Vendas da Jeep em Goiana crescem 50% em 2017

A marca que mantém uma fábrica na Zona da Mata Norte de Pernambuco vendeu mais de 88 mil carros no ano passado. O grande destaque foi o Compass

Jeep CompassJeep Compass - Foto: Ed Machado / Folha de Pernambuco

Depois de quatro anos consecutivos de queda, as vendas do mercado automotivo brasileiro voltaram a subir em 2017. O aumento foi de 9,36% no segmento de automóveis e veículos leves segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Esse movimento alavancou a produção da Fábrica da Jeep de Goiana, na Zona da Mata Norte de Pernambuco.

De acordo com a Fiat Chrysler Automobiles (FCA), a Jeep vendeu mais de 88 mil carros no ano passado, um crescimento de quase 50% em relação a 2016. Com isso, assumiu a nona posição no ranking das marcas mais vendidas no País. A marca ainda conseguiu expandir as exportações em 2017, levando 8,9 mil veículos apenas para a Argentina.

O grande destaque dos carros produzidos em Pernambuco foi o Compass. O SUV teve 49,2 mil unidades comercializadas, respondendo por quase 52% das vendas do seu segmento. Com isso, o Compass também se tornou o SUV mais vendido do Brasil. Já o Renegade teve 38,4 mil unidades comercializadas. E o Fiat Toro, que também é produzido em Pernambuco, teve 50.723 vendas.

Leia também:
Venda de veículos fecha 2017 com alta de 9,23%
[Vídeo] Compass: carro pernambucano ganha o mundo
Jeep inicia exportação para o México

Brasil

Dados divulgados pela Fenabrave mostram que, depois de acumular uma queda de 40% entre 2013 e 2016, o mercado como um todo cresceu 1,33% em 2017. A alta, no entanto, foi mais forte nos carros de passeio: 9,36%. Caminhões e ônibus cresceram 5,05%. Mas as motos viveram mais um ano de queda, com uma redução de 14,71% das vendas em 2016. Por isso, apesar da alta, o total de emplacamentos ainda está longe dos números pré-crise. Segundo a Fenabrave, 3.216.761 unidades veiculares foram vendidas em 2017. Em 2013, no entanto, foram 5.352.353 emplacamentos. Em 2014, 4.984.554.

Mesmo assim, o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, comemorou os números do ano passado. “Ao iniciar 2017, a projeção era negativa em mais de 20% e, ao longo do ano, as ações econômicas acertadas geraram efeitos positivos”, justificou, citando como boas ações econômicas a redução dos juros e da inadimplência, o aumento da empregabilidade e do acesso ao crédito. Ele explicou que esses fatores aumentam a confiança do empresário e do consumidor e podem elevar ainda mais as vendas de veículos neste ano. Para 2018, a expectativa da Fenabrave é de um aumento de 10,3% do mercado.

Veja também

Funcionários tentam derrubar MP que permite privatização de subsidiárias da Caixa
governo

Funcionários tentam derrubar MP que permite privatização de subsidiárias da Caixa

Retorno da Feira da Sulanca de Caruaru contou com fiscalização, testagem e distribuição de EPI
Caruaru

Retorno da Feira da Sulanca de Caruaru contou com fiscalização, testagem e distribuição de EPI