Lesão, retorno ao lar e acesso: Diego comemora sequência no Náutico

Zagueiro de 26 anos relatou dificuldades qapós sofrer duas lesões no joelho e sonha com título pelo Timbu

Diego Silva, zagueiro do NáuticoDiego Silva, zagueiro do Náutico - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Quem hoje vê o zagueiro Diego Silva sorridente, comemorando a sequência no time titular do Náutico e o acesso do clube à Série B do ano que vem, pode não se lembrar que, há alguns anos, o defensor vivia momentos delicados na carreira. Duas lesões no joelho que prejudicaram seu início de carreira no Timbu, onde foi formado, e também no Santos. Período em que o jogador correu o risco de ficar afastado definitivamente nos gramados.

A primeira lesão de Diego foi em 2015, ainda no Náutico. O atleta precisou passar por uma cirurgia no menisco. Na época, ele havia disputado 22 jogos com a camisa alvirrubra, marcando um gol. Após se recuperar do problema, veio outro baque: nova lesão, desta vez na cartilagem do joelho, durante o período em que estava no time sub-23 do Santos.

"Quando fui para lá, em poucos meses descobri que estava com uma lesão de cartilagem. Falei com os médicos e, para não fazer uma cirurgia de imediato, eu fiz infiltração, além de outras coisas. Mas infelizmente eu tive que fazer uma osteopatia, serrando um osso para colocar uma placa e não ter mais o impacto do osso com osso, já que o menisco foi arrancado. Era uma cirurgia nova, diferente daquelas de ligamento que você sabe que vai voltar daqui seis meses. Ligaram para meus familiares e eles foram para Santos. O médico não disse que eu voltaria com certeza a jogar futebol. A cirurgia era para ter uma melhora para andar. Para o futebol, havia uma interrogação", afirmou o jogador.

"Foi um momento difícil em que passei e, nessa época, minha filha do meio ia nascer. Tenho fé em Deus e não pensei em parar. Muita gente não acreditava que eu voltaria a jogar, mas depois da cirurgia eu mantive o foco na academia e, com três meses parado sem pisar no chão, eu tive uma boa evolução e voltei a fazer o que eu mais amo. Esse ano está sendo maravilhoso para mim. Ano passado eu tive um acesso e um título no Nacional/POR, mas não recebi tantas oportunidades de jogar. Já nesse eu tive uma sequência maior", comemorou, não escondendo o desejo de permanecer no clube para o ano que vem. "Meu contrato vai até o final da Série C. Conversei com Diógenes (vice-presidente) e Ítalo (gerente de futebol), mas vou esperar acabar o campeonato para definir isso. Meu desejo é ficar", completou.

Leia também:
Náutico tenta repetir feito de Macaé e Operário na Série C
Náutico divulga preço dos ingressos para final da Série C

Veja também

Santa tem responsabilidade de manter desempenho equilibrado dentro e fora de casa
FUTEBOL

Santa tem responsabilidade de manter desempenho equilibrado dentro e fora de casa

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C
Futebol

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C