Nos Aflitos, Brasil pré-olímpico encara Venezuela em amistoso

Jogo será na casa alvirrubra, às 21h30, visando preparação para o Pré-Olímpico, que será disputado em 2020, na Colômbia

Brasil encara a Venezuela nos AflitosBrasil encara a Venezuela nos Aflitos - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

O tradicional vermelho do estádio dos Aflitos será tomado pelo verde e amarelo na noite de hoje. Às 21h30, a casa do Náutico receberá o amistoso entre a Seleção Brasileira sub-23 e a Venezuela, confronto que serve de preparação para o Pré-Olímpico que será disputado em janeiro do ano que vem, na Colômbia. O Brasil ainda terá outro desafio no estado, na segunda, diante do Japão, às 16h, na Arena de Pernambuco.

Essa será a oitava vez que a Seleção Olímpica joga em Pernambuco, mas a primeira nos Aflitos. Nas outras ocasiões, a Canarinho atuou no Arruda, em sete oportunidades, e uma vez na Ilha do Retiro, a mais recente, em 2015, perante os Estados Unidos. Time que tinha na época nomes como Ederson (Manchester City), Rodrigo Caio (Flamengo), Luan (Grêmio), Gabriel Jesus (Manchester City) e Gabigol (Flamengo). O técnico era Rogério Micale, campeão olímpico no ano seguinte.

Embora seja o atual campeão, com o ouro dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, o Brasil não ganhou classificação automática ao torneio, como acontecia em edições anteriores. Para conquistar diretamente uma das vagas na Olimpíada de Tóquio-2020, os brasileiros precisam chegar à final. Caso termine na terceira posição, será preciso passar por uma repescagem.

A seleção sub-23 é comandada pelo técnico André Jardine. Para os amistosos, o treinador sofreu uma baixa importante: o atacante Malcom, ex-Barcelona e atualmente no Zenit/RUS, foi cortado por conta de uma lesão na coxa esquerda. Bruno Tabata, do Portimorense, foi chamado para a vaga. O Brasil vem de dois resultados positivos na preparação para o Pré-Olímpico, derrotando a Colômbia por 2x0 e o Chile por 3x1, ambos os jogos no Pacaembu.

Os nomes mais badalados do elenco verde-amarelo são Rodrygo (Real Madrid), Pedro (Fiorentina) e Bruno Guimarães, campeão da Copa do Brasil pelo Athletico/PR. O trio, porém, ficará como opção no banco de reservas. Jardine optou por manter a base que atuou nos últimos amistosos, com destaque para o atacante Matheus Cunha, do RB Leipzig/ALE.

“Tenho uma admiração pelo futebol dele. A cada convocação, eu tenho mais contato e consigo entender a cabeça do jogador. Ele tem muito potencial, já é uma realidade, com margem de crescimento para atingir um alto nível e atuar na seleção principal”, apontou o treinador.

Natural de João Pessoa/PB, Matheus Cunha ganhou notoriedade recentemente ao disputar o prêmio Puskas, que congratula o gol mais bonito da temporada. Hoje atuando na Alemanha, o atleta jogou pelo CT Barão, time de futsal do Recife, antes de assinar com o Coritiba e pular para o campo. “Primeira vez que vou jogar próximo da minha família. O torcedor pernambucano também é muito caloroso com a seleção e espero que a gente consiga dar alegria a todos”, afirmou o atacante.

Leia também:
Em 100º jogo de Neymar, Brasil encara Senegal
CBF libera 1,5 mil ingressos sociais para jogo da seleção sub-23 nos Aflitos

Veja também

No retorno aos ringues, Tyson empata com Roy Jones Jr.
Boxe

No retorno aos ringues, Tyson empata com Roy Jones Jr.

Com arbitragem polêmica, Náutico perde para o Juventude e se afunda no Z4
Série B

Com arbitragem polêmica, Náutico perde para o Juventude e se afunda no Z4