Brasil sub-23 perde para o Japão em amistoso na Arena PE

Com três gols de fora da área, os japoneses venceram os brasileiros de virada em último amistoso pré-olímpico em solo pernambucano

Lances de Brasil x JapãoLances de Brasil x Japão - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Despedida com derrota. No segundo e último amistoso da seleção brasileira sub-23 no estado, nesta segunda (14), na Arena de Pernambuco, a equipe verde-amarela foi derrotada por 3x2 para o Japão. Os jogos serviram para o técnico da equipe, André Jardine, testar as melhores formações e peças nesta fase final de preparação para o Pré-Olímpico do ano que vem, na Colômbia, que vale vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

Déjà vu. O desfecho do primeiro tempo da seleção brasileira sub-23 diante do Japão lembrou bastante o do amistoso passado, contra a Venezuela, nos Aflitos. Em ambos os casos, a equipe verde-amarela começou pressionando e logo de cara abriu o placar. No confronto anterior, coube a Douglas Luiz balançar as redes. No desta tarde, o paraibano Matheus Cunha, de pênalti, fez 1x0.

As semelhanças não pararam por aí. Quando o Japão encontrou um espaço para finalizar, o Brasil voltou a sentir o gosto amargo do empate. Contra a Venezuela, Cásseres marcou um golaço de fora da área em chute que desviou na zaga brasileira. Adivinha como foi o tento dos asiáticos? Novo chute de longe, mais um desvio e, como esperado, bola no fundo das redes. Tanaka deixou tudo igual na Arena de Pernambuco. No intervalo, restou a Canarinho se apegar justamente ao passado para recuperar a reconfiança na vitória: contra os venezuelanos, o placar final foi 4x1. Porém, a história desta vez foi diferente.

Para conseguir o mesmo desfecho positivo, os brasileiros iniciaram pressionando os japoneses com a parceria Pedrinho/Paulinho. O meia do Corinthians deu bom cruzamento e o atacante do Bayer Leverkusen furou. No rebote, após passe de Wendel, ele isolou. A resposta do Japão veio com o mesmo requinte de crueldade do primeiro tempo. Um “déjà vu dentro do déjà vu”. Tanaka chutou, a bola desviou no meio do caminho e novamente tirou o goleiro Cleiton do lance, virando o placar para os nipônicos.

Nem só de Tanaka e gols desviados vive o Japão. O lateral-esquerdo Nakayama esbanjou qualidade ao acertar um ótimo chute no cantinho e fazer 3x1. No Brasil, a reação só vinha de uma forma: pênalti. Desta vez, o autor da cobrança foi Pedro, que diminui o placar para 3x2. A expulsão de Machida nos minutos finais aumentou a pressão da Canarinho em busca do empate, mas a despedida do time pré-olímpico em solo pernambucano foi com um tropeço.

Leia também:
Brasil vence Japão e conquista Copa do Mundo de Vôlei
Seleção Olímpica recebe o Japão na Arena de Pernambuco

Ficha técnica

Brasil 2

Cleiton; Emerson, Lyanco, Ibañez (Bruno Fuchs) e Caio Henrique (Felipe Jonatan); Douglas Luiz, Wendel (Bruno Guimarães) e Pedrinho (Bruno Tabata); Paulinho (Pedro), Antony (Rodrygo) e Matheus Cunha. Técnico: André Jardine

Japão 3

Osako; Tatsuta, Machida e Watanabe; Nakayama, Tanaka, Sugioka, Mashino, Myoshi (Sugawara) e Hashioka; Ogawa. Técnico: Hajime Moriyasu

Local: Arena de Pernambuco (São Lourenço da Mata/PE)
Árbitro: Andres Mantonte (URU)
Gols: Matheus Cunha (aos 14 do 1ºT), Tanaka (aos 27 do 1ºT e 6 do 2ºT), Nakayama (aos 22 do 2ºT) e Pedro (aos 36 do 2ºT)
Cartões amarelos: Nakayama, Osako (J); Ibañez, Bruno Fuchs (B)
Cartão vermelho: Machida (J)
Público: 7.911 torcedores
Renda: R$ 92.445
 

Veja também

Com reformulação na equipe, Central espera se classificar no Pernambucano
Futebol

Com reformulação na equipe, Central espera se classificar no Pernambucano

Fifa estende permissão de cinco substituições até julho do ano que vem
Futebol

Fifa estende permissão de cinco substituições até julho do ano que vem