PIB do Brasil cresce 0,4% no 2º trimestre, diz IBGE

Os dados do IBGE também mostram que a economia avançou 1% no período abril/março/junho em relação ao mesmo trimestre do ano anterior

PIBPIB - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O PIB (Produto Interno Bruto) avançou 0,4% no segundo trimestre de 2019 em relação aos três meses imediatamente anteriores. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados do IBGE também mostram que a economia avançou 1% no período abril/março/junho em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. O acumulado dos últimos quatro trimestres mostra crescimento 1%.

O PIB é uma medida da produção de bens e serviços em um país em um determinado período e sua retração é utilizada como sinônimo de encolhimento da economia. Analistas de mercado ouvidos pela agência Bloomberg projetavam um avanço de 0,2% no trimestre na relação com os três meses anteriores, e crescimento de 0,8% na relação com o mesmo período de 2018.

Leia também:
Bolsa Família reduziu 25% da taxa de extrema pobreza, aponta Ipea
Itaú Unibanco projeta PIB positivo no 2º trimestre, mas não descarta queda no 3º
Após ligeira melhora, expectativa sobre o PIB volta a sofrer queda

O país teve sua última recessão em 2015 e 2016, quando foram registrados oito trimestres consecutivos de queda do PIB, uma retração acumulada de quase 8%. O PIB cresceu 1,1% tanto em 2017 como em 2018, período em que foram registrados sete trimestres de crescimento modesto e um de estabilidade.

Para 2019, as projeções do mercado até a semana passada eram de avanço em torno de 0,8%, resultado mais fraco que o dos anos anteriores. Para 2020, a estimativa era uma alta de 2,1%, resultado condicionado à recuperação dos investimentos privados no país. O resultado ainda estará aquém da média de 3% registrada de 1996 a 2014.

Veja também

Brasil retoma da produção de urânio na Bahia
Urânio

Brasil retoma da produção de urânio na Bahia

Facebook vai pagar por notícias no Reino Unido
Negócios

Facebook vai pagar por notícias no Reino Unido