Sebrae vai contratar aposentados para atuar como consultores de crédito

Se aprovados, os candidatos poderão assinar contrato com o Sebrae com duração até dezembro de 2018

IdosoIdoso - Foto: Agência Brasil/Arquivo

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) abriu 510 vagas para consultor de crédito destinadas a aposentados que trabalharam em instituições bancárias, nas áreas de análise de crédito a atendimento a pessoas jurídicas. Os escolhidos atenderão a micro e pequenas empresas. A seleção vai até 15 de fevereiro e será por análise de currículo e comprovação de experiência.

Se aprovados, os candidatos poderão assinar contrato com o Sebrae com duração até dezembro de 2018. O trabalho será na própria casa dos selecionados e a remuneração para os consultores será de R$ 453 por empresa atendida.

As inscrições para participar podem ser feitas pelo site da entidade. O resultado do processo seletivo será divulgado no próximo dia 9 de março.

Segundo o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, o objetivo é aproveitar a experiência dessas pessoas. “Essa é a turma que sabia dar crédito sem precisar olhar o computador, porque era olho no olho. Hoje, graças à moderna tecnologia, quem dá crédito é o computador. O gerente está absolutamente amarrado às regras. Isso faz com que 83% das pequenas empresas não tenham acesso ao crédito”, afirmou, citando estatística do próprio Sebrae.

De acordo com Afif, após passar pela consultoria, os pequenos empresários vão contar com o aval da entidade para solicitar crédito junto aos bancos. “Passando pelo crivo desse agente especial, o empresário passa a ter a vantagem de ter o aval do Sebrae, substituindo a garantia [em forma de bens]. O Sebrae tem um grande fundo de aval, com patrimônio de R$ 780 milhões.”

Para o presidente do Sebrae, a seleção vai na contramão das práticas no mercado de trabalho. “O que eu tenho assistido é empresas fazendo PDV [Programas de Demissão Voluntária]. Normalmente eles buscam tirar os mais velhos. Há um grande preconceito contra que é mais velho no mercado. Nós estamos indo na direção contrária. O mais velho para nós é muito importante”, acrescentou.

Na opinião do aposentado Mario Luiz Pegoraro, 74 anos, que também é presidente da Associação Nacional de Aposentados (Aposen), a iniciativa do Sebrae é positiva. “É a recolocação no emprego. Nos Estados Unidos, existe uma associação de aposentados que, antes mesmo de as pessoas se aposentarem, começa a consultar o que ela gostaria de fazer.”

Segundo Pegaroro, o próprio valor das aposentadorias influencia na decisão de os aposentados buscarem uma reintegração ao mercado. “Eu acho que se hoje o cara está ganhando R$ 10 mil, vai se aposentar com R$ 2 mil, R$ 3 mil, ele vai morrer de fome”, destacou.

Apesar de reconhecer que a reforma da Previdência, atualmente em discussão no Congresso Nacional, é uma medida dura, Pegoraro considera-a necessária.

“Daqui a pouco nós, aposentados, não vamos mais ter recursos. Eu recolhi a vida inteira e hoje não ganho R$ 3 mil. Se [continuar a] aposentar desse jeito, com certeza a Previdência vai quebrar e vamos estar todos com o salário mínimo. Alguma coisa tem que ser feita urgente, tem que aumentar o prazo para se aposentar. Eu aprovo totalmente”, disse.

Veja também

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial
Benefício

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão
Restrições

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão