Alepe instaura frente em defesa da cana

Projeto do deputado Clovis Paiva (PP) vai discutir projetos de lei que favoreçam o crescimento do setor sucroalcooleiro

Primeira reunião da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Sucroalcooleiro na AlepePrimeira reunião da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Sucroalcooleiro na Alepe - Foto: Julya Caminha/Folha de Pernambuco

Atividade de grande peso para a economia de Pernambuco, a produção de cana-de-açúcar ganha mais um reforço no Estado com a instauração da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Sucroalcooleiro. Proposta pelo deputado estadual Clovis Paiva (PP), a frente foi criada ontem na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), no Recife, com o propósito de discutir ideias e sugestões de projetos de lei que que favoreçam o crescimento do setor. Por isso, teve a primeira reunião prestigiada por representantes desse segmento econômico, como o presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Pernambuco (Sindaçúcar-PE), Renato Cunha.

“Temos o intuito de enfrentar todos os problemas relacionados à cana-de-açúcar gerando mais emprego e oportunidades”, explicou o deputado Clovis Paiva, que vai coordenar a Frente em Defesa do Setor Sucroalcooleiro. O grupo também é composto pelos deputados Antônio Moraes (PP), Clodoaldo Magalhães (PSB), Henrique Queiroz Filho (PR), Antônio Fernando (PSC), Romero Sales (PTB) e Gustavo Gouveia (DEM). “É o início de um trabalho que pode trazer bons frutos no futuro”, reforçou Paiva.

Leia também
Produção de etanol cresce 35% no Estado
Venda direta de etanol é liberada em três estados

Atualmente, no Nordeste, a produção sucroalcooleira gera cerca de 230 mil empregos. Em Pernambuco, a perspectiva também é positiva. A produção de etanol aumentou quase 35% na safra 2018/2019 no Estado. Já o esmagamento cresceu 5,63%, chegando a 11,4 milhões de toneladas.

O deputado Henrique Queiroz Filho, em sua fala, aproveitou também para destacar o impacto social da manutenção e reativação das usinas de cana-de-açúcar no Estado. “Tratamos a cana não só no aspecto econômico, mas também como a ‘cana social’. Com mais usinas, mais pessoas estarão empregadas e mais famílias envolvidas, beneficiando também a segurança pública e diminuindo o êxodo rural”, afirmou.

Entre as demais pautas levantadas pela frente, estão o investimento em tecnologias para irrigação por gotejamento, que beneficia a longevidade da cana; melhorias na mecanização e nas estradas que levam às usinas; e também a geração de mais empregos no setor, com a manutenção do funcionamento das usinas e reativação das que estão paradas.

Na solenidade de instauração da frente, o presidente do Sindaçúcar-PE, Renato Cunha destacou a importância da parceria com os representantes do poder público. “Nós entendemos que é uma iniciativa construtiva e bastante oportuna para a longevidade e a manutenção dos empregos em Pernambuco. Uma iniciativa que poderá ampliar caminhos para o setor no Estado”, explicou.

Também estiveram presentes na ocasião outros representantes do setor, como o superintendente do Sindaçúcar-PE, Marcelo Guerra, e o vice-presidente da Associação dos Fornecedores de Cana em Pernambuco, Paulo Giovani.

Veja também

Governo quer dobrar participação do modo ferroviário em oito anos
Economia

Governo quer dobrar participação do modo ferroviário em oito anos

Setor de alimentação tem regras para reabrir
Coronavírus

Pernambuco divulga regras para reabertura do setor de alimentação