Teatro do Bonsucesso, em Olinda, é reaberto após 20 anos

Reinauguração, nesta terça-feira (30), será marcada por um recital de poesia

Imóvel passou por várias reformas, mas ainda falta a instalação da iluminação e do sistema de somImóvel passou por várias reformas, mas ainda falta a instalação da iluminação e do sistema de som - Foto: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco

Quem mora ou costuma frequentar Olinda sabe que a cidade padece com a falta de equipamentos culturais em funcionamento. Há anos são esperadas as reaberturas de espaços como o Cine Olinda e o Cine Duarte Coelho, que ajudariam a movimentar a vida cultural no município para além do período carnavalesco.

Mas a população olindense tem, ao menos, uma notícia boa para comemorar. Após mais de 20 anos fechado, o Teatro do Bonsucesso, no bairro do mesmo nome, teve sua reforma finalmente concluída e será reinaugurado na terça-feira (30), às 9h, com um recital de poesia com atores olindenses.

O imóvel passou por várias reformas nunca finalizadas nas duas últimas décadas. A atual gestão municipal levou quatro meses para concluir a requalificação, que custou R$ 60 mil. O recurso é oriundo do Fundo Nacional de Cultura, do Ministério da Cultura (MinC). De acordo com o secretário de cultura da cidade, o teatro será devolvido com 123 lugares e sua estrutura física totalmente restaurada.

Leia também:
Artistas se acorrentam ao Teatro do Parque pela reabertura
CineOlinda recebe vistoria técnica e exibe Aquarius
Cinema São Luiz está com as portas fechadas

As obras sanaram problemas com infiltrações, instalações elétricas, piso do palco, refrigeração, poltronas, telhado, portas e janelas. "Ainda falta instalarmos a iluminação cênica, que já foi adquirida. O sistema de som ainda será comprado, o que não impede que os artistas façam apresentações com equipamento alugado", explica.

No entanto, ainda não há programação definida para o espaço. "Logo depois do Carnaval, vamos sentar com a comunidade artística local e discutir como será a política de pautas do teatro", diz o secretário. "Quando o Teatro do Bonsucesso funcionava, existiam 43 companhias teatrais trabalhando no seu entorno. Hoje, não há mais nenhum. Portanto, reabrir esse lugar é reorganizar o movimento teatral de Olinda", reforça. O equipamento foi fundado na década de 1970, pela Associação de Rapazes e Moças do Amparo, de onde surgiu o Grupo Vivencial. Já nos anos 1980, foi sede da Associação de Teatro de Olinda (ATO).

Outros equipamentos
O secretário de Cultura promete reabrir mais um espaço entre o final de março e o começo de abril. Trata-se do Mercado Eufrásio Barbosa, no bairro do Varadouro. Em suas dependências está instalado o Teatro Fernando Santa Cruz, com capacidade para 109 espectadores. Outra reforma que pode finalmente sair do papel é a do Cine Olinda, localizado na Praça do Carmo. A Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) publicou, na última sexta-feira, o edital para contratação da empresa de engenharia que executará a reforma do cinema fechado há mais de 50 anos.

Teatro do Parque

Teatro do Parque - Crédito: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Nova etapa para Teatro do Parque
A Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) abriu um processo de tombamento do prédio onde fica o Teatro do Parque, no bairro da Boa Vista, área central do Recife. A medida foi publicada no Diário Oficial do Estado, no dia 22 de janeiro. O teatro está fechado desde 2010 para uma reforma que, até agora, não saiu do papel.

Em 2017, duas propostas de tombamento foram feitas à Secretaria Estadual de Cultura (Secult-PE), que converteu a demanda em um único processo. O deferimento foi concedido pelo secretário de Cultura, Marcelino Granja. Como justificativa, o fato de se tratar de um "imóvel centenário construído em estilo art-nouveau de relevante valor histórico e cultural". O edital de tombamento publicado no Diário Oficial também ressalta que o prédio onde fica o teatro é classificado como Imóvel Especial de Preservação (IEP) pelo Decreto Municipal 26.610/2012 e está inserido em uma Zona Especial de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural (ZEPHC).

Com a abertura do processo, o equipamento, que fica na rua do Hospício, passa a figurar na lista de imóveis submetidos ao regime de preservação de bens tombados até a efetiva inscrição da resolução de tombamento e de decreto correspondente no livro de tombo. Ou seja, mesmo antes da finalização do processo, o Teatro do Parque já está sob efeito das normas de proteção pelo poder público estadual, o que condiciona e limita qualquer intervenção em sua estrutura.

De acordo com a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, o processo está em fase de análise técnica, que engloba levantamento histórico e estrutural do imóvel. O parecer será submetido ao Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural, que tomará a decisão final. A gestora destaca que, caso o tombamento seja aprovado, as chances de reabertura do teatro aumentam. “O Parque terá a chance de participar de editais específicos para a preservação de bens tombados, obtendo recursos também do Iphan”, explica.

 

Veja também

Morre ator britânico Dave Prowse, que interpretou Darth Vader
Luto

Morre ator britânico Dave Prowse, que interpretou Darth Vader

Leda Nagle recebe alta após ser internada com Covid-19
Alta

Leda Nagle recebe alta após ser internada com Covid-19