Carnaval é tempo de inovar nos negócios e faturar mais

O período é ideal para faturar mais por conta das oportunidades de negócios que surgem com a festividade

Liliane Barros implementou a venda de balões tematizados para ampliar o lucroLiliane Barros implementou a venda de balões tematizados para ampliar o lucro - Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Com muita gente nas ruas, seja nas históricas ladeiras de Olinda ou no Bairro do Recife, o Carnaval é período ideal para faturar mais por conta das oportunidades de negócios que surgem com a festividade. Por isso, a época serve de termômetro para iniciar a empresa com pé direito. No período, alguns empreendedores chegam a faturar 60% a mais com a alta demanda

Quem nunca ouviu a famosa frase que diz que o ano só começa após o Carnaval? No entanto, para grande parcela dos empreendedores, o ano já começou faz tempo, e esperar passar a Quarta-Feira de Cinzas para ganhar dinheiro pode ser custoso, do ponto de vista financeiro. É que no período carnavalesco, a chance para quem quer começar um negócio, aumentar seus lucros ou aproveitar a oportunidade para acrescentar algum produto ou serviço torna-se mais interessante. De acordo com uma pesquisa recente da Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC), o Carnaval deste ano deve trazer uma movimentação econômica em Pernambuco de R$ 457,8 milhões. E para garantir bons resultados, a dica é inovar.

“Aquele empresário que pretende faturar mais no Carnaval deve aproveitar o período para desenvolver novos produtos, técnicas e ser versátil para atender a perspectiva e alta demanda do folião. A personalização de produtos, por exemplo, é uma tendência de mercado que vai desde uma bebida, uma maquiagem, um penteado até um balão tematizado”, detalha o gerente da Unidade Sebrae RMR, Alexandre Alves.

Leia também: 
Dia do Empreendedorismo Feminino: do mil ao milhão
Empreendedorismo: confira dicas para iniciar um negócio promissor
O bê-a-bá a ser seguido por quem quer empreender


Para o especialista, o Carnaval favorece a geração de negócios. “Os foliões estão em clima de alegria e consomem mais. Por isso, esta época é propícia para incrementar o faturamento”, destaca Alves. “Em muitos tipos de negócios, caso os empreendedores tenham o olhar apurado no ramo em que já atuam, eles conseguem agregar novas atividades. Têm que aproveitar a oportunidade e assim, gerar emprego e renda”, complementa.

E quem já está usufruindo do período de folia para aumentar seus ganhos é a dona do Pense Festas, Liliane Barros. Ela aproveitou o espaço da sua já existente empresa de artigos para festas, que fica no bairro do Curado II, e implementou a venda de balões tematizados para ampliar o lucro. E o que começou como um teste, agora representa 70% do total das vendas da loja de Liliane. “No período de Carnaval as nossas vendas crescem bastante e esperamos, para este ano, um acréscimo de 35% no faturamento em comparação ao último Carnaval”, salienta Liliane.

De acordo com ela, uma procura natural pelo balão foi acontecendo de maneira sutil. “Meados de 2019, notei que surgiu uma ‘febre’ desses balões personalizados. Logo depois o bairro começou a demandar os balões e enxerguei nele uma oportunidade de trazer mais receita para meu negócio”, conta. Para ela, é preciso ser criativo e inovar. “A empresa precisa sempre trazer novidades. Com isso a gente se torna até espelho para concorrência”, brincou Liliane.

Para 2020, por conta das boas vendas e a boa expectativa com o período de Carnaval, Liliane revela que pretende ampliar seu negócio. “Vamos iniciar um delivery de balões personalizados. Com isso, esperamos um aumento de 60% nas vendas. A previsão é iniciar já no próximo mês”, ressalta.

Na avaliação do economista da Fecomércio-PE, Rafael Ramos, o setor de comércio consegue se destacar por conseguir escalar os produtos. “O comerciante tem maiores benefícios com a escala e consegue vender a preços menores” destaca Ramos. “Para quem gosta de empreender, o Carnaval traz boas perspectivas de vendas. Em relação à economia, a expectativa é melhor que a dos últimos três anos. Com o maior potencial de compra das famílias, acesso a crédito, a tendência é que consumam em maior parcela”, diz. Ele acrescenta ainda que setores como alimentação e bebidas são os mais promissores.

Pensando nisso, os sócios da ‘Tu Por Aí’, Paulo Leite e Mariana Meira, investiram em um novo projeto para o Carnaval. Eles criaram drinques de chá gelado com frutas, com três opções de sabores para refrescar e revigorar o corpo depois do sobe e desce das ladeiras de Olinda. O produto é vendido em um carrinho de sorvete personalizado, com a cara da bebida. “A nossa bebida nasceu no sábado de Zé Pereira, em 2017”, Conta Mariana. Para este ano, eles investiram cerca de 50% a mais e esperam duplicar as vendas. Além disso, mais três pessoas foram contratadas para dar conta da demanda. “Já conseguimos vender 60 litros do ‘Tu’ em um só dia. Era para durar os quatro dias de Carnaval, mas a aceitação foi boa e vendemos tudo no primeiro dia”, destaca.

Antes do Carnaval, tem Carnaval
Um outro período que também movimenta bastante a economia, além dos quatro dias de carnaval, são as prévias, que em grande maioria iniciam desde janeiro. Elas conseguem ser uma boa época para quem quer fornecer um produto ou serviço, afinal, muitas pessoas vão para camarotes e festas fechadas. Para Alexandre, hoje o consumidor está sempre em busca de algo diferente. “O cliente quer uma novidade. Quem consegue fornecer uma experiência diferente ao consumidor e consegue dar sua identidade, sai na frente”, explica.

O que era para ser só um hobby, se tornou um negócio sério para Mayara Carneiro. Ela chegou a trancar a graduação no curso de serviço social para se dedicar a um estúdio de maquiagem, no bairro de Olinda. “Comecei no Carnaval do ano passado. Percebi que tivemos um aumento de cerca de 60% em comparação à mesma época do ano anterior. No entanto, é durante o período das prévias que temos um movimento maior”, detalha Mayara.

De acordo com ela, a maquiagem personalizada tem crescido bastante. “Como hoje em dia tudo está voltado às redes sociais, muita gente vai para os blocos para fotografar e publicar”, conta ainda dizendo que com a maquiagem personalizada, as pessoas já podem escolher algo que combine com o abadá, para já sair pronta para brincar durante a festividade. De acordo com Mayara, para quem quer abrir um estúdio, o investimento inicial parte dos R$ 10 mil entre compra de produtos, mobílias e reforma do ambiente.

“No período de Carnaval os serviços ganham destaque, como a maquiagem, penteados e personalização de produtos”, explica o economista da Rafael Ramos ainda dizendo que esse tipo de negócio consegue trazer uma série de oportunidades.

Quem também aposta nesse segmento, dando enfoque no período das prévias, é o salão Hannu Espaço de Beleza, que fica no bairro de Casa Forte. Com uma expectativa de crescimento e faturamento, o espaço já está em clima de Carnaval. “No mês de janeiro tem bastante prévias na cidade do Recife, em toda Região Metropolitana. Com essas festividades, a procura aumenta. Especificamente para serviços como penteados, maquiagens, unhas”, detalha o sócio da Hannu, Marcelo Prado. Para o período, ele estima um aumento de 20% no número de clientes e no faturamento do salão, em comparação ao Carnaval do último ano.

“É preciso se adaptar ao mercado. Nesse período de prévias carnavalescas, os penteados pedem leveza, fitas coloridas e adereços que conseguem deixar o cabelo intacto do início ao fim da festa”, acrescenta. Durante a época de Carnaval, que já começa com as prévias, o espaço estende o horário, ficando aberto cerca de duas horas a mais para conseguir dar conta da procura, que culminou na contratação de mais dois profissionais no fim do ano passado para suprir a demanda.

Veja também

Fala de fundadora do Nubank sobre negros mostra incompreensão, dizem especialistas
economia

Fala de fundadora do Nubank sobre negros mostra incompreensão, dizem especialistas

STF inicia julgamento sobre ICMS de gás importado da Bolívia
economia

STF inicia julgamento sobre ICMS de gás importado da Bolívia