Intenção de consumo das famílias recua 1,8%

Índice atingiu a marca de 85,1 pontos numa escala que vai de zero a 200 pontos

Índice de Confiança do Comércio subiu 3,8 pontos. Alta atinge empresários de 11 dos 13 segmentos pesquisadosÍndice de Confiança do Comércio subiu 3,8 pontos. Alta atinge empresários de 11 dos 13 segmentos pesquisados - Foto: Julya Caminha / Folha de Pernambuco

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), medida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), recuou 1,8% de junho para julho e atingiu 85,1 pontos em uma escala de zero a 200 pontos. De acordo com a CNC, os consumidores estão insatisfeitos em relação ao nível de consumo há 42 meses e não há grandes perspectivas se a economia não voltar a crescer de forma sustentada.

Os sete componentes do índice recuaram de junho para julho, com destaque para as pioras na perspectiva de consumo (-3,9%), momento para a compra de bens duráveis (-3,9%) e perspectiva profissional (-2,3%).

“Os consumidores ficaram mais cautelosos quando se depararam com a conjuntura desfavorável ainda reflexo da paralisação dos caminhoneiros e a desorganização da produção”, explicou o economista da CNC Antonio Everton.

Leia também:
Inadimplência atinge 63,6 milhões de consumidores no semestre
Auditores defendem carga tributária maior sobre a renda do que sobre o consumo


Na comparação com junho de 2017, no entanto, a Intenção de Consumo das Famílias avançou 10,2%. Os sete componentes tiveram alta, com destaque para o nível de consumo atual (17%) e a perspectiva de consumo (16%).

Veja também

Justiça suspende pagamento do IPVA 2021 para pessoas com deficiência em SP
São Paulo

Justiça suspende pagamento do IPVA 2021 para pessoas com deficiência em SP

Celpe abre nova loja de atendimento para Jaboatão dos Guararapes e Zona Sul do Recife
Atendimento

Celpe abre nova loja de atendimento para Jaboatão dos Guararapes e Zona Sul do Recife