Carlos Siqueira
Carlos SiqueiraFoto: Arquivo PSB

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) divulgou uma nota, assinada pelo presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, nesta sexta-feira (19), na qual afirma que as doações recebidas pelo grupo J&F ocorreram dentro das "normas legais e foram devidamente declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE)".

Na sua delação premiada na Procuradoria-Geral da República, o diretor de Relações Institucionais da Holding J&F, Ricardo Saud, relatou, no anexo 36, a relação da JBS com o então candidato à Presidência pelo PSB Eduardo Campos. No depoimento, ele cita que o grupo tratou de uma “propina” de R$ 15 milhões pata a campanha do socialista.

Também citou o governador Paulo Câmara, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, e o senador Fernando Bezerra Coelho.

Na nota, o partido ainda afirma que o delator informou que as doações ao PSB foram realizadas sem contrapartida.

Confira, abaixo, a íntegra da nota:

Em face da delação do diretor de relações Institucionais do grupo J&f, Ricardo Saud, o Partido Socialista Brasileiro esclarece que todas as doações recebidas ocorreram estritamente dentro das normais legais e foram devidamente declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ressalta-se que o próprio delator informou que as doações ao PSB foram realizadas sem contrapartida, ou seja, em consonância com a legislação em vigor à época.

CARLOS SIQUEIRA
Presidente Nacional do Partido Socialista Brasileiro – PSB

Leia mais:
Delator da JBS cita Eduardo Campos, Paulo Câmara, Geraldo Julio e FBC
Defesa de Fernando Bezerra diz que contas de campanha foram aprovadas
Paulo Câmara nega irregularidade e condena uso político da delação
Geraldo Julio diz que nunca tratou de recursos ilegais

comece o dia bem informado: