Relação abusiva retratada com complexidade no livro 'É assim que acaba'

Escritora Colleen Hoover baseou a obra na convivência de seus pais

Livro de Colleen Hoover conta  história triste que envolve violência domésticaLivro de Colleen Hoover conta história triste que envolve violência doméstica - Foto: Divulgação

A cada 7,2 segundos uma mulher é vítima de violência física no Brasil. Os dados são do Instituto Maria da Penha, de 2017, que traz outros igualmente alarmantes: a cada 22,5 segundos, uma mulher é vítima de espancamento ou tentativa de estrangulamento; a cada 6,3 segundos, uma mulher é vítima de ameaça de violência. O relógio continua rodando e somando mais vítimas.

Nesse contexto, chega a ser impossível frisar a importância da chegada nacional de um livro como "É Assim Que Acaba", da autora Colleen Hoover, publicado pela Galera Record, que traz uma narrativa poderosa, complexa e dolorosa pela sua honestidade.

Na história, conhecemos Lily Bloom, uma mulher que acabou de perder o pai e tenta se recuperar de seu velório. Ao contrário do sentimento de luto que a maioria das pessoas tende a sentir ao perder um pai, Lily se sente aliviada.

Acontece que, durante toda a sua vida, ela testemunhou a relação de violência que existia entre seu pai e sua mãe. Testemunhou gritos, murros, tentativas de estupro, espancamentos. Por isso, Lily se promete uma coisa: nunca se deixará entrar numa relação abusiva, nunca se deixará chegar onde sua mãe chegou.

Leia também:
Literatura fantástica à brasileira em primeiro livro original lançado na CCXP
Livro 'Me chame pelo seu nome' traz narrativa tóxica e intensa
Livro 'No seu pescoço' reúne 12 contos sobre cultura e preconceito


A beleza (uma beleza triste) do livro é essa: Lily, mesmo que tenha tido uma vida de preparação para reconhecer comportamentos abusivos e ter plena certeza de não ser capaz de se ver como vítima de violência doméstica, começa a sofrer de tal violência. Os chamados “acidentes”, em que seu namorado perdeu a cabeça durante um momento de raiva, explodiu, mas, na verdade, não queria machucá-la, em que aconteceu tudo rápido demais e sem querer. Assim, Lily se vê empurrando seu limite mais a fundo, se convencendo que ele é uma pessoa boa, sabendo que talvez esteja indo no mesmo caminho que sua mãe.

"É Assim Que Acaba" é um livro carregado. De tristeza, culpa, solidão, desesperança. Assim como Lily, o leitor consegue perceber quantas nuances existem em uma relação na qual a violência está presente, o quanto é difícil deixar a pessoa amada, quebrar o ciclo da violência quando ele inclui a pessoa com quem você compartilha uma vida. Não há caracterização em preto e branco, e isso é muito importante para que o livro seja entendido — e sentido — por todos. Não é fácil julgar uma relação abusiva, tudo é muito mais profundo e complexo do que uma terceira pessoa consegue ver, e Colleen Hoover transmite isso através de seus personagens cheios de camadas.

A autora consegue passar essa dor com maestria, fazendo o leitor se apaixonar por uma relação para, logo depois, vê-la ruir. A frustração toma conta, o sentimento de que tudo poderia ser diferente, mas foi estragado. A história, baseada na realidade da própria Colleen com seus pais, é de apertar o coração. Principalmente quando percebe-se que, para além da literatura, da ficção, a violência doméstica ainda é a responsável pela morte de cinco mulheres por hora ao redor do globo (dados da ONG Action Aid, em 2016).

é assim que acaba

Serviço
"É assim que acaba"
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 368 páginas
Preço médio: R$39,90 (físico), R$ 27,90  (ebook)


 

Veja também

Marília Mendonça diz que já passou por muitos relacionamentos tóxicos
famosos

Marília Mendonça diz que já passou por muitos relacionamentos tóxicos

Porta dos Fundos tira do ar esquete que gerou polêmica
porta dos fundos

Porta dos Fundos tira do ar esquete que gerou polêmica