Governo prevê retomada gradual das atividades ao longo de 11 semanas

Plano de retorno das atividades econômicas prevê horários diferenciados de trabalho para evitar aglomerações

Operação para cumprimento do decreto que impôs quarentena rígida em PernambucoOperação para cumprimento do decreto que impôs quarentena rígida em Pernambuco - Foto: Andrea Rego Barros / PCR

A pandemia do novo coronavírus paralisou atividades econômicas em Pernambuco e em todo o Brasil. Essa medida de suspensão se fez necessária para conter ainda mais o avanço do contágio da doença. Em paralelo, foi necessário também construir um plano para o retorno. Um grupo de técnicos do Governo de Pernambuco, com o apoio de uma consultoria externa, está se dedicando a avaliar toda essa situação desde os últimos dois meses. Através de secretarias ligadas à economia, o governo montou um cronograma que prevê a retomada gradativa e planejada das atividades econômicas no período de 11 semanas. Esse retorno está atrelado aos dados de evolução da pandemia em Pernambuco.

Atualmente, esse cronograma está no gabinete do governador Paulo Câmara para ser analisado. "Aguardamos que os dados da saúde para conter o estágio de contaminação seja melhor para podermos anunciar a divulgação da retomada no fim da quarentena, que está programada para domingo", disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, em coletiva de imprensa virtual, nesta quinta-feira (28).

Leia também:

Pernambuco anuncia plano de reabertura das atividades econômicas
Pernambuco registra 794 novos casos da Covid-19 e 98 mortes nas últimas 24h

Pelo planejamento, está previsto a cada setor produtivo um plano de trabalho em horários diferenciados com o objetivo de reduzir o número de trabalhadores nos horários de pico do transporte público da Região Metropolitana do Recife (RMR). Cada atividade econômica também terá um protocolo de funcionamento específico com três eixos: regras de distanciamento social; de higiene, de comunicação e monitoramento. "Os técnicos avaliaram cada atividade econômica, sua essencialidade, os cuidados com a saúde e a relevância na geração de empregos", contou Schwambach.

Com essa suspensão das atividades econômicas, Pernambuco deixou de arrecadar muito do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que representa 74% de toda receita corrente líquida do Estado. A estimativa anunciada pela secretaria da Fazenda de Pernambuco é que o Estado tenha queda de R$ 3,7 bilhões na arrecadação do ano. "Em março deixamos de arrecadar R$ 90 milhões, que foi naquele início de pandemia. Em abril, com a pandemia crescente, foram R$ 246 milhões a menos. Em maio, a previsão é de arrecadar entre R$ 545 milhões e R$ 550 milhões a menos da principal receita de Pernambuco", explicou o secretário da Fazenda, Décio Padilha.

A expectativa é que junho e julho ainda sejam de queda. "O efeito vai até o final do ano, ou seja, até lá a economia estará retraída", disse Padilha, ao informar que Pernambuco teve um gasto de R$ 950 milhões que não estava previsto no orçamento, para o combate à pandemia.

Ainda de acordo com Padilha, o pacote de socorro financeiro do Governo Federal anunciado nesta quinta-feira (28) é insuficiente. "O cenário é muito adverso. Temos um plano para enfrentar, mas precisamos de ajuda federal porque o déficit de caixa do governo no Estado já é de R$ 2 bilhões", informou o secretário.

Petrolina

A cidade de Petrolina, no Sertão, vai iniciar a reabertura gradual das atividades econômicas. Após entendimento com o governador Paulo Câmara, o prefeito Miguel Coelho vai anunciar as etapas de liberação do comércio e diversos outros segmentos econômicos locais, nesta sexta-feira (29), às 17h.

O plano da prefeitura já estava pronto, mas a liberação das atividades, no entanto, dependiam de autorização do Governo do Estado, que decretou a restrição do comércio e outros setores. A autorização veio nesta quinta.

A autonomia do município para decidir a liberação de atividades econômicas vinha sendo defendida nas últimas semanas pelo prefeito. O gestor salienta que esse processo só será possível porque Petrolina tem um quadro de contaminação da Covid-19 muito diferente de cidades como o Recife, Olinda entre outras da região metropolitana, permitindo assim a retomada gradual e com medidas de segurança sanitária. Até esta quinta-feira (28), o site da prefeitura de Petrolina registrava 228 casos confirmados e sete mortes pelo novo coronavírus

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

Caminhões terão que fazer cadastramento prévio em Suape a partir do dia 20
Porto de Suape

Caminhões terão que fazer cadastramento prévio em Suape a partir do dia 20

Confira os protocolos para a reabertura das academias de ginástica
Coronavírus

Confira os protocolos para a reabertura das academias de ginástica na próxima segunda