Empresas têm até o fim do mês para recolher diferença no Imposto de Renda Retido na Fonte

A empresa que até o dia 30 não regularizar a situação estará sujeita à multa de ofício de 75% a 225% do imposto devido, além de acréscimo de juros de mora

[1250] Receita Federal[1250] Receita Federal - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Empresas que tenham descontado o Imposto de Renda de seus funcionários mas não repassaram integralmente os valores para a Receita Federal do Brasil têm até o fim deste mês para regularizar a situação junto ao Fisco. De acordo com o órgão, através da operação “Fonte não Pagadora” foi identificado que em todo o Brasil mais de 25 mil empresas que entregaram a Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf) não recolheram o imposto retido à RFB. O total sonegado soma mais de R$ 821 milhões. Em Pernambuco, 577 estabelecimentos representam um pouco mais de R$ 16 milhões em sonegação. Os valores em aberto se referem ao ano de 2015 e 2016.

De acordo com informações da Receita, essas inconsistências são verificadas por intermédio do cruzamento de dados e informações presentes nas declarações dos contribuintes, como a Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF), a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) e também da base de pagamentos dos Documentos de Arrecadação de Receitas Federais (DARFs). “A Receita Federal acredita que a maioria dos casos são oriundos de erros ou descontroles dos próprios contribuintes, ou seja, não há má-fé. Por isso, está concedendo um prazo para que os contribuintes realizem a autorregularização”, explica o chefe da Divisão de Fiscalização da Receita Federal em Pernambuco, Felippe Aquino de Moura.

Leia também:
Receita Federal envia cartas a cerca de 330 mil contribuintes
Receita Federal alerta para golpe de doação a paróquia


Para acertar as contas e efetuar o recolhimento das diferenças de valores do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) não é necessário comparecer à sede da Receita. Uma vez que o contribuinte foi notificado através do endereço cadastral constante do sistema de Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ, basta encaminhar retificação da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais e efetuar o recolhimento das diferenças de valores com os devidos acréscimos legais.

“A autorregularização é simples. Basta o contribuinte entregar a declaração retificadora disponível no e-CAC da Receita Federal”, explica o auditor fiscal.

A empresa que até o dia 30 não regularizar a situação estará sujeita à multa de ofício de 75% a 225% do imposto devido, além de acréscimo de juros de mora. Caso comprovada a apropriação indébita, uma representação junto ao Ministério Público Federal para fins penais será feita.

Veja também

Uruguai assume presidência do Mercosul em plena pandemia
Mercosul

Uruguai assume presidência do Mercosul em plena pandemia

Produção industrial avança 7% após tombo na pandemia
Indústria

Produção industrial avança 7% após tombo na pandemia