Aeroporto do Recife terá área total ampliada

Um total de mil metros quadrados serão incorporados à área do aeroporto recifense

Aeroporto do RecifeAeroporto do Recife - Foto: Divulgação

Terminou sem sucesso a última tentativa da bancada federal de Pernambuco, na quarta-feira (13), com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, de modificar os critérios do modelo de concessão do leilão do Aeroporto do Recife. Liderada pelo senador Fernando Bezerra Coelho e pelo deputado federal Felipe Carreras, os representantes do Estado tentaram mostrar a fragilidade dos pontos do edital do leilão, que ocorre nesta sexta-feira (15).

No entanto, não houve recuo por parte do Governo Federal. Mas nem tudo foi ruim. É que no mesmo encontro o ministro garantiu que o terminal aéreo pernambucano deverá ser ampliado com a incorporação de um terreno da aeronáutica, cuja área é de 1 milhão de metros quadrados.

“O ministro garantiu que a empresa vencedora do leilão já irá ter esse terreno incluso na negociação. Isso vai possibilitar crescermos no lado oposto ao que já existe atualmente”, adiantou o deputado federal Felipe Carreras, que apesar de vibrar com a boa nova, voltou a criticar a falta de flexibilização nos termos do leilão de sexta-feira (15).

Leia também:
Concessão de 12 aeroportos será leiloada sexta-feira em São Paulo
Aeroporto Senador Nilo Coelho, em Petrolina, será privatizado

Segundo ele, a ausência da possibilidade de um gatilho para o aumento nos investimentos no terminal torna o equipamento limitado em detrimento aos principais concorrentes da região, sendo eles Salvador e Fortaleza, que possuem, em contrato, a possibilidade de aumento no valor investido caso cheguem a um determinado número de passageiros.

Desta forma, os baianos receberão R$ 2,8 bilhões e os cearenses, R$ 1,4 bilhão, durante os 30 anos de concessão. Enquanto isso, o Recife fica no patamar dos R$ 800 milhões, pelo mesmo período. “O Aeroporto do Recife não pode ser tratado dessa forma. O que pedimos foi que o ministro colocasse algum gatilho para que os investimentos fossem obrigatórios, pois caso contrário a empresa que vencer fará os investimentos previstos e nada mais. Isso não pode acontecer com o principal terminal da região. Infelizmente, afirmaram que não teremos uma segunda pista nem este gatilho”, afirmou Carreras.

Quando questionado sobre o porquê de os investimentos no Recife estarem tão abaixo dos de Salvador e Fortaleza, o ministro afirmou: “Os investimentos no Recife estão dentro da necessidade do aeroporto. O que vamos cobrar da empresa vencedora é que ela deve manter o nível ótimo da estrutura e não os investimentos. Se não precisar, a vencedora do leilão pode até mesmo investir menos do que os R$ 835 milhões”.

Veja também

Consumidor poderá tirar dúvidas sobre valor cobrado na conta de luz
Conta de luz

Consumidor poderá tirar dúvidas sobre valor cobrado na conta de luz

BNDES disponibiliza R$5 bi para micro, pequenas e médias empresas
Economia

BNDES disponibiliza R$5 bi para micro, pequenas e médias empresas