Leão Coroado tem seu patrimônio imaterial em projeto de salvaguarda

Grupo do Maracatu Leão Coroado, fundado em 1863, é considerado patrimônio vivo do Estado. Agora, ganha CD, DVD, livro e website, lançados no Centro Cultural dos Correios

Maracatu Leão Coroado lança projeto de salvaguarda do seu patrimônio imaterial Maracatu Leão Coroado lança projeto de salvaguarda do seu patrimônio imaterial  - Foto: Katarina Real/Fundaj

Um dos mais antigos maracatus de Pernambuco está em festa. Nesta terça-feira (3), a partir das 15h, será o lançamento do projeto "Salvaguarda do Maracatu Nação Leão Coroado - 150 anos de história, cultura e tradição". Vários produtos compõem o projeto: um livro registrando a história viva da agremiação, um CD com 16 toadas tradicionais, um vídeo-documentário e um website, que vai continuar sendo alimentado pelos próprios integrantes do maracatu.

O lançamento ocorre no Centro Cultural dos Correios, no Bairro do Recife, e contará também com uma mesa de diálogo sobre a importância do Leão Coroado enquanto guardião da memória afrodescendente e, ao final, degustação de gastronomia de terreiro.

"Ao longo de três anos, com apoio do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), foram pesquisados e sistematizados materiais como fotos, músicas e registros audiovisuais do Leão Coroado, em entidades parceiras como a Comissão Pernambucana de Folclore, a Fundação Joaquim Nabuco, o Museu da Abolição, a Confraria de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos e os próprios integrantes do maracatu, especialmente os mais antigos", conta o coordenador do projeto e presidente da organização não governamental Instituto Cooperação Econômica Internacional (Icei Brasil), Diego Di Niglio.

Leia também:
Nações fizeram 28º encontro de maracatus em Olinda
[Fotos] Os rituais e as cores do maracatu rural; grupos se encontram esta segunda
Dia D do maracatu no Recife


Junto com o levantamento e catalogação das imagens e da confecção do livro, do CD e do DVD, o projeto realizou oficinas de transmissão de saberes (como dança, percussão, fabricação de instrumentos e confecção de fantasias e estandartes) e gravação de videoaulas voltadas para integrantes do Leão Coroado, alunos de escolas locais e outros moradores do bairro de Águas Compridas, em Olinda, onde fica a sede do maracatu.

Fundado em 1863 e considerado patrimônio vivo de Pernambuco, o Leão Coroado nunca tinha sido registrado com tanta amplitude e profundidade. Em 1989, a Prefeitura do Recife editou o livro "Leão Coroado", focando no antigo mestre da agremiação, Luiz de França, falecido em 1997, e em 2013, ano em que a agremiação completou 150 anos, foi realizada uma exposição fotográfica com a impressão de um catálogo. Nada, contudo, comparável ao resgate promovido agora.

Desfile das baianas no Leão Coroado

Desfile das baianas no Leão Coroado - Crédito: Divulgação


"Esse tipo de projeto é fundamental para valorizar e preservar manifestações de cultura popular, especialmente as de matriz africana, que têm a oralidade em sua base. De um lado, se organiza e registra a memória, e de outro serve de base para o futuro", aponta Di Niglio, destacando que o fato de haver uma multiplicidade de linguagens amplia o olhar e favorece a apropriação por parte da própria comunidade.

Para o mestre do Leão Coroado, Afonso Gomes de Aguiar Filho, seria importante que outras agremiações pernambucanas pudessem ser alvo desse tipo de resgate e incentivo. "O Leão Coroado sente orgulho de poder contar essa história, desde os primórdios até os dias atuais. A gente vem tentando dar sequência a um legado, conservando nossas tradições e mostrando às pessoas como é um maracatu de verdade, em um momento em que o excesso de estilização está fazendo muitos perderem o fio da meada", critica.

Distribuição

 

Os materiais que compõem o projeto vão ser distribuídos gratuitamente durante o evento, e posteriormente serão vendidos ao custo de R$ 40 (livro) ou R$ 20 (CD ou DVD). A renda arrecadada será revertida para a construção da sede do Leão Coroado.

No momento, os adereços e outros materiais da instituição centenária ficam guardados na casa do próprio mestre Afonso. "Já temos o terreno, e tenho esperança de que, agora que temos esse material como contrapartida, seja possível realizar o sonho de ter uma sede onde possamos ensaiar e passar esse saber adiante", afirma.

Serviço:
Lançamento do projeto "Salvaguarda do Maracatu Leão Coroado"
Nesta terça-feira (3), a partir das 15h
Auditório do Centro Cultural dos Correios (Rua Marques de Olinda, 262, 1º andar, Bairro do Recife)

Veja também

Porta dos Fundos tira do ar esquete que gerou polêmica
porta dos fundos

Porta dos Fundos tira do ar esquete que gerou polêmica

'O Gambito da Rainha' é série original mais vista em toda a história da Netflix
série

'O Gambito da Rainha' é série original mais vista em toda a história da Netflix