Site e serviço de atendimento telefônico da Avianca saem do ar

A empresa não opera desde maio

AviancaAvianca - Foto: Divulgação

O site da companhia aérea Avianca Brasil saiu do ar nessa segunda-feira (29). Com isso, passageiros que quiserem efetuar pedidos de reembolso à empresa por voos não realizados ou atrasados ficam sem um canal de comunicação. A empresa não opera desde maio.

A reportagem tentou, ainda, contato com o serviço telefônico de atendimento ao cliente por mais de 20 vezes desde a noite de segunda (29) até a manhã desta terça-feira (30), mas a linha não funciona. Procurados, a Avianca e o escritório de advocacia que a representa no processo de recuperação judicial não se manifestaram sobre o caso.

A Avianca iniciou o cancelamento sistemático de voos em abril, depois que empresas de leasing a obrigaram, na Justiça, a devolver aeronaves por inadimplência no pagamento dos arrendamentos. A empresa está em recuperação judicial desde dezembro de 2018. A redução de frota levou a empresa a reduzir sua oferta de voos a apenas quatro aeroportos em 29 de abril. Em maio, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) suspendeu todas as operações da marca.

Leia também:
Falência da Avianca Brasil tem maioria dos votos na Justiça de SP
Gol e Latam participam de leilão e adquirem ativos da Avianca


Também nesta segunda-feira (29), a maioria dos desembargadores da 2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo votou a favor de decretar a falência da companhia aérea. Os magistrados podem mudar o voto até 27 de agosto, data prevista para o término do julgamento.

Dos 5 membros da Câmara, 3 votaram a favor de decretar a insolvência da companhia (Ricardo Negrão, Sérgio Shimura e José Araldo Telles) e um contra (Mauricio Pessoa). O magistrado Paulo Roberto Brazil está impedido de votar.
Caso haja mudança de voto e empate, um desembargador de outra Câmara emitirá seu parecer.

O Tribunal analisa um agravo de instrumento interposto pela Swissport pedindo a anulação do plano de recuperação judicial da Avianca Brasil.
A Swissport é uma das credoras da Avianca e tem R$ 17 milhões a receber. A empresa pede que o plano de recuperação judicial da aérea seja anulado.

Veja também

TikTok obtém novo prazo para vender ativos nos EUA
tecnologia

TikTok obtém novo prazo para vender ativos nos EUA

Campos Neto: Banco Central está relativamente tranquilo com inflação
economia

Campos Neto: Banco Central está relativamente tranquilo com inflação