Giba diz pagar 'valor justo de pensão' e que faz o melhor pelos filhos

No comunicado anunciado neste sábado (17), Giba diz que o valor estabelecido para pensão está acima dos seus vencimentos atuais.

Giba deve aproximadamente 10 meses de pensãoGiba deve aproximadamente 10 meses de pensão - Foto: Divulgação

O ex-ponteiro Giba se pronunciou neste sábado sobre o processo em que é réu, em ação movida pela sua ex-mulher Cristina Pirv. O ex-jogador teve prisão decretada em 9 de fevereiro por não pagamento de pensão alimentícia, mas obteve liminar na sexta-feira (16) barrando a decisão até que uma nova audiência seja marcada.

Leia também:
Giba tem prisão decretada por não pagar pensão alimentícia
Ex-mulher diz que Giba mentiu sobre processo de pensão

No comunicado, Giba diz que o valor estabelecido para pensão está acima dos seus vencimentos atuais. Os valores, segundo ele, foram estabelecidos na época em que atuava, cujos rendimentos eram muito acima do atual.

O ex-ponteiro alega que paga escola particular aos filhos fora do combinado com a ex-mulher.

Confira o comunicado de Giba enviado por sua assessoria:

Sobre as recentes notícias envolvendo meu nome, tenho alguns esclarecimentos:
- O mandado de prisão sequer chegou a ser expedido, tendo o Tribunal em poucas horas derrubado a decisão, em um reconhecimento inequívoco de que jamais houve qualquer razão para a prisão.

- Pago de pensão, mensalmente, um valor mais do que justo e suficiente para que meus filhos, Nicoll e Patrick, tenham uma qualidade de vida acima da média.

- Ofereci pagar, via bolsa de estudos, além do valor que pago, as mensalidades dos meus filhos em uma das melhores escolas de Curitiba, que fica inclusive perto da casa deles, mas esta proposta foi negada por ela.

- A mãe dos meus filhos pede, em processo na justiça, um valor de pensão baseado em valores que eu não ganho mais há bastante tempo. Em nossa separação, deixei diversos imóveis para ela, no Brasil e na Romênia, além da guarda das crianças, e de ter que me desfazer de alguns bens meus para quitar dívidas deixadas por ela enquanto fomos casados.

- No ano passado, mudei do Rio de Janeiro para Curitiba afim de ficar mais perto dos meus filhos e pedi a guarda compartilhada, e a justiça está prestes a conceder, com base em lei, sendo esta mais uma razão da minha ex-mulher insistir em valores absurdos.

- Patrick e Nicoll podem comprovar que faço o possível e o impossível pela felicidade deles -única e exclusivamente deles. Haja vista a alegria de ambos quando estão comigo. É para eles, e somente para eles, que pago mensalmente a pensão.
A minha parte como pai estou fazendo. Deito minha cabeça tranquilamente no travesseiro com a sensação de que não deixo faltar nada aos meus filhos.

Veja também

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'
Manifestação

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'

Champions League abre nova década com favoritismo espanhol no passado
Futebol

Champions League abre nova década com favoritismo espanhol no passado