Governo quer dar previsibilidade sobre preço de combustíveis, diz Eliseu Padilha

Eliseu Padilha evitou responder a questionamentos sobre quais alternativas o governo busca para conter a alta dos preços

Eliseu PadilhaEliseu Padilha - Foto: AFP

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou nesta segunda-feira (21) que o governo busca soluções para dar previsibilidade sobre o preço de combustíveis.
"O presidente da República, ao convocar a reunião, mostrou-se preocupado com o aumento constante dos combustíveis e ele gostaria de ver isso resolvido de forma mais palatável por parte dos cidadãos, dos caminhoneiros e dos usuários do sistema de abastecimento dos combustíveis", disse.

Padilha, contudo, evitou responder a questionamentos sobre quais alternativas o governo busca para conter a alta dos preços. Ele não quis comentar a possibilidade de alteração na cobrança de impostos, como sugeriu na última sexta-feira (18) o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco. Ele também não mencionou alteração na política de preços da estatal.

O ministro da Casa Civil disse apenas que a elevação é resultado de uma política internacional de preços que a Petrobras adotou. Ele justificou a alta do dólar e do barril de petróleo para as oscilações e disse que o governo já agendou uma reunião para terça (22) com dirigentes da petroleira.

Leia também
Combustível sobe pela quarta vez só esta semana
Temer reúne ministros para discutir alta dos combustíveis


"Nós vamos tentar agora é ver se encontramos um ponto em que possa ter um pouco mais de controle nesse ponto [preços] para que os maiores interessados -cidadãos e os transportadores- possam ter mais previsibilidade", disse minutos antes de participar de uma reunião comandada pelo presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto.

A reação de caminhoneiros, que organizam paralisações em diversos estados do país, levou o governo a marcar uma reunião para discutir o tema no início da noite desta segunda.

Na sexta, Moreira Franco disse que o governo queria discutir a política de preços dos combustíveis no país, diante da escalada recente provocada pela alta do preço do petróleo no mercado internacional. A fala é contraditória ao que foi dito pelo ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, em entrevista à TV Globo, descartando a alteração na cobrança de impostos sobre os combustíveis.

Na semana passada, a Petrobras havia anunciado que subiria novamente os valores: 0,80% o preço do diesel e 1,34% o da gasolina nas refinarias a partir de sábado (19). Participaram do encontro Temer, Moreira, Padilha, Guardia, Esteves Colnago (Planejamento), e o secretário da Receita, Jorge Rachid. Uma reunião prévia, na noite de domingo (20) já foi realizada no Palácio do Jaburu para tratar do tema.

A agenda desta segunda foi marcada depois de os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), também se manifestaram sobre o assunto. Eles anunciaram uma nota conjunta nesta segunda dizendo que as duas casas devem formar uma comissão para debater o preço dos combustíveis. "O preço dos combustíveis, no nível em que se encontra, impacta negativamente o dia a dia dos brasileiros", afirmaram.

Veja também

Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 33 milhões
Loteria

Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 33 milhões

Consumidor poderá tirar dúvidas sobre valor cobrado na conta de luz
Conta de luz

Consumidor poderá tirar dúvidas sobre valor cobrado na conta de luz