Brasil vence Camarões e segue na briga pelo bronze

Com uma hora e 10 minutos de jogo, as comandadas de José Roberto Guimarães seguem sonhando com a medalha no Mundial

A seleção passou por cima de camarõesA seleção passou por cima de camarões - Foto: Divulgação/FIVB

A seleção brasileira passou fácil por Camarões na madrugada desta sexta-feira (27) na Copa do Mundo de Vôlei Feminino, disputada na cidade de Osaka, no Japão. Em apenas uma hora e dez minutos, o Brasil despachou as camaronesas com vitória por 3x0, parciais de 25/11, 25/17 e 25/18.

Com o triunfo, o Brasil subiu para quarta posição, com 18 pontos, e segue com chances de conquistar o bronze. Para isso, a equipe brasileira, comandada pelo técnico José Roberto Guimarães, terá de ganhar as duas próximas partidas e torcer pela derrota da Rússia, terceira colocada, na última rodada do mundial.

A seleção entrou em quadra com Fabiana, Mara, Amanda, Gabi, Lorenne, Macris e a líbero Camila Brait. Ao longo da partida, Zé Roberto colocou ainda Roberta, Carol, Sheilla, Gabi Candido, Bia e Drusyla. As maiores pontuadoras brasileiras foram a central Mara, que anotou 11 pontos, e a oposta Lorenne, com dez. Mas foi a atacante Laetitia Moma, de Camarões, que mais fez pontos no jogo: foram 13 ao todo.

Leia também:
Brasil joga mal e sofre a primeira derrota no Mundial de vôlei no Japão
Brasil sua, mas vence Sérvia pelo Mundial de Vôlei
Meninas do Brasil lutam por lugar no pódio da Copa do Mundo


A equipe brasileira soma até o momento seis vitórias em nove partidas. O próximo confronto da seleção será na noite desta sexta-feira (27), às 23h (horário de Brasília), contra a Coréia do Sul. O último embate da rodada será contra Rússia, terceira colocada, na madrugada de domingo (29), às 2h.

Veja também

Fora contra o CRB, Dudu, Vinícius e Paiva seguem como baixas no Náutico
Náutico

Fora contra o CRB, Dudu, Vinícius e Paiva seguem como baixas no Náutico

Sem alarde, Martelotte descarta falta de concentração no time pós-classificação
Santa Cruz

Sem alarde, Martelotte descarta falta de concentração no time pós-classificação