Acordo com caminhoneiros não vai levar a aumento de imposto, diz Marun

Perguntado se o governo errou a não prever o início do movimento ou não diagnosticar sua força durante as negociações, Marun diz: “Não admito que governo Temer errou”, e acrescentou: “Agimos em conformidade com a lei e com o Estado de Direito”

Carlos MarunCarlos Marun - Foto: Wikipedia

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse nesta sexta (25) que os subsídios concedidos pelo governo à Petrobras para controle dos preços do combustível não serão custeados por aumento de impostos. “Não vai ser por [aumento de] impostos”, garantiu. Segundo ele, R$ 5 bilhões do Orçamento da União serão destinados para este fim.

Para entrar em acordo com os caminhoneiros e encerrar a greve, o governo comprometeu-se a fixar os preços do diesel a cada 30 dias, levando em conta a redução imediata de 10% que também faz parte do acerto. A Petrobras seguirá com a política de reajuste de preços atual e o governo vai pagar à companhia a diferença. Mesmo em uma situação de ajuste fiscal, em entrevista à Globo News, Marun defendeu a medida. “A Petrobras é um patrimônio do Brasil”, afirmou.

Leia também:
"Não vamos encerrar o movimento tão cedo", diz presidente da Abcam
Receita Federal apreende gasolina na fronteira com Paraguai
PF investiga se há prática criminosa em greve de caminhoneiros

Apesar do acordo firmado ontem (24), o protesto dos caminhoneiros prosseguiu nesta sexta (25). Diante da situação, o presidente Michel Temer autorizou o uso das forças federais para retirar os caminhões das estradas.

Perguntado se o governo errou a não prever o início do movimento ou não diagnosticar sua força durante as negociações, Marun diz: “Não admito que governo Temer errou”, e acrescentou: “Agimos em conformidade com a lei e com o Estado de Direito”.

Veja também

Doze fornecedores do Carrefour anunciam aliança em defesa da diversidade racial
Beto Freitas

Doze fornecedores do Carrefour anunciam aliança em defesa da diversidade racial

Dólar sobe para R$ 5,43, com cenário externo
BOLSA DE VALORES

Dólar sobe para R$ 5,43, com cenário externo