Otimista, setor hoteleiro espera Carnaval melhor que o de 2019

Na Região Nordeste os hotéis estão com 75% da capacidade ocupada

Em Recife (PE), 95% das reservas já foram confirmadas, indicando uma maior movimentação. Em Recife (PE), 95% das reservas já foram confirmadas, indicando uma maior movimentação.  - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

A valorização do dólar frente ao real deve favorecer o turismo nacional durante o Carnaval, atraindo mais estrangeiros e estimulando os brasileiros a viajarem pelo país. Setores como o hoteleiro apostam que, este ano, a taxa de ocupação de pousadas e hotéis de alguns dos principais destinos turísticos brasileiros será superior à registrada em 2019. No Recife (PE), por exemplo, 95% das reservas já foram confirmadas

Levantamento preliminar da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih Nacional) indica que, em várias capitais, a quantidade de reservas de hospedagem para a festa de Momo já supera a do mesmo período do ano passado. Embora não abranja todo o país, o trabalho divulgado pela associação contempla alguns dos principais destinos turísticos nacionais.

No nordeste, os hotéis de Maceió (AL), Fortaleza (CE) e João Pessoa (PB) já estão com 75% da capacidade ocupada, mesmo índice registrado em 2019 durante o feriado. A expectativa, contudo, é que, até a próxima sexta-feira (14), esta taxa aumente com a chegada dos viajantes de última hora e supere a do ano passado. No Recife (PE), 95% das reservas já foram confirmadas, indicando uma maior movimentação. Em Natal (RN), a estimativa é alugar 90% do total de leitos disponíveis, contra os 88% alcançados em 2019. Já em Salvador, principal destino turístico da região, a lotação deve ser total.

Ainda de acordo com a Abih Nacional, a ocupação dos hotéis do Rio de Janeiro (RJ) também deve superar o índice registrado no ano passado. Setenta e quatro por cento das reservas já foram confirmadas, o que sugere uma ocupação de, no mínimo, 90% da capacidade hoteleira. Em 2019, a taxa de ocupação na capital fluminense foi de 74%. Também na Região Sudeste, Belo Horizonte (MG) deve atingir uma taxa de ocupação da ordem dos 80%, enquanto na capital paulista, onde o carnaval de rua vem se consolidando como uma atração popular, a taxa deve ficar em 60%.

Região Centro-Oeste

Na Região Centro-Oeste, Brasília deve atingir 32% da ocupação durante o feriado. No ano em que completa 60 anos, a capital que só há alguns anos começou a atrair carnavalescos de outras cidades conta com 180 blocos de rua cadastrados para desfilar. A expectativa da secretaria distrital de Cultura e Economia Criativa é que a folia atraia, entre turistas e moradores do Distrito Federal, 1,2 milhão de pessoas, gere cerca de 20 mil empregos e movimente em torno de R$ 240 milhões.

Ainda na Região Centro-Oeste, em Mato Grosso, a procura por reservas também sugere um aumento em comparação ao ano passado. Já em Mato Grosso do Sul, o maior filão turístico concentra-se distante da capital, Campo Grande. Consultados pela Abih Nacional, empresários do ramo calcularam uma ocupação de cerca de 95% no Pantanal sul-mato-grossense e de 75% em Corumbá – o que, em ambos os casos, é um resultado melhor que o registrado no mesmo período de 2019.

No Sul do país, Florianópolis estima uma ocupação de cerca de 75%, enquanto no Paraná, a taxa de ocupação em Foz do Iguaçu e nos pontos mais visitados do litoral paranaense podem chegar a 85%. Na capital, Curitiba, 54% dos leitos disponíveis deverão ser ocupados, ajudando a movimentar a economia local. Já em Porto Alegre, o maior movimento deve ser registrado na região das Hortências, que inclui Gramado e Canela. Otimistas, o setor hoteleiro espera operar com lotação máxima durante o Carnaval.

Por fim, na região Norte, a associação destacou a expectativa dos hoteleiros de Belém, que prevem 90% de ocupação.

O otimismo do setor hoteleiro encontra amparo no resultado de uma pesquisa que a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou nessa segunda-feira (3). De acordo com a entidade, o conjunto das atividades turísticas relacionadas ao carnaval deverão movimentar cerca de R$ 8 bilhões este ano. Comparada a 2019, a cifra representa um aumento real de apenas 1%. Mesmo assim, é o maior volume de receitas desde 2015. O que, segundo a confederação, se deve à gradual, ainda que lenta, recuperação da atividade econômica.

Veja também

Etanol vendido pelas usinas pode aumentar concorrência, diz Bolsonaro
Etanol

Etanol vendido pelas usinas pode aumentar concorrência, diz Bolsonaro

Governo vai lançar programa para regularizar escritura de moradias
Moradia

Governo lançará programa para regularizar escritura de moradias