Programa social movimenta economia no Recife

Programa visa gerar 2.700 vagas de emprego e mais de R$3 milhões na economia da Cidade até dezembro deste ano

Programa Chegando JuntoPrograma Chegando Junto - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Com o objetivo de movimentar a economia e ajudar a população que reside em áreas mais atingidas pela crise econômica, a Prefeitura do Recife lançou, na manhã desta segunda-feira (29), as Frentes de Trabalho Miguel Arraes - ação que integra o programa Chegando Junto. O lançamento foi sediado na Escola Municipal Antônio Farias Filho, localizada no bairro de San Martin, na Zona Oeste do Recife.

Durante o evento, Geraldo Júlio (PSB) salientou a importância do programa. “É uma forma da Prefeitura chegar mais perto da população. Uma ação mais eficaz. Além de movimentar a economia local, a gente cumpre o nosso papel social. Tudo isso em uma ação conjunta da Prefeitura com as secretarias de saúde e educação da Cidade”, salientou.

O programa beneficia as populações de baixa renda do Recife. Uma das beneficiárias é a dona de casa Gisele Andreza, que se sente bastante agraciada. “Vejo essa ação como algo muito importante. Algo que eu já fazia pelos meus filhos, de graça, vou poder continuar fazendo e recebendo por isso. Essa ação mostra o quanto o Prefeito está preocupado e sempre atuante na nossa comunidade”, destacou. 

Leia também:
Indicador de emprego registrou crescimento em junho, diz FGV
Medo do desemprego aumenta e satisfação com a vida diminui, diz CNI
MPT lança plataforma com informações sobre trabalho infantil

A extensão do programa visa gerar 2.700 vagas de emprego e mais de R$3 milhões na economia da Cidade até dezembro deste ano. As vagas estarão disponíveis nas 311 unidades de ensino municipais e 100 unidades de saúde do Recife.

Veja também

Dólar tem maior queda diária em quase um mês e fecha abaixo de R$ 5,40
BOLSA DE VALORES

Dólar tem maior queda diária em quase um mês e fecha abaixo de R$ 5,40

CGU estima gasto de R$ 1 bi com auxílio emergencial irregular para 680 mil servidores
auxílio emergencial

CGU estima gasto de R$ 1 bi com auxílio emergencial irregular para 680 mil servidores