Astro nas argolas, Zanetti pode ganhar medalha no solo

Campeão olímpico nos Jogos de Londres-2012, o ginasta vem se reinventando no esporte e está obtendo resultados

Arthur Zanetti foi às finais do solo no Pan de Lima-2019Arthur Zanetti foi às finais do solo no Pan de Lima-2019 - Foto: LUIS ROBAYO / AFP

É difícil achar uma imagem de Arthur Zanetti em outra pose que não seja com os braços de músculos saltados nas argolas da ginástica artística masculina. Nos Jogos Pan-Americanos de Lima, será a primeira vez que o campeão olímpico disputará medalha no solo. Foi um desafio pessoal.

Arthur Zanetti vem se preparando para fazer a diferença em outros aparelhos além das famosas argolas. Primeiro conseguiu a medalha de ouro no salto no Sul-Americano de ginástica de Cochabamba em 2018. No salto, desta vez, ele nem competiu. Agora, tentará o solo pela primeira vez no Pan.

Uma novidade que empolga. "É gostoso experimentar outro aparelho. Agora é minha final e farei meu melhor. Fazer o que venho trabalhando em todos os treinos e trabalhar para que possa vir uma nota boa", ressaltou o ginasta após a conquista do ouro por equipes no Pan.

Arthur Zanetti é medalhista de ouro e prata olímpicos nas argolas. Neste domingo (28), na final por equipes, sua nota nas argolas foi muito importante, inclusive, para o ouro no Pan. O ginasta fez 15,000. E ele não esquece o aparelho favorito, que o colocou no topo do mundo.

"Meu objetivo individual é fazer uma ótima serie de solo e ultrapassar os 14 pontos e nas argolas fazer uma boa série também e fazer a saída cravada", disse.
Agora o objetivo é traçado por ele mesmo, que precisa de concentração. "A competição por equipe é mais divertida, gostosa e tem mais pressão. Era o objetivo conseguir um bom resultado por equipes. Agora cada um tem as finais e fazem o que quiser pro futuro".

Leia também:
Equipe brasileira de ginástica é ouro no Pan de Lima
Favorito no Pan, Arthur Zanetti encara a dura missão de relaxar
Medalhista, Talisca volta à arena para ver o namorado no Pan
No tiro esportivo, Júlio Almeida conquista o bronze no Pan


A análise dos brasileiros para a disputa do Mundial de ginástica em outubro, que dará a vaga olímpica a mais nove seleções, é que é preciso melhorar ainda na apresentação no cavalo, a pior nota do Brasil neste domingo e que por pouco não custou o ouro.

O Brasil fez 38,750 pontos no cavalo, atrás do medalhista de prata Estados Unidos (42,550) e dos ganhadores do bronze, Canadá (42,200).

Enquanto o Pan não termina, o Brasil poderá ganhar mais medalhas na ginástica masculina. A equipe terá 12 chances de medalhas nas finais individuais por aparelhos e geral.

Veja também

Alunos da rede de ensino do Paulista serão contemplados com óculos nesta quarta-feira

Alunos da rede de ensino do Paulista serão contemplados com óculos nesta quarta-feira

Com cadeias lotadas e pandemia, magistrados reveem reincidência para crimes insignificantes
Prisão

Com cadeias lotadas e pandemia, magistrados reveem reincidência para crimes insignificantes