Com paralisação de caminhoneiros, inflação de junho é a maior em mais de dois anos

Principais altas foram do leite longa vida e do frango inteiro

Paralisação dos caminhoneiros na Rodovia Presidente Dutra, no Rio de Janeiro, na sexta-feira (25)Paralisação dos caminhoneiros na Rodovia Presidente Dutra, no Rio de Janeiro, na sexta-feira (25) - Foto: Tânia Rego / Agência Brasil

A inflação fechou junho em 1,26%, bem acima da taxa de 0,4% registrada em maio, informou o IBGE nesta sexta-feira (6). O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o maior desde janeiro de 2016, quando foi registrada alta de 1,27%, e o maior para um mês de junho desde 1995 (2,26%).

É também a primeira vez desde janeiro de 2016, quando registrou 1,27%, que o índice fica acima de 1%. Com índice de 2,03%, o grupo de alimentação e bebidas foi o que mais influenciou o resultado. As principais altas foram do leite longa vida (de 2,65% em maio para 15,63% em junho) e do frango inteiro (de -0,99% em maio para 8,02% em junho).

Leia também:
Mercado financeiro aumenta estimativa de inflação para 4,03%
Conta de luz mais cara deve elevar inflação em 0,5 ponto


Segundo o IBGE, a alta em junho foi reflexo da paralisação dos caminhoneiros ocorrida no final de maio. Dos nove grupos investigados pela pesquisa, apenas vestuário, com índice de -0,16%, obteve deflação em junho.

Veja também

Governo prepara MP para pagar 100 milhões de doses da vacina de Oxford
Coronavírus

Brasil deve pagar 100 milhões de doses da vacina de Oxford

Lucro do Itaú cai pela metade no 2º tri com novo aumento de reserva contra calote
bancos

Lucro do Itaú cai pela metade no 2º tri com novo aumento de reserva contra calote