iNovaFundaj aborda cultura erudita em meio à pandemia

Na próxima quarta-feira (3), a 11ª edição do projeto convida especialistas para discutir a nova realidade para o cenário

Teatro de Santa IsabelTeatro de Santa Isabel - Foto: Andréa Rêgo Barros/Divulgação

Com a necessidade de isolamento, espetáculos e apresentações tiveram suas atividades suspensas, mas como a arte há de sobreviver à pandemia? Representantes da Dell’Arte, líder no mercado das artes clássicas, o jornalista musical Sérgio Martins e o pianista Claudio Dauelsberg participarão da próxima edição do iNovaFundaj. A música clássica será o tema principal da 11ª edição do projeto, que contará também com uma apresentação musical de Dauelsberg. O tema da live será: “Os impactos da Covid-19 na cultura”, e deve ser abordada a cadeia produtiva das artes nesta nova formulação digital. A transmissão acontece no o link bit.ly/2ZKo00x

Especialistas acreditam que as lives são uma realidade que deve se manter até depois do turbilhão causado pelo novo coronavírus. No mundo da arte será necessária uma adequação para o momento da pandemia e para o pós, visando a conquista e manutenção do público. Para o pianista Claudio Dauelsberg o momento é de pensar alternativas. Idealizador do projeto PianOrquestra, que reúne dez mãos em volta de um único piano, ele comenta o experimento de ensaios virtuais. “A gente lida com o desafio do delay, que prejudica a experiência. Algo que deve ser discutido neste momento”, observa. 

Leia também:
Pesquisa da Fundaj aponta maior desemprego no Nordeste durante pandemia
Cinema da Fundação lança o FestCurtas Fundaj 2020 On-line


Em sua participação, ele promete falar da importância da música no confinamento, qual o papel das lives para o equilíbrio emocional em um cenário de notícias adversas. “É entretenimento e mais do que isso. A música afeta as pessoas e é capaz de potencializar o desenvolvimento humano”, defende.

Ao longo de sua trajetória, tocou em importantes festivais e teatros. Incluindo o Teatro de Santa Isabel, no Recife. No entanto, o retorno aos palcos é imprevisível e conta de soluções que vêm sendo discutidas no mundo: do retorno do drive-in (aquele modelo de cinema em espaços abertos, onde se assiste dentro do carro) até salas de espetáculos onde as cadeiras ficam distantes umas das outras. Há, aliás, a expectativa de transmissões on-line feitas direto de teatros vazios. “O fato é que nos próximos anos deveremos conviver com o real e o virtual ao mesmo tempo. É uma prática que irá se consolidar ainda mais”, acredita o pianista.

Encerrando o debate, o artista irá apresentar um pocket-show. Atendo aos diversos públicos possíveis na transmissão garante um repertório de The Beatles a Johann Sebastian ‘Bach’ e da bossa-nova aos diamantes do cancioneiro nordestino, como a “Asa Branca”, do Rei do Baião Luiz Gonzaga.

A live contará com a mediação do jornalista cultural Sérgio Martins, que atuou por duas décadas na revista Veja. Conhecido pelas suas críticas no universo da música, já passou pela revista Bizz e colaborou com os cadernos Ilustrada, da Folha de S. Paulo, Caderno 2, do Estado de São Paulo, Divirta-se, do Jornal da Tarde, até a revista Trip. O talento e reconhecimento o levaram a assinar uma matéria na revista estadunidense Time. No mercado desde 1989, ele presenciou diversos movimentos culturais no Brasil e os altos e baixos desse mercado no País e no mundo. Já entrevistou nomes que vão de Bono Vox, do U2, a Ivete Sangalo.

Mais sobre os palestrantes:
Por anos à frente da Sala Cecília Meireles, Myrian Dauelsberg já passou pelos conselhos de Cultura e gabinete do extinto Ministério da Cultura. Entre os anos de 1994 e 1998, atual como coordenadora do Fórum de Ciência e Cultura da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente, é presidente da empresa Dell'Arte, líder de mercado nas áreas clássica, e turnês brasileiras com importantes atrações das artes cênicas. Para o Brasil, trouxe nomes que vão de Pavarotti ao Balé Bolshoi. Em 1998, foi eleita pelo Conselho Nacional de Mulheres do Brasil como uma das 10 mulheres mais importantes daquele ano.

Membro da família, com especialidade no mercado financeiro, o economista Steffen Dauelsberg é sócio da Dell'Arte desde 1988. Na empresa, realizou mais de 3 mil espetáculos pela América do Sul, assumiu e desenvolveu a área comercial e de patrocínios, assim como implantou mecanismos de captação pode meio dos incentivos fiscais federal, estaduais e municipais. Iniciativas que sempre primaram pela descentralização cultural e a formação de novas plateias, além do apoio a jovens talentos. Steffen participou, ainda, da implantação dos Festivais de Inverno de Petrópolis e Nova Friburgo, no Rio de Janeiro.

Enquanto Claudio Dauelsberg é doutor em Música pela Universidade do Rio de Janeiro (Unirio), onde dá aulas. Especialista em arranjo, composição e novas linguagens tecnológicas aplicadas à música, já atuou ao lado de nomes como Chick Corea e Hermeto Pascoal. Como educador ministrou aulas em instituições internacionais como Oslo University (NO), Codarts (Rotterdam), London University (UK) e Sofia Music Academie (BU). Foi curador do Jazzahead 2013, do Canadá. É responsável por diversos projetos em parceria com a CCBB, Caixa Cultural, Correios, Sesc, dentre outros.

Serviço
11º iNovaFunaj: os impactos da Covid-19 na cultura
Data: 03 de junho de 2020
Horário: 16h às 18h30
Transmissão via Zoom em bit.ly/2ZKo00x
Gratuito

Veja também

Em livro, afegã conta como se vestiu de homem por 10 anos para sobreviver ao Taleban
Livro

Afegã conta como se vestiu de homem para sobreviver ao Taleban

Levantamento do Ecad indica que Norte e Nordeste são as regiões que mais ouvem rock
Música

Levantamento do Ecad indica que Norte e Nordeste são as regiões que mais ouvem rock