Vendedor ambulante e empresário musical, Tonho da Macaxeira sonha viver do arrocha

Com o dinheiro que ganha vendendo quentinhas na rua, Antônio João dos Santos mantém a banda Baby Love, que já gravou três CDs

Entre uma quentinha e outra que entrega aos clientes, Tonho da Macaxeira aproveita para divulgar o trabalho da banda Baby Love, que ele mesmo empresariaEntre uma quentinha e outra que entrega aos clientes, Tonho da Macaxeira aproveita para divulgar o trabalho da banda Baby Love, que ele mesmo empresaria - Foto: Caio Danyalgil/Folha de Pernambuco

Antônio João dos Santos, de 46 anos, tem uma rotina como a de muitos outros trabalhadores brasileiros. Acorda cedo todos os dias, de segunda-feira a sábado, para garantir o sustento como vendedor ambulante. Das 9h30 às 17h30, arma sua carroça de comida de rua no bairro da Boa vista, no centro do Recife, onde é conhecido pelos amigos como Tonho da Macaxeira. Entre uma quentinha e outra que entrega aos clientes, o simpático comerciante aproveita para divulgar o trabalho da banda de arrocha Baby Love, que ele mesmo empresaria.

O amor pela música nasceu ainda na infância, em Nazaré da Mata, na Zona da Mata Norte, onde nasceu e viveu até os 19 anos. Cresceu ouvindo e admirando grandes ícones da música brega, como Amado Batista e Reginaldo Rossi, mas nunca cogitou seguir os mesmos passos dos ídolos. "Não tenho talento para cantar ou tocar instrumentos", confessa. A falta de aptidão artística, no entanto, não o manteve longe do meio musical. Se subir aos palcos não era uma opção, ele encontrou nos bastidores a sua vocação.



No meio artístico, Antônio é conhecido como Tony Santos. Nos anos 1990, começou a trabalhar na produção de eventos musicais. "Foi vendendo água mineral na rua do Hospício que eu conheci o cantor Rodrigo Otarola. Viajei o Nordeste todo divulgando a música dele", relembra o produtor, que também prestou serviços para nomes como José Ribeiro, Adelino Nascimento, Balthazar e o próprio Reginaldo Rossi. Ele se orgulha ao contar que foi o primeiro no Recife a divulgar o trabalho de Pablo do Arrocha, antes deste ficar famoso. Conseguir falar com o cantor baiano, no entanto, se tornou cada vez mais difícil. "Sabe como é, depois que o artista fica famoso ninguém chega mais perto. Quem assessora não deixa você nem encostar", lamenta.

Leia também:
Mestre de cerimônias da Alepe abraça a carreira musical no São João
Mestre do Pífano, Sebastião Biano, realiza show comemorativo neste final de semana


Depois de anos ajudando a alcançarem o sucesso, o ambulante resolveu investir tudo o que tinha no sonho de ter sua própria banda. A Baby Love nasceu em 2014, com nome sugerido por Rivan Monteiro, tecladista e produtor musical da banda de brega Ovelha Negra. O vocalista, Adriano Silva, foi apresentado por um amigo divulgador. "Ouvi o CD que ele me mostrou. Os arranjos não eram tão bons, mas a voz do rapaz tinha muito potencial, era comercial", explica. Acreditando no seu tino empresarial, Antônio resolveu apostar suas fichas no artista, que desde então já gravou três discos para a banda.



O repertório do grupo varia entre regravações de artistas sertanejos e canções inéditas de compositores pernambucanos, como "Chupão de Língua", "Imagina" e "Amor de Motel". O ritmo é o arrocha, gênero originado na Bahia e que atingiu alcance nacional através de Pablo. As letras falam, invariavelmente, sobre romance e traição. "É a sofrência, né? Quando você leva um chifre, vai para a mesa de bar chorar. Então, são as músicas que falam sobre isso que todo mundo curte", diz o empresário.

Sem dar nenhum retorno financeiro, a banda é mantida graças ao suor de seu empresário. É da renda adquirida com a venda de comida que Antônio financia todos os custos de seu projeto musical, como transporte dos músicos, gravação de CDs, material de divulgação e aluguel de estúdios para ensaios. "Com a carroça, eu faturo de R$ 3 mil a R$ 4 mil por mês, mas ainda pago dois funcionários. Não sou casado e não tenho filhos, então, o que sobre vai quase tudo para a banda", revela o produtor, que reserva o domingo, seu único dia de folga, para distribuir as músicas da Baby Love nas rádios comunitárias da periferia do Recife e de cidades do Interior. Perguntado sobre qual é o seu maior sonho, o ambulante não titubeia: "Quero que a minha banda estoure no Brasil todo. Trabalhar vendendo comida para mim é uma prisão. Meu sonho mesmo é viver de música".

Serviço

Banda Baby Love
Informações: (81) 99759-7518 (Tony Santos)

Veja também

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco
Folha de Pernambuco

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco

SP terá estátua de Tebas, o homem escravizado que comprou sua liberdade como arquiteto
Arte

SP terá estátua de Tebas, o homem escravizado que comprou sua liberdade como arquiteto