Justiça determina extinção de Jovem, Inferno Coral e Fanáutico

Decisão também apontou que cada instituição deve pagar à Justiça 10% de honorários advocatícios

Jovem, Inferno Coral e Fanáutico deverão ter CNPJs extintosJovem, Inferno Coral e Fanáutico deverão ter CNPJs extintos - Foto: André Nery e Diego Nigro/Arquivo Folha

O juiz Augusto Sampaio Argelim, da 5ª Vara da Fazenda Pública, decretou nesta terça (18) a extinção das três principais torcidas organizadas de Pernambuco: Torcida Jovem do Sport, Inferno Coral e Fanáutico. Na decisão, também foi indicado que cada instituição deve pagar à Justiça 10% dos honorários advocatícios do valor da causa, solicitando à Receita Federal o cancelamento dos CNPJs das uniformizadas. As organizadas ainda podem recorrer da decisão.

Na semana passada, o Governo de Pernambuco, por meio da Procuradoria Geral do Estado (PGE), havia protocolado um requerimento solicitando o julgamento imediato e simultâneo de duas ações (de 2012 e 2014), que pediam a dissolução definitiva da personalidade jurídica das torcidas organizadas, proibindo acesso, permanência ou reuniões dos grupos dentro e fora dos estádios.

O documento, assinado pelo Procurador-Geral do Estado, Ernani Medicis, tomou como referência os últimos incidentes envolvendo as organizações. No dia 03 de fevereiro, data de fundação do Santa Cruz, o Pátio de Santa Cruz, na Boa Vista, foi palco de cenas de violência. Torcedores do Tricolor comemoravam o aniversário de 106 anos do clube quando foram surpreendidos por cerca de 40 membros da principal Organizada do Sport, provocando tumulto no local. Um dia depois, antes de Sport x Retrô, pelo Estadual, integrantes de torcidas voltaram a se enfrentar, desta vez no Metrô do Recife.

De acordo com a PGE, “o inciso XIX do art. 5º da Constituição autoriza a suspensão de atividades ou dissolução compulsória de associações, havendo autorização judicial. Assim como os demais direitos constitucionalmente garantidos, a liberdade de reunião não é absoluta, tampouco pode ser exercida com abuso ou impedindo o exercício dos direitos de outrem".

“Achei essa decisão excelente. Uma premiação ao esforço do Estado e da Secretaria de Segurança. A sociedade está de parabéns. As torcidas organizadas se perderam no tempo. Elas foram contaminadas por essas gangues, assim como o bloco das "Virgens", de Olinda. São as mesmas pessoas. Isso tem que terminar. Em relação a eles continuarem entrando no estádio é outra questão, mas eles estão proibidos de terem loja, serem sócio da torcida. Isso afeta o lado financeiro deles”, afirmou o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho.

Leia também:
Governo do Estado entra com petição pedindo extinção das Torcidas Organizadas
Aflitos é arma do Náutico para eliminar Botafogo na Copa do Brasil

Veja também

Tossir em adversário poderá render cartão vermelho no Campeonato Inglês
Futebol

Tossir em adversário poderá render cartão vermelho no Campeonato Inglês

Schülle destaca superação da equipe e almeja corrigir erros para conquistar a taça estadual
Santa Cruz

Schülle destaca superação da equipe e almeja corrigir erros para conquistar a taça estadual