Brasil negocia criação de área de livre comércio com a China, diz Guedes

Guedes defendeu que a integração entre os dois países seja feita mesmo que o Brasil perca a atual posição superavitária no saldo comercial com os chineses

Ministro da Economia, Paulo GuedesMinistro da Economia, Paulo Guedes - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (13), que o governo negocia a criação de uma área de livre comércio entre Brasil e China. Guedes defendeu que a integração entre os dois países seja feita mesmo que o Brasil perca a atual posição superavitária no saldo comercial com os chineses.

"Estamos conversando com a China sobre a possibilidade de criarmos o free trade area também com a China, ao mesmo tempo que falamos em entrar na OCDE [Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, entidade que reúne países que atuam com economia de mercado]", disse o ministro em seminário do Novo Banco de Desenvolvimento do Brics (sigla para Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Leia também:
Pacote de Guedes deve liberar até R$ 7 bi para emendas parlamentares
Diminuição de carbono nas empresas ajuda no clima e gera economia
Pacote de Guedes é visto por especialistas como novo marco na economia brasileira


Guedes afirmou ter ouvido do governo chinês que não haveria problema se o Brasil vendesse ainda mais para o país asiático. O ministro ressaltou que eventual movimento contrário, em que os brasileiros reduzissem o saldo comercial, também seria positivo para o Brasil.

"Eu não me incomodo se, em uma situação de superávit [do Brasil hoje] com a China, nós nos equilibrarmos ali à frente, aumentando as exportações em 50% e as importações dobrando ou mesmo triplicando. O que nós queremos é mais integração ainda", afirmou.

Veja também

Celpe dá desconto para quem pagar contas atrasadas com cartão de crédito
Serviço

Celpe dá desconto para quem pagar contas atrasadas com cartão de crédito

Mega-Sena acumula e vai a R$ 40 milhões
Loteria

Mega-Sena acumula e vai a R$ 40 milhões