Funcionários dos Correios decidem manter greve

Decisão foi tomada em assembleia nesta segunda-feira, no Centro do Recife

Assembleia dos funcionários dos CorreiosAssembleia dos funcionários dos Correios - Foto: Gustavo Glória / Folha de Pernambuco

Os funcionários dos Correios em Pernambuco permanecem em greve. A decisão pela continuidade foi tomada em assembleia no Centro do Recife na noite desta segunda-feira (12), dia de início da paralisação.

A greve é motivada pelas mudanças no plano de saúde dos trabalhadores, que foi julgado pela Seção de Dissídios Coletivos (SDC) do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e deu apoio à estatal.

Leia também:
Greve dos Correios: veja como evitar problemas com as contas


A alteração definida pela gestão da estatal diz que os trabalhadores vão arcar com 30% do plano em forma de mensalidade, de acordo com os critérios de faixa salarial e idade, e cobrança dos beneficiários. Atualmente os custos com o plano de saúde são de 93% para a estatal, enquanto o restante é custeado pelos funcionários, para cobertura do trabalhador e de seus dependentes. A assistência bancada pela empresa supera os R$ 12 mil por funcionário e custa R$ 1,8 bilhão por ano aos cofres, correspondendo a 10% do faturamento.

Nas regras atuais, o plano abrange, além do funcionário, cônjuge, filhos, pais e mães, sem o pagamento da mensalidade para ter direito à cobertura. Uma proposta apresentada no ano passado pelo TST previa a criação de uma cobrança mensal de 5,21% a 7,82% da remuneração bruta, a depender do salário ou aposentadoria. A proposta do Tribunal pretende elevar a coparticipação para de 15% a 30%.

Veja também

Beneficiário do Bolsa Família pode contestar auxílio até 30 de novembro
bolsa família

Beneficiário do Bolsa Família pode contestar auxílio até 30 de novembro

Ações do Carrefour caem mais de 5% após assassinato de homem negro
Beto Freitas

Ações do Carrefour caem mais de 5% após assassinato de homem negro