violência.

Deputado Alberto Alberto Fraga

Presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública”

Roberto Freire foi um dos maiores defensores do impeachment de Dilma
Roberto Freire foi um dos maiores defensores do impeachment de DilmaFoto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Com a presença dos ministros Raul Jungmann (Defesa) e Roberto Freire (Cultura), a direção estadual do PPS em Pernambuco realiza reunião neste domingo, no Recife.

Em pauta, de acordo com a convocação aos diretórios municipais, "um balanço das últimas eleições e perspectivas do PPS nos planos estadual e nacional".

A reunião será das 9h às 14h, no Recife Praia Hotel, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife.

João Paulo (PT) faz festa na urna
João Paulo (PT) faz festa na urnaFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Candidato derrotado no Recife, o ex-prefeito João Paulo (PT) acusou seu adversário, o prefeito reeleito Geraldo Julio (PSB) de "enganar a população" e disse que ele não teve "hombridade" de reconhecer investimentos do governo petista na capital pernambucana.

Para João Paulo, Geraldo Julio "vendeu uma realidade e enganou parcela da população". "A realidade mostrada em seu programa eleitoral é fruto de uma ficção ilusória", afirmou, após concluído o resultado da eleição.

Com 528.335 votos (61,30%), Geraldo Julio foi reeleito neste domingo (30). João Paulo teve 333.516 votos (38,70%).

A vitória de Geraldo encerra de vez a última expectativa do PT de comandar uma capital no Nordeste, região onde já foi o partido mais forte.

João Paulo também acusou a administração do PSB, tanto na prefeitura quanto no governo do Estado, de usar a máquina para vencer a disputa. "Teve o peso das duas máquinas, muitas denúncias de opressão a servidores, de ameaças", disse o candidato derrotado.

João Paulo mencionou também as "dificuldades financeiras terríveis" do PT, qualificando sua campanha como "extremamente difícil".

Ele citou também as denúncias contra o partido no âmbito da Operação Lava Jato. "Tivemos muitas dificuldades pelo ódio colocado contra o partido. Um ódio feroz foi colocado contra o Partido dos Trabalhadores", disse João Paulo, mencionando ainda "perseguição seletiva (ao PT) por parte da mídia nacional".

Questionado sobre seu futuro político, o petista afirmou que será "com o povo", independentemente de ter cargo público ou não.

O empresário Hildon de Lima Chaves, de 48 anos, ou Dr. Hildon, como é mais conhecido
O empresário Hildon de Lima Chaves, de 48 anos, ou Dr. Hildon, como é mais conhecidoFoto: Divulgação

O candidato Dr. Hildon (PSDB) venceu a disputa para a prefeitura de Porto Velho (RO), com 65,75% dos votos válidos. Léo Moraes (PTB) ficou em segundo lugar, com 34,25% dos votos válidos. Até agora foram apurados 75% das urnas, mas Hildon já está matematicamente eleito.

O empresário Hildon de Lima Chaves, de 48 anos, ou Dr. Hildon, como é mais conhecido, concorreu pela coligação Juntos por uma Porto Velho melhor. O candidato a vice-prefeito é Edgar do Boi, do PSDC.

Dr. Hildon já foi promotor de Justiça e hoje é dono de uma rede de ensino. Esta foi a primeira vez que ele disputou uma eleição.

comece o dia bem informado: