Após anunciar alta no diesel, Petrobras recua no mesmo dia

Em nota, a estatal disse que 'avaliou ao longo do dia, com o fechamento do mercado, que há margem para espaçar mais alguns dias o reajuste no diesel'

PetrobrasPetrobras - Foto: Agência Petrobras/Divulgação

Após anunciar reajuste do preço do diesel no início da tarde dessa quinta-feira (11), a Petrobras recuou à noite. O aumento médio seria de 5,7% a partir desta sexta-feira (12). Seria o primeiro reajuste após 20 dias sem alterações, apesar de alta nas cotações internacionais do produto durante o período.

Em nota, a estatal informou que, "em consonância com sua estratégia para os reajustes dos preços do diesel divulgada em 25 de março, revisitou sua posição de hedge [proteção] e avaliou ao longo do dia, com o fechamento do mercado, que há margem para espaçar mais alguns dias o reajuste no diesel".

O recuo da empresa já na noite dessa quinta gerou críticas no mercado. No fim de março, sob ameaça de nova paralisação dos caminhoneiros, o governo Jair Bolsonaro (PSL) pediu à estatal mudanças em sua política de preços para o diesel, que passou a respeitar prazos mínimos de 15 dias sem reajustes.

Leia também:
Petrobras aumenta preço do diesel em 5,7%
Preço do óleo diesel passará a ter reajustes quinzenais, diz Petrobras
Mudança no preço do diesel 'não resolve 100%', diz liderança dos caminhoneiros


Na nota, a empresa disse que "reafirma a manutenção do alinhamento com o Preço de Paridade Internacional (PPI)". A Petrobras afirmou também que não houve pedido do governo para que o preço fosse revisado.

Veja também

Ministério do Trabalho abre apuração após casos da Covid-19 em frigoríficos do Mato Grosso
Pandemia

Ministério do Trabalho abre apuração após casos da Covid-19 em frigoríficos do Mato Grosso

Inflação de 2,13% leva a menor aumento do teto de gastos em 2021
Economia

Inflação de 2,13% leva a menor aumento do teto de gastos em 2021