'BNDES não é babá de mau empresário', diz presidente do banco

Paulo Rabello diz que o banco não é especializado em "campeãs nacionais" -como eram conhecidas as companhias JBS, Oi e as empresas de Eike Batista

Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDESPaulo Rabello de Castro, presidente do BNDES - Foto: Reprodução

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) não é especializado em "campeãs nacionais" -como eram conhecidas as companhias JBS, Oi e as empresas de Eike Batista- e não é babá de mau empresário, afirmou, nesta terça-feira (21), o presidente do banco de fomento, Paulo Rabello de Castro.

Ele participou de seminário realizado pela Acrefi (associação de instituições de crédito, financiamento e investimento) em São Paulo. "O banco não deu suporte para nada de errado que campeã A ou B ou C fez, porque dinheiro não tem carimbo, e o banco não é babá de mau empresário ou empresário pouco ético", afirmou.

Leia também:
BNDES estuda criar 100 novos 'Portos Digitais' no País
JBS diz que avalia processar Paulo Rabello, do BNDES

Política de "campeãs nacionais" foi como ficou conhecida a iniciativa do banco e dos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff de conceder empréstimos para empresas de setores estratégicos para transformá-las em multinacionais. Entre as empresas que se beneficiaram estão JBS, Marfrig, Oi e Fibria.

"O banco foi acompanhando corretamente as inversões que foram feitas por duas ou três dessas empresas que escorregaram na ética em seu comportamento, mas elas entregaram o produto do ponto de vista da aplicação dos recursos ao banco", disse Rabello de Castro.

Ele também afirmou que, embora os desembolsos do banco tenham caído neste ano -20% até setembro-, o BNDES voltará a emprestar em 2018. A estimativa do presidente do banco de fomento é que os desembolsos cheguem a R$ 100 bilhões no próximo ano, o que representaria um crescimento de cerca de 30%.

Veja também

Dólar fecha em R$ 5,37 e tem maior queda em uma semana
BOLSA DE VALORES

Dólar fecha em R$ 5,37 e tem maior queda em uma semana

Governo celebra 20 anos de fundo que pode ser extinto por Guedes
fundos

Governo celebra 20 anos de fundo que pode ser extinto por Guedes