Presidente da Petrobras nega intervenção e diz que governo prepara medidas para caminhoneiros

Ele afirmou que a empresa vai decidir quando o diesel será reajustado e a sua política de preços não têm relação com as políticas de governo

Roberto Castello Branco, presidente da PetrobrasRoberto Castello Branco, presidente da Petrobras - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, negou que tenha havido uma intervenção do governo na empresa e disse que o governo prepara medidas para os caminhoneiros, que não têm relação com a política de preços da Petrobras. "Uma coisa é o governo, outra é a Petrobras", afirmou, após reunião no Palácio do Planalto. Ele afirmou que a empresa vai decidir quando o diesel será reajustado e a sua política de preços não têm relação com as políticas de governo.

"Vamos decidir quando vai ser reajustado ou não. É uma decisão empresarial, diferente da decisão do governo, de políticas públicas", afirmou. Segundo Castello Branco, isso significa que a empresa é livre para fixar o preço do diesel. O executivo afirmou que o Bolsonaro não ordenou o congelamento do diesel. "A decisão foi tomada pela diretoria da Petrobras", disse.

Leia também:
Petrobras corta patrocínio de festivais de cinema, música e teatro
Ao STF, Dodge defende tabela de frete para caminhoneiros
Eu não sei nem do que vocês estão falando, diz Guedes sobre intervenção da Petrobras


"Ninguém ordenou que a Petrobras não reajustasse." Castello Branco disse que o governo prepara medidas para atender os caminhoneiros, que devem ser anunciadas nesta terça-feira (16).

Ele negou que o governo vá reeditar a subvenção do diesel, como no ano passado.
"Não ouvi falar disso, até porque a Petrobras é livre [para fixar seus preços]", afirmou.
A expectativa é que o Palácio do Planalto dê informações sobre a política que será adotada para atender os caminhoneiros.

Veja também

Consumidor poderá tirar dúvidas sobre valor cobrado na conta de luz
Conta de luz

Consumidor poderá tirar dúvidas sobre valor cobrado na conta de luz

BNDES disponibiliza R$5 bi para micro, pequenas e médias empresas
Economia

BNDES disponibiliza R$5 bi para micro, pequenas e médias empresas