Palco Giratório abre temporada 2017 com "Angu de Sangue"; confira a programação

Festival chega a 20ª edição e promove espetáculos de dança, teatro, circo e performances do Litoral ao Sertão

"Angu de Sangue" abre a temporada 2017 do Palco Giratório"Angu de Sangue" abre a temporada 2017 do Palco Giratório - Foto: Divulgação

A partir do dia 4 de abril, Pernambuco será cenário de espetáculos de dança, teatro e circo, pois chega à cidade o projeto Palco Giratório, que comemora sua 20ª edição. Até o mês de novembro, a iniciativa vai promover 36 apresentações na cidade – sete a mais que em 2015. No Recife, a abertura do projeto será com a peça “Angu de Sangue”, no Teatro Marco Camarotti, na terça-feira (4), às 20h. No palco, o espetáculo do grupo pernambucano Coletivo Angu de Teatro mostra as diferenças sociais e ideológicas de uma cidade grande.

Além das montagens de grupos pernambucanos, o Palco Giratório receberá grupos teatrais de oito estados brasileiros, como o Rio de Janeiro, Ceará e Minas Gerais. Os 11 grupos se apresentarão nas 17 unidades do Sesc no Estado e serão responsáveis, também, por promover discussões e oficinas. A programação do Palco Giratório inclui uma Mostra Comemorativa, dez “Pensamentos Giratórios”, 13 oficinas e três intercâmbios, sendo dois na capital e um em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife. Uma das novidades desta edição é a criação de seminários para discutir as políticas públicas para fomento das artes cênicas no país e as linguagens artísticas.

O projeto também promoverá ações de fomentação a produção artística local com capacitação e formação nas regiões mais afastadas no Litoral. O Palco Giratório, então, realiza festivais na Aldeia Vale Dançar, em Petrolina, no Sertão, de 19 a 29 de abril; a Aldeia Velho Chico, no Vale do São Francisco, de 1 a 12 de agosto, também em Petrolina; a Aldeia Yapoatan, em Jaboatão dos Guararapes, na RMR, de 15 a 24 de setembro ; e a Aldeia Olho d’Água dos Bredos, em Arcoverde, de 17 a 26 de novembro. As “Aldeias” são um braço cultural do Palco Giratório.

Nesta edição, o festival homenageará a companhia Oi Nóis Aqui Traveiz, do Rio Grande do Sul. Seu espetáculo “Caliban – A Tempestade”, que comemora os 39 anos do grupo, chegará a Pernambuco para apresentação na Aldeia Olho d’Água dos Bredos, no mês de novembro, e para fechar seu circuito nacional na cidade do Recife, depois de percorrer 19 cidades.

O Palco Giratório é considerado um dos maiores projetos de artes cênicas do Brasil. A iniciativa promove apresentações de teatro, dança, circo, performances e happenings em diversas cidades do Brasil. Em 2017, o Palco estará em 144 cidades de 26 estados e no Distrito Federal, somando 685 apresentações artísticas. Na sua trajetória de quase duas décadas o projeto já realizou mais de nove mil apresentações em todo o país.

Confira algumas apresentações que acontecerão em Recife e Petrolina no mês de abril:

RECIFE

4 de abril
“Angu de Sangue” (Coletivo Angu de Teatro/PE) – a primeira peça desse histórico coletivo pernambucano volta aos palcos. Baseada no livro homônimo de Marcelino Freire e em mais dois contos, a peça é considerada uma crônica social contemporânea. Às 20h, no Teatro Marco Camarotti.

5 e 6 de abril
“Caranguejo Overdrive” (Aquela Cia. de Teatro/ RJ) - montagem conta a história de um ex-catador de caranguejo que vive em meados do século XIX. Cosme, esse protagonista, é convocado para integrar o exército durante a Guerra do Paraguai e acaba enlouquecendo. Ao voltar, encontra a cidade do Rio em transformação. A peça é vencedora do prêmio Shell. Às 20h, no Teatro Marco Camarotti.

6 de abril
Pensamento Giratório – uma pausa nos espetáculos para pensar o fazer arte, para refletir sobre o trabalho do artista. O acesso é aberto ao público e participam Aquela Cia. de Teatro e o Coletivo Angu. Às 15h, no

10 de abril
“Pontilhados” (Grupo Experimental/PE) – o grupo de dança reconta a história do Recife desde suas origens, trilhando, literalmente, os caminhos da História. A apresentação será nas ruas do Bairro do Recife. Às 16h, com saída na sede da companhia, que fica na Rua Tomazina, nº 199, no Bairro do Recife.

11 de abril
“Ruína de Anjos” (Outra Companhia de Teatro/BA) – uma mistura de teatro de rua, intervenção urbana e performance, o espetáculo tem como mote a reabertura de um cinema de bairro. O local, que antes era importante, foi abandonado e a revitalização representa a esperança de renovação para aquele lugar. A trama convida o espectador a discutir a violência, a marginalidade, o tráfico de drogas, a invisibilidade social, a comercialização da fé e o gênero. A apresentação será nas ruas do Bairro do Recife.

12 de abril
Pensamento Giratório – nesta edição, a discussão é protagonizada pela Outra Companhia de Teatro e pelo Grupo Experimental. Às 15h, no Teatro Capiba (Sesc Casa Amarela).

PETROLINA

24 de abril
Oficina com a diretora Denise Stutz (RJ) na cidade de Petrolina, dentro do projeto Aldeia Vale Dança. Às 9h.

25 de abril
“Finita” (Grupo Denise Stutz/RJ) – o espetáculo de dança traz reflexões sobre a qualidade de um movimento que pronuncia a dança e como construir a partir de uma brecha possível a presença e a ausência, entre o que ainda vive, mas já não existe mais. Às 19h30, no Teatro Dona Amélia.

26 de abril
Pensamento Giratório – artistas envolvidos na Aldeia farão a discussão no teatro do Sesc Petrolina, às 15h, com entrada gratuita.

“A beira de...” (Silvia Moura/CE) – na montagem, que aborda a insatisfação, o público é convidado a refletir através da interação. Curiosamente, os espectadores precisarão procurar um lugar para assistir o trabalho da melhor forma. Às 19h30, no Teatro Dona Amélia. Os ingressos custam R$ 2 (comerciário), R$ 5 (meia) e R$ 10 (inteira).

27 de abril
“Corpo Lixo Cidade” (Silvia Moura/CE) – uma performance da artista realizará intervenções no Centro da cidade, onde a artista interage com lixo e o ressignifica. Às 17h.

28 de abril
Oficina com Silvia Moura - interessados podem se inscrever no ponto de atendimento do Sesc. O valor custa R$ 5 (comerciário), R$ 10 (meia) e R$ 20 (inteira). Às 9h.
Pensamento Giratório – coma participação de Silvia Moura. Às 15h.

Veja também

Patrick Quinn, promotor do desafio do balde de gelo na cabeça, morre aos 37 anos
internet

Patrick Quinn, promotor do desafio do balde de gelo na cabeça, morre aos 37 anos

Pabllo Vittar divulga capa do seu disco, "111", na versão deluxe
Música

Pabllo Vittar divulga capa do seu disco, "111", na versão deluxe